Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Na Colômbia foi proposta uma lei para incluir a proteção aos animais no currículo escolar

8245
160

Você pode ensinar em casa aos membros mais novos da família a cuidarem e a respeitarem os animais. O exemplo dos pais e o fato de possuir com responsabilidade animais domésticos, como cães ou gatos, ajudam as crianças a saberem como se comportar com outras espécies. Recentemente, a Colômbia propôs outro método: transformar o tema do cuidado em disciplina escolar.

O Incrível.club adora os animais e agora vai falar um pouco sobre essa importante proposta, cujo objetivo é tornar o bem-estar animal uma disciplina obrigatória nas escolas colombianas.

Incentivar o bem-estar animal nos pequenos pode criar adultos respeitosos

Por muito tempo tentou-se demonstrar como o vínculo infantil com um animal de estimação é capaz de diminuir a violência e os comportamentos antissociais no futuro. Embora não existam muitas pesquisas na área ou descobertas que possam confirmar essa hipótese, há relatos que mostram que os pets podem promover um comportamento positivo. Vários autores concluíram que crescer com os bichos de estimação aumenta a autoestima, o desenvolvimento cognitivo e as habilidades sociais.

Esse incentivo é importante para que haja uma possibilidade maior de reduzir e prevenir o problema recorrente da violência social. Mas como fazer esse enorme trabalho, se nem todas as crianças, por diversas circunstâncias, podem conviver com um animal de estimação?

Recentemente, a Colômbia propôs uma iniciativa para que as suas escolas ensinem os estudantes, desde os primeiros anos, a respeitar e se relacionar melhor com os animais.

“Lei Júpiter”, ou como um leão inspirou o ensino sobre os cuidados aos animais

A iniciativa na Colômbia foi batizada de “Lei Júpiter”, em homenagem ao leão que, por mais de 18 anos, esteve aos cuidados de Ana Julia Torres, uma ambientalista de Cali. Ela o resgatou quando ele tinha três meses e o manteve em um abrigo. Depois, por ordem do Departamento Administrativo de Gestão do Meio Ambiente (DAGMA), teve de levá-lo a um zoológico.

No novo local, o felino adoeceu e morreu em março de 2020. Para que casos tão lamentáveis como esse não se repetissem, Fabian Diaz, da Alianza Verde, propôs que as instituições de ensino na Colômbia fossem instruídas sobre o cuidado e a proteção dos animais.

Uma matéria obrigatória nas escolas

A iniciativa seria uma disciplina obrigatória, como matemática, ciências naturais, ciências sociais ou humanas.

Diaz destacou que o projeto é necessário para que “as crianças e os adolescentes recebam uma formação sobre o bem-estar e a proteção animal nas escolas, que lhes permita gerar consciência sobre o cuidado animal”, já que todos os dias estão expostos nas redes sociais e nos meios de comunicação a casos de maus-tratos de bichos. “Esses atos de violência demonstram que, como sociedade, ainda temos dívidas, por isso o Estado deve combater esses comportamentos até que possamos erradicá-los”, escreveu.

Além disso, explicou, segundo o jornal El Espectador, os animais não devem ser estereotipados como objetos ou agentes utilitários. “Devem ser entendidos como seres vivos que interagem dentro do desenvolvimento ou preservação do meio ambiente”.

As diretrizes curriculares da iniciativa teriam de ser regulamentadas pelo Ministério da Educação e pelo Ministério do Meio Ambiente, para que as escolas pudessem cumprir a nova lei. Da mesma forma, espera-se que tenha efeitos importantes nas novas gerações na Colômbia e em outros países. As crianças cresceriam sendo mais empáticas e emocionalmente mais sensíveis em relação ao bem-estar dos animais.

O que achou da iniciativa? Você acredita que deveria ser replicada em outros países latino-americanos? Conte-nos, como você ensina seus filhos a respeitarem os animais?

8245
160
Compartilhar este artigo