Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Ex-professora comenta as 5 razões que a fizeram largar o emprego, e nenhuma tem relação com dinheiro

Trabalhar como professor não é fácil e muitos de nós sabemos muito bem disso. Todos os dias, é preciso educar jovens e crianças que nem sempre se comportam da maneira mais educada do mundo. Para chamar a nossa atenção para os problemas da educação moderna, Jessica Gentry, que trabalhava em um jardim de infância, decidiu compartilhar detalhes de como a vida de um professor ou de uma professora pode ser. Em seu post no Facebook, ela abordou 5 razões que a fizeram largar o emprego que mais amava, e nenhuma delas tinha relação com dinheiro.

Nós, do Incrível.club, acreditamos que a reflexão de Jessica pode mudar a sua opinião em relação ao trabalho dos professores, por isso gostaríamos de compartilhá-la com você.

1. Dizer que “as crianças de hoje mudaram” é apenas uma desculpa

Jessica acha que o problema não está nas crianças, mas na sociedade e na educação dos pais nos dias de hoje. Crianças são apenas crianças e, portanto, vítimas inocentes das mudanças.

Hoje em dia, os pais têm horários rígidos de trabalho, vivem perdidos em aparelhos eletrônicos e não largam as redes sociais. Como eles não passam muito tempo com os filhos, não podem educá-los da maneira correta e a primeira vez que muitas crianças ouvem a palavra “não” é em uma sala de aula.

Algumas crianças fazem birra dentro de casa, porque se sentem seguras; ou seja, elas sabem que os erros e os exageros serão tratados com calma pelos pais, que vão ensiná-las a se comportarem da maneira correta. Mas se elas não sentem a mesma segurança na escola e começam a se comportar de maneira exagerada, os professores têm o trabalho adicional de colocar limites e explicar coisas que as crianças já deveriam saber.

2. Crianças modernas não aprendem a socializar

Hoje em dia, muitas pessoas acham que as escolas devem ser modernas e devem oferecer a tecnologia e os dispositivos mais avançados aos seus alunos.

No entanto, de acordo com Jessica, as crianças não sabem mais se comportar socialmente. Pouco a pouco, elas foram esquecendo o básico sobre relacionamentos, porque não se comunicam tanto quanto no passado. Portanto, ao oferecer mais tecnologia, a situação pode ficar ainda pior.

3. Professores precisam de menos instruções e mais tempo com as crianças

Como essa abordagem tecnológica parece não estar funcionando, os professores precisam de treinamento para interagir com os alunos de uma maneira mais eficaz, o que não está acontecendo. Em vez disso, eles passam o dia resolvendo questões burocráticas, normalmente muito longe dos alunos. Segundo Jessica, o tempo que os professores gastam longe das crianças é totalmente inútil.

4. Adotamos uma mentalidade de atendimento ao cliente

Jessica também defende que hoje os pais não se responsabilizam por suas ações, inclusive quando se comportam de maneira irracional. Eles falam muito sobre frequência nas redes sociais, mas não entendem por que os professores não admitem faltas. “Eu não posso ensinar o seu filho se ele não estiver na escola”, afirma.

Ela acha que o caminho é fazer com que os pais se transformem em parceiros na educação dos filhos. Infelizmente, a realidade é bem diferente: os pais se sentem no direito de gritar com os professores, durante as reuniões muitos falam no celular e alguns defendem que os professores nunca devem dizer “não” aos alunos.

5. A saúde física e mental dos professores sofre todos os dias

Apesar do amor que sente pelos alunos, Jessica precisou deixar o emprego, porque sabia que as crianças precisavam e mereciam mais do que estavam recebendo, e ela começou a sentir que não podia fazer nada a respeito. Após implorar por mais apoio nas reuniões, ela sentiu que seu trabalho estava sendo em vão.

“Quando você ama os seus alunos e é apaixonada pelo seu trabalho, você não aguenta muito tempo”, afirma Jessica. Ela simplesmente não aguentava ver os alunos com roupas sujas, saber que a casa deles estava um caos e sentir que eles precisavam de muito mais do que ela podia dar, principalmente em uma classe com 21 crianças e com pouco apoio da escola; era simplesmente demais.

Bônus: como você pode ajudar os professores dos seus filhos

Como ex-professora que conhece a estrutura de uma escola por dentro, Jessica decidiu compartilhar com os pais dos alunos algumas ideias para facilitar a vida dos professores:

  • Dedique tempo a seus filhos: leia para eles, ajude com as tarefas, organize viagens e peça ajuda também para sogros e avós;
  • Se você não tiver tempo disponível, doe alguns itens, como lanches saudáveis, quebra-cabeças e livros e pergunte se eles estão participando de algum projeto especial e se precisam de algum material;
  • Seja um modelo de comportamento e mostre sempre respeito ao professor.

Você concorda com a opinião de Jessica? O que os pais podem fazer para melhorar o sistema educacional? Conte nos comentários.

Compartilhar este artigo