8 Sinais de que você cresceu em uma família tóxica

Ataques de birra, ansiedade, emoções reprimidas e baixa autoestima. Infelizmente, alguns pais acabam transmitindo todas essas expressões de negatividade aos filhos. O egoísmo e a indiferença de pais e mães em relação aos sentimentos da própria prole provocam um grande impacto sobre os pequenos durante a infância e até mesmo depois de adultos. O resultado disso é que as crianças começam a criticar a si mesmas, a se sentir desamparadas e a ter problemas na vida social.

A equipe do Incrível.club resolveu se aprofundar no assunto para ajudar seus leitores a entender melhor seu mundo interior. Afinal de contas, conhecer os motivos por trás dos nossos medos e ansiedades pode permitir que corrijamos certas posturas e vivamos melhor.

1. Ter medo de ser manipulado

Em muitos casos, famílias tóxicas recorrem à manipulação para controlar parentes. No dia a dia, esse tipo de comportamento não é nada normal, e pode se transformar em abuso emocional. Quem passa por situações assim tende a confiar menos nas pessoas ao seu redor e a ter dificuldades para manter relacionamentos. Sentir-se constantemente manipulado pela família também pode fazer com que o indivíduo passe a evitar outras pessoas.

2. Ter dificuldades com interações sociais e para confiar nos outros

Quando uma pessoa é criada em uma atmosfera de tensão, sendo vítima de manipulações e outros abusos mentais, acaba ficando “marcada”. Alguns pais podem não ser capazes de dar aos filhos o apoio necessário ou então, em outro cenário, alguém pode nascer no seio de uma família que exige uma eterna postura de confronto. Em casos assim, o indivíduo acaba crescendo e tendo dificuldades para entender que pode relaxar e, finalmente, “baixar a guarda”. Isso gera dificuldades para confiar em outras pessoas e se abrir diante delas.

Problemas desse tipo são difíceis de lidar. Ao ver e vivenciar constantemente abusos físicos e emocionais, maus-tratos e negligência, as vítimas dessas situações criam uma imagem idealizada dos relacionamentos. São pessoas que podem não entender como se dão as conexões afetuosas e saudáveis entre os seres humanos. Ainda que inconscientemente, estão sempre esperando que todos ao seu redor exagerem, sejam exigentes, os culpem por alguma coisa ou os decepcionem.

3. Dificuldades em lidar com fracassos

Crianças criadas em um ambiente tóxico podem sentir o tempo todo que não são boas o suficiente ou até que não têm valor algum. Certos pais erram ao exigir demais dos filhos, culpando-os quando estes não atendem às suas expectativas. Trocando em miúdos, os pequenos crescem com baixa autoestima e com dificuldades para cuidar de si mesmos. É por isso que o menor erro ou fracasso pode deixá-los assustados ou provocar um ataque de birra.

4. Falta de senso de identidade própria

Uma postura positiva por parte da família é um elemento crítico quando o assunto é a nossa saúde mental. É tão importante quanto a sensação de ser amado e de pertencer. Quando o relacionamento entre uma criança e seus pais é abusivo, o pequeno pode começar a ter problemas com seu mundo interior, sua identidade e sua autoestima. Isso, por sua vez, conduz a efeitos negativos, como ansiedade e até depressão.

5. Exagerar nas críticas a si mesmo

A baixa autoestima, quando provocada por pais tóxicos, faz com que a criança se sinta estúpida, sem valor e indigna de conseguir algo melhor. Crianças assim criticam tudo o que fazem, reclamam de si mesmas, hesitam e ficam em dúvida o tempo todo. Elas internalizam o conceito de que são piores que os outros, o que provoca sofrimento mental, mas ao mesmo tempo não conseguem mudar a situação por não receberam o apoio psicológico necessário.

6. Colocar as próprias emoções em último lugar

Pais que abusam verbal ou fisicamente negligenciam as emoções dos filhos. Além disso, quando a criança tenta expressar as próprias emoções, pode acabar sendo ainda mais maltratada pela família. Como consequência, o pequeno se acostuma a esconder a própria dor, o ressentimento e a raiva. E no decorrer da vida, é possível que essas pessoas acabem priorizando as emoções alheias em detrimento das suas próprias.

Reprimir emoções também afeta negativamente a construção da identidade. A pessoa não consegue entender quem ela é, como se sente e o que quer de sua existência. Assim, falha na tarefa de se desenvolver em âmbitos da vida que são importantes para ela, já que, mentalmente, está contida diante das incertezas e da falta de algo com que se identificar.

7. Sempre se sentir como uma criança desamparada

Pais tóxicos muitas vezes se recusam a enxergar no filho um adulto. Não importa quantos anos a pessoa tenha, pais assim sempre tentam tratá-la como uma criança desamparada. Eles querem controlar e comandar tudo e, quando enfrentam resistência, bancam os ofendidos para que os filhos se sintam culpados.

Se a criança não pode tomar suas próprias decisões, ter sua privacidade e se sentir uma pessoa independente, certamente terá a saúde mental prejudicada. Ela pode desenvolver ansiedade, ficar com medo de iniciar algo novo e não conseguir se encaixar na sociedade.

8. Sentir-se ansioso com frequência

Pessoas que crescem em famílias tóxicas costumam apresentar transtornos de ansiedade. Isso acontece em decorrência da instabilidade familiar, de abusos físicos ou da sensação de falta de segurança. Crianças ansiosas tendem a desenvolver dificuldades de concentração, podendo ter episódios de irritação, inquietação, preocupação exagerada e tensões de maneira geral.

Você notou alguma dessas características em seus pais? Já passou por alguma situação parecida com as descritas neste post? Comente!

Illustrated by Natalia Breeva exclusivo para Incrível.club
Compartilhar este artigo