Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Estresse faz com que as pessoas se tornem dependentes do Facebook, diz estudo

Toca o despertador. A primeira coisa que você faz é desligá-lo e, imediatamente depois, conferir as notificações no Facebook. Hora do café da manhã? Outro momento ideal para ver o que seus amigos publicaram. A fila do supermercado, a entediante reunião de trabalho, todo e qualquer momento é bom para entrar no aplicativo. Cada vez mais pessoas usam essa famosa rede social para se manter atualizada em relação às notícias e às atividades de seu círculo social, mas será que essa rotina é causada pelo estresse diário? Tudo parece indicar que sim, e que também usamos essa ferramenta como um meio de nos consolar diante de tudo que nos acontece diariamente.

A seguir, o Incrível.club revela os resultados de um estudo que analisou de que maneira o estresse diário está ligado à dependência do Facebook, e como isso afeta as interações sociais.

Quanto maior o nível de estresse, maior a necessidade de entrar na rede social

Um grupo de pesquisadores da Universidade Ruhr de Bochum, na Alemanha, avaliou 309 usuários do Facebook cujas idades variavam entre 18 e 56 anos. Seu objetivo era o de analisar se existe ligação entre o estresse diário e a intensidade de uso da rede social, além das possíveis tendências que fazem com que o abuso da ferramenta acabe gerando mais ansiedade.

Uma mão amiga

Os autores do estudo investigaram em que medida as pessoas entram no Facebook em busca de apoio, tanto online quanto na vida offline. Os resultados revelaram que as pessoas procuram apoio nos amigos diante de alguma situação adversa pela qual passaram. Quem recebeu pouco apoio tinha mais probabilidade de entrar na rede social em momentos de maior estresse.

Uma forma de encontrar consolo

Os autores da pesquisa concluíram que aqueles que costumam entrar no Facebook em busca de suporte social pelos problemas que vivem podem ser um chefe muito exigente, quem passa por problemas no relacionamento amoroso, os que foram reprovados em algum teste importante. Entre esses, os que receberam maior apoio por parte dos amigos virtuais tinham mais chances de se tornarem dependentes do Facebook. A rede social funciona para eles como um alívio, que acaba sempre sendo buscado em situações difíceis.

Como o apoio da família e dos amigos afeta a saúde mental

Esses resultados são de grande utilidade, segundo os especialistas, já que jogam luz em diferentes questões, como a importância do apoio social para a saúde mental das pessoas. Além disso, esclarece sobre os aspectos que devem ser considerados quando alguém usa o Facebook de forma obsessiva, e como é possível intervir para tratar a pessoa.

Usar a rede social, mas em menor medida?

Em média, as pessoas passam 2 horas e 23 minutos por dia nas redes sociais, cerca de 505 horas por ano. Algo bem considerável. Mas o que aconteceria se deixássemos de usá-las totalmente? Outro estudo, realizado pela Universidade de Stanford, investigou o que aconteceria se as pessoas desativassem seus perfis por 4 semanas. Os resultados foram contundentes: os níveis de ansiedade e depressão caíram.

Apoio dos entes queridos

O apoio da família e dos amigos não é menos importante, muito pelo contrário. Outra pesquisa aponta que o apoio social traz resultados positivos a longo prazo, melhorando a qualidade de vida das pessoas. Na verdade, isso se torna uma ferramenta para reduzir os níveis de depressão e para melhorar a saúde, aliado a uma dieta que inclua frutas e verduras, além da prática regular de exercícios e do não tabagismo.

Você ou algum conhecido não consegue ficar longe do Facebook por muito tempo? O que você acha das redes sociais de forma gerall? Comente!