Incrível

Um raro golfinho nariz de garrafa rosa teve um filhote e, agora, aumentam as chances dessa subespécie aumentar

O golfinho nariz-de-garrafa é a mais conhecida das 34 espécies existentes desse mamífero. Os nariz-de-garrafa são super sociáveis e, não por acaso, foram os escolhidos para a produção da série de televisão Flipper, bastante popular nos anos 60.

E, além de serem super amistosos, esses animais são bastante adaptáveis, habitando os mares quentes e temperados do mundo inteiro. Por tudo isso, os golfinhos nariz-de-garrafa são protegidos da caça comercial. E, quando um exemplar diferente dessa espécie aparece, como ocorreu com a descoberta de um exemplar cor-de-rosa no rio Calcasieu, nos Estados Unidos, o mundo inteiro acaba se interessando.

Incrível.club, preocupado, a cada vez mais, com a alarmante situação ecológica enfrentada por nosso Planeta, traz, em primeira mão, a notícia de que esse tipo raro de golfinho nariz-de-garrafa aparentemente procriou e, em breve, poderemos ter uma geração de golfinhos rosa nos mares.

1. Uma rara subespécie de golfinho nariz-de-garrafa?

Era 2007 quando o capitão Erik Reu navegava pelo rio Calcasieu, no Estado da Louisiana, nos Estados Unidos. Tudo parecia normal até que ele se deparou com um grupo de golfinhos nariz-de-garrafa. Seu objetivo era apenas apreciar os animais, mas ele ficou surpreso quando se deu conta de que um deles era cor-de-rosa. Segundo o capitão, o animal parecia em ótimo estado de saúde. Desde então, Reu se deparou com o golfinho outras vezes na mesma região.

<p>“Me considero uma pessoa privilegiada por ter a oportunidade de observar esse incrível mamífero e por poder trabalhar em uma região frequentada por uma criatura tão fantástica”.</p>
Erick Reu, capitão de barco na empresa de turismo de aventura Calcasieu Charter Service

2. Poderia ser um animal albino ou sofrer de algum dimorfismo

Até agora, não há provas científicas ou conclusões a respeito de por que esse golfinho nariz-de-garrafa possui essa coloração diferente. Há, no entanto, algumas hipóteses, como a de que se trataria de um dimorfismo sexual, ou seja, um diferença física bastante nítida entre macho e fêmea de uma mesma espécie — que pode se manifestar, por exemplo, na forma ou no tamanho do corpo ou ainda nas cores, como seria o caso.

Uma das teorias mais aceitas pelos pesquisadores é a de que o golfinho rosa possui uma espécie de albinismo. É nisso que acredita, por exemplo, o pesquisador Greg Barsh, do Instituto de Biotecnologia HudsonAlpha, do Alabama (EUA). A coloração estaria, portanto, associada a fatores genéticos.

3. A cor dos olhos pode ser a resposta para o caso

Um dos sinais mais reveladores da existência do albinismo é a cor dos olhos do golfinho, que, de acordo com o capitão Reu, são vermelhos. O mais provável, então, é que o animal tenha herdado dos pais uma mutação genética que resultou em sua cor rosa — e ele não deve ser confundido, também, com os botos, nativos dos rios brasileiros.

4. Outros golfinhos rosa já foram vistos no mesmo rio

Thomas Adams, um pescador do local, revelou que Pinky — como o golfinho rosa foi chamado — continua na região, só que agora possui um companheiro (ou companheira) rosado. “Já avistei dois golfinhos rosados. Sim, eles vivem na região. Navegue pelo rio Calcasieu e veja”, disse em um vídeo.

5. Quem tem a chance de ver, surpreende-se

Em 2017, um casal também se deparou com mais de um animal. “Foi incrível avistá-los. Vimos dois, mas não conseguimos gravar a cena. Eu estava surpresa”, afirmou Bridget Boudreaux, autora de um vídeo que ficou famoso nos Estados Unidos.

6. É possível que Pinky tenha tido filhotes, o que seria uma grande notícia

A partir de imagens como a mostrada acima, surge uma teoria de que Pinky, o golfinho original, pode ter tido uma cria. Essa seria uma ótima notícia do ponto de vista da preservação dessa rara subespécie rosada dos golfinhos nariz-de-garrafa.

Qual é a sua opinião sobre o caso? Você acredita que haverá novos golfinhos rosa? Compartilhe sua opinião na seção de comentários!