Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Segundo a ciência, depois dos 30 anos as mulheres começam a se comportar como suas mães

Antes de ter filhos, muitas garotas rejeitam a maneira como suas mães as educaram, especialmente se discordam do modo como foram criadas. Mas uma pesquisa recente mostrou que, quando atingem uma certa idade, essas mesmas mulheres acabam imitando muitos aspectos da personalidade de suas mães em várias áreas, incluindo a maternidade.

Incrível.club quer compartilhar com você as descobertas dessa pesquisa e de outro estudo que indica que muitas mulheres acabam adotando diversos comportamentos de suas mães depois de uma determinada idade.

Um passo inevitável

O cirurgião plástico Julian da Silva, que atua em Londres, realizou uma pesquisa com 2 mil homens e mulheres. Na opinião desse médico, “todos nós nos transformamos em nossos pais em algum momento de nossas vidas”.

Segundo seus estudos, o evento que faz com que nos tornemos parecidos com nossos pais é o nascimento de nossos filhos. Mas o fato de começarmos a parecer fisicamente com eles também acaba fazendo com que adotemos muitas das características de sua personalidade.

De acordo com a pesquisa realizada por Silva, a maioria dos participantes disse que essa mudança aconteceu entre 30 e 35 anos. Então, a média ficou em 33 anos nas mulheres e 34 nos homens. O pesquisador acredita que a média de idade mostrada pelo estudo se deve ao fato de muitas mulheres terem seu primeiro filho nesse período. Mas também pode ser que as lembranças da mãe mais marcantes e que ficaram registradas na infância tenham sido geradas quando ela estava na terceira década de vida.

Comportar-se como sua mãe está em seus genes

Suspeita-se que a semelhança com a mãe não esteja limitada ao aspecto físico. Por muitos anos, acreditou-se que o jeito de ser das pessoas (e a forma como se comportam com seus filhos) dependia da criação que recebiam em casa quando pequenas. No entanto, um estudo realizado na Universidade de Michigan mostrou que isso também é uma questão genética. Claro que o ambiente doméstico tem uma grande influência, mas Alexandra Burt, professora associada de Psicologia, diz que “a nossa forma de exercer a maternidade não só depende da maneira como fomos criados, mas também dos genes, que desempenham um papel específico”.

Para chegar a essa conclusão, Burt, juntamente com a estudante Ashlea M Klahr, realizou uma análise de 56 estudos científicos internacionais sobre o comportamento dos pais. Essa pesquisa incluiu mais de 20 mil famílias e a conclusão foi a de que os genes tiveram uma influência de entre 23% e 40% na atuação dos pais. “O que não ficou claro foi se influenciaram o estilo de criação de maneira direta ou indireta, de acordo com a personalidade dos pais”, diz Ashlea.

Da mesma forma, demonstrou-se que o estilo de educação não é um processo de mão única, de pais para filhos. O fato é que também ocorre o contrário. Isto é, o jeito de educar os filhos também depende do comportamento da criança.

Imitar é natural

Se levarmos em consideração a afirmação anterior de que a genética desempenha um certo papel no estilo de criação, ficará mais claro por que as mulheres acabam se comportando como suas mães. O estudo do médico Silva descobriu que, uma vez que começam a se parecer fisicamente com suas mães, é natural que as pessoas se sintam confortáveis, ​​adotando seus hábitos e gostos.

Então, se de repente você se descobrir dizendo aos seus filhos as mesmas frases que sua mãe costumava falar, não se surpreenda. É um processo lógico, mas não inevitável. Cada pessoa pode tirar e usar o que lhe parecer mais valioso da educação que recebeu em casa.

Que coisas você começou a copiar da sua mãe? Que hábitos você não adotaria? Conte para nossa equipe nos comentários.