Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Abraçar seu bebê com frequência o torna mais inteligente, diz estudo

2--5
423

Os pais buscam maneiras diferentes de estimular o desenvolvimento de seus filhos. Colocam música para eles ainda na barriga da mãe e, assim que nascem, já compram brinquedos com sons e luzes e até os colocam em aulas de estimulação precoce.

Mas existe um recurso simples e muito eficaz, possível de ser usado a qualquer momento e sem limite de tempo: o abraço. E algumas pesquisas mostram que seus efeitos vão além da sensação de prazer que proporciona e que podem levar, por exemplo, a um aumento do tamanho do cérebro nas crianças.

O Incrível.club está ciente de que o amor gera confiança e segurança, mas também permite que as crianças cresçam com muitas ferramentas que as ajudarão a tomar melhores decisões na vida. Por isso, convidamos você a ler mais sobre essa descoberta.

Acostume o bebê aos abraços

Um estudo realizado em um hospital infantil de Ohio e publicado na revista científica Current Biology analisou o comportamento de ​​125 bebês prematuros e sua resposta ao contato físico, seja pela amamentação ou pela pele.

Os resultados não só foram determinantes, mas também serviram como uma excelente ferramenta para refutar aqueles que dizem que não se deve abraçar os bebês para “não acostumá-los a ficar nos colo”. Na verdade, abraçar pode deixá-los mais saudáveis e mais inteligentes.

Quanto mais tempo, melhor

Os melhores resultados foram obtidos com abraços e carícias prolongados. Os bebês que receberam maior contato físico mostraram respostas cerebrais muito mais significativas, ao contrário daqueles que tiveram apenas contatos leves. Um tempo mais longo de mimo representou uma maior taxa de maturação cerebral.

O mais esperto da turma

Os abraços estão relacionados a melhores níveis de percepção, cognição e desenvolvimento social. Isso porque, de acordo com os resultados da pesquisa, fazem o cérebro crescer muito mais rapidamente e de forma mais saudável. Esse simples gesto é suficiente para influenciar as conexões cerebrais e também pode ajudar as crianças a responderem muito melhor e a se beneficiarem desses estímulos físicos por vários anos.

O momento exato

No entanto, o pesquisador Nathan Fox explicou à Live Science que o contato físico promove um melhor desenvolvimento cerebral quando os bebês estão em um estágio inicial. Quando estão cercados por bons sentimentos, amor, carinho e abraços, eles obtêm os melhores resultados e, inversamente, quando carecem disso e vivem em situações extremas, pode haver uma redução no tamanho dos seus cérebros.

Quais outras formas você conhece ou adota de expressar o amor por seus filhos? O que achou dos resultados dessa pesquisa?

2--5
423