Incrível
Incrível

10 Histórias de amor que transformaram plebeus em membros da realeza

O amor é o sentimento mais puro e genuíno que existe. Especialmente quando se pensa na paixão que é despertada entre duas pessoas quando se amam intensamente. Aliás, tal força avassaladora pode acontecer com todos. Inclusive com membros da realeza, que podem ter seus corações “roubados”.

Pensando nisso, o Incrível.club convida você a conhecer 10 histórias de amor que transformaram plebeus em integrantes de famílias reais!

1. Meghan Markle, Duquesa de Sussex

Meghan Markle é conhecida pelas atuações em filmes e séries, como SuitsQuero Matar Meu Chefe. Porém, ao conhecer o Príncipe britânico Harry, em 2016, os dois se apaixonaram e a Duquesa de Sussex precisou abandonar a carreira de atriz para se dedicar à vida real. O casamento aconteceu dois anos depois, em 2018.

2. Kate Middleton, Duquesa de Cambridge

Ainda nas paixões da família real britânica, Kate Middleton conheceu o atual marido, o Príncipe William, quando estudava História da Arte na universidade — inclusive, ambos são licenciados na área. Consequentemente, esse amor de universitários foi o início para um dos casamentos reais mais comentados do século XXI.

3. Grace Kelly, Princesa Grace de Mônaco

Uma das atrizes mais renomadas de Hollywood do século XX, Grace Kelly estrelou filmes como Janela Indiscreta, Amar é SofrerLadrão de Casaca. Aliás, por conta de tamanho êxito mundial, ela e o Príncipe Rainier III se conheceram durante o Festival de Cannes e foi amor à primeira vista. Naquela ocasião, a lendária atriz Olivia de Havilland apresentou o membro da monarquia à futura Princesa Grace de Mônaco.

4. Letizia Ortiz, Rainha Consorte da Espanha

Com Mestrado em Jornalismo, a famosa comunicadora Letizia Ortiz já brilhava em diversos veículos de comunicação, como Bloomberg TV e Televisión Española (TVE). Porém, sua vida mudou ao conhecer o Rei Filipe VI, em 2002. A paixão de ambos foi tão intensa que se casaram dois anos depois, em 2004.

5. Daniel Westling, Duque da Gotalândia Ocidental

Daniel Westling era empresário no ramo de academias e ginásios, além de treinador pessoal. Inclusive, foi auxiliando às necessidades físicas da Victoria Ingrid que os dois se apaixonaram. Na época, a família real não aceitou o romance, pois o futuro Duque da Gotalândia Ocidental (uma província na Suécia) utilizava roupas informais e possuía trejeitos indesejáveis para um membro da família real. Porém, após passar por diversas aulas de etiqueta, eles se casaram 2009.

6. Máxima Zorreguieta, Rainha Consorte dos Países Baixos

A economista argentina Máxima Zorreguieta teve imenso êxito na profissão. Inclusive, chegou a ser vice-presidente de vendas institucionais para a América Latina na empresa HSBC James Capel Incorporation. Pouco tempo depois, a futura Rainha Consorte dos Países Baixos conheceu o Príncipe Willem-Alexander na Feira de Abril, na Espanha. Aliás, naquela ocasião, ela não sabia que ele era membro da realeza. Mesmo quando o próprio contou, Máxima imaginou que se tratava de uma brincadeira. Porém, eles marcaram um segundo encontro em Nova York e, independentemente da questão da família real, se apaixonaram.

7. Sarah Ferguson, Duquesa de York

Apesar de possuir antepassados da realeza, Sara Ferguson vivia como uma plebeia até se casar com o Príncipe Andrew. O Duque de York, que é um dos filhos da Rainha Elizabeth II, se casou com Sarah em 1986 e os dois se divorciaram em 1996. Fruto da união, eles tiveram duas filhas: as princesas Beatriz de YorkEugênia de York. Atualmente, ela se dedica às carreiras de autora e produtora de cinema.

Inclusive, os Duques de York começaram o relacionamento porque Diana, Princesa de Gales — mais conhecida como Lady Di — planejou o encontro e incentivou o amor entre eles.

O exitoso empresário Stefano Casiraghi foi um dos membros da realeza mais visionários e inteligentes do principado ao qual pertenceu. Antes do romance com a Princesa Carolina de Mônaco, ele possuía uma série de heliportos, fábricas e demais negócios. Em 1983, os dois se casaram e ficaram juntos até 1990.

9. Rania, Rainha Consorte da Jordânia

Após fugir de Kuwait por conta da invasão do Iraque, Rania e sua família mudaram-se para a Jordânia. Formada em administração de empresas, ela foi trabalhar como bancária, e, em seguida, na Apple. Durante um jantar, em 1993, conheceu o então Príncipe Abdullah da Jordânia e os dois se casaram no mesmo ano.

10. Tatiana Blatnik, Princesa da Grécia e da Dinamarca

A venezuelana Tatiana Blatnik se formou em Sociologia na Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos. Apesar da formação, trabalhou na área de publicidade até 2010, quando se casou com o Príncipe Nicolás da Grécia e da Dinamarca.

Bônus: a Princesa Grace de Mônaco ganhou o Oscar de Melhor Atriz em 1954 pela atuação no filme Amar é Sofrer

Dentre as histórias que transformaram a vida real em contos de fadas, qual mais o apaixonou? Você sabia da existência de duas latino-americanas que viraram integrantes da realeza europeia? Conte para o Incrível na seção dos comentários!

Compartilhar este artigo