Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Casais de filmes que são excelentes exemplos de relacionamentos sem amor

3132
990

Quase todo filme ou série tem uma história de amor com a qual os cineastas cativam o público. Mas, às vezes, o que vemos são, na realidade, relacionamentos prejudiciais disfarçados de romance. Alguns espectadores, enfeitiçados pelo filme, nem percebem esses detalhes e podem tentar construir sua vida amorosa conforme os padrões mostrados nas obras cinematográficas.

Hoje, o Incrível.club mostrará casais de filmes que cativaram muitos espectadores. No entanto, poucas pessoas percebem que a relação desses personagens está longe de ser perfeita.

1. Uma Linda Mulher — Edward e Vivian

Os tabus sociais e culturais na vida real certamente teriam interferido, e Edward não teria se envolvido em um relacionamento formal com uma mulher como Vivian, porque os riscos eram altos. A própria base da relação também levanta muitas questões. Ao presentear Vivian com roupas, joias e outras coisas caras, Edward essencialmente tentava comprar o amor da jovem, enquanto os espectadores percebiam esse gesto como um sinal de amor.

O final original do filme, aliás, não era um final feliz. A amiga de Vivian, Kit, falece e Edward expulsa Vivian de seu carro com todo o dinheiro que ele havia lhe dado. Mas como os espectadores gostam de contos de fadas, inexistentes no mundo real, o roteiro foi reescrito e Vivian praticamente se tornou uma Cinderela.

2. Franquia X-Men — Bobby e Rogue

Rogue é uma personagem incrivelmente trágica. Devido à sua incapacidade de tocar alguém sem acabar machucando a pessoa, em princípio é muito difícil para ela entrar em um relacionamento.

3. Franquia Jogos Vorazes — Peeta e Katniss

A relação entre esses personagens é muito complicada e não parece uma história feliz. Na primeira parte da franquia, Peeta declara abertamente estar apaixonado por Katniss. Mas isso é uma jogada de manipulação. Depois, ele lhe confessa que foi uma tentativa de enaltecê-la. E essa é outra forma de manipulação: transformar uma circunstância em que Peeta era culpado, em uma situação em que é inocente.

O problema de Peeta é a sua personalidade complicada. Enquanto Katniss é um livro aberto para todos, exceto para si mesma, Peeta é um cara simples e gentil que não perde a chance de fazer algo em benefício próprio. Ele literalmente amarra Katniss em correntes invisíveis e a faz jogar de acordo com suas próprias regras. Por exemplo, quando declara publicamente que Katniss está grávida e ela tem de fingir que está.

Além disso, a ausência de qualquer química entre os dois personagens, tanto no livro quanto no filme, faz com que o casal esteja longe de ser perfeito.

4. Passageiros — Jim e Aurora

A relação entre esses personagens nada mais é do que crueldade disfarçada de romance. Os dois estão trancados em uma nave espacial e devem encontrar uma maneira de sobreviver sem enlouquecer de solidão.

Os sentimentos de Aurora por Jim são um exemplo típico de síndrome de Estocolmo. E seu comportamento no filme é desumano e se justifica pelo desespero que o protagonista vivencia. O filme manipula o público, fazendo-o sentir empatia pelo personagem, apesar de ter condenado à morte, em pleno espaço sideral, uma jovem inocente.

5. O Lado Bom da Vida — Tiffany e Pat

Existem desafios quase insuperáveis entre esses dois personagens: um processo cautelar, a morte de um cônjuge, amor não correspondido e destrutivo, problemas com parentes e com a psique, e assim por diante. Tudo isso não pode ser resolvido em pouco tempo. E embora Pat e Tiffany formem um casal muito meigo, os dois precisam ficar sozinhos para resolver seus próprios problemas e, só depois, tentar construir um relacionamento.

6. Cinquenta Tons de Cinza e filmes subsequentes — Anastasia e Christian

Essa trilogia é a romantização de relacionamentos abusivos, tanto físicos quanto emocionais. Christian é um manipulador e um homem egoísta que faz o possível para controlar a vida de sua namorada. O casal claramente carece de uma dose mínima de confiança. E todas as vezes em que Anastasia tenta descobrir algo sobre o passado de seu namorado, ele é evasivo e consegue deixá-la sem resposta.

Tanto nos filmes como no livro, a ideia é que Christian muda sob a influência de Anastasia. Isso é muito semelhante à síndrome do pássaro quebrado: quando uma pessoa é atraída por outra que tem inúmeros problemas, mas sente-se capaz de resolvê-los. Entrar em um relacionamento com o desejo de mudar alguém é claramente uma decisão não muito sábia.

7. Um Lugar Chamado Notting Hill — Anna e William

Você se lembra da trama desse filme, em que uma mulher famosa conhece um humilde dono de livraria e começa um relacionamento com ele, embora ela já tenha um parceiro. Assim que a imprensa descobre o romance, Anna acusa William da situação e o dispensa. Poucos meses depois, o amante infeliz implora seu perdão, como se ele fosse o único culpado de tudo o que aconteceu.

Além disso, a relação desses personagens é construída sobre uma mentira: Anna esconde de William que tinha um parceiro, e depois omite de todos que esteve com William. Definitivamente não é a melhor base para construir um amor.

8. Forrest Gump: O Contador de Histórias — Forrest e Jenny

Ao longo do filme, os diretores enfatizam que Jenny é o único amor verdadeiro do protagonista, embora a moça sempre deixe claro que se incomoda com os sinais de afeição de Forrest. Além disso, Jenny o machuca e o faz mais de uma vez. O filme todo nada mais é do que uma representação de um amor não correspondido.

Os espectadores até classificam Jenny como a personagem mais tóxica na história do cinema. Ela evitava constantemente o único homem que tentava cuidar dela e só voltou para Forrest quando ele ficou rico.

9. O Grande Gatsby — Daisy e Jay

O foco de todo o filme é o amor obsessivo de Gatsby por Daisy e seu desejo irresistível de tê-la de volta em sua vida. Os métodos usados por ele são bastante duvidosos: Jay comete crimes para ganhar mais dinheiro. Além disso, Gatsby teimosamente ignora o fato de que Daisy já é casada e tenta arruinar sua vida. A jovem ama tanto o marido quanto o amante. Poderíamos continuar infinitamente romantizando esse casal, mas seu relacionamento definitivamente não pode ser chamado de saudável.

10. Game of Thrones — Jaime e Cersei

Esqueça o fato de que esses dois são irmãos, o que por si só deveria ser um obstáculo para um relacionamento. Teoricamente, os espectadores deveriam odiar esse casal, mas muitos o trata com simpatia e empatia.

Jaime é o elo mais fraco do casal. Quando Myrcella morre, Cersei culpa Jaime por sua morte, mas quando Tommen falece, Jaime não culpa Cersei por isso, embora pudesse. Além disso, ela não pode ser chamada de fiel: assim que seu amado se ausenta, outro homem toma seu lugar.

Em sua opinião, que outro casal romantizado nos filmes de certa forma promove relacionamentos tóxicos?

3132
990
Compartilhar este artigo