Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

6 Razões pelas quais algumas crianças mais velhas amadurecem depressa (e isso não é nada bom)

Se você é o primogênito da família, é provável que tenha tido a “sorte” de passar por uma interessante metamorfose: em algum momento, deixou de ser a única criança para ser a mais velha. Por conta disso, possivelmente recebeu dos adultos novas responsabilidades, reprovações e grandes expectativas. E tudo isso por ser o mais velho.

Nós, do Incrível.club, analisamos a experiência de crianças mais velhas, reunimos as opiniões de psicólogos e tentamos determinar o caminho que os jovens pais podem seguir para criar filhos felizes e bem resolvidos. E como bônus, no fim do post, falaremos sobre uma das grandes vantagens de ser a irmã, ou o irmão mais velho.

1. Os filhos mais velhos tendem a saber o que é responsabilidade desde a infância

As pesquisas mostram que crianças mais velhas tendem a ser mais responsáveis ​​e a ter maior senso de coletividade. Isso ocorre porque os pais costumam depositar grandes esperanças nelas.

Os pais, geralmente, acostumam-se ao fato de sempre poder confiar em seus filhos mais velhos, e nem sempre percebem que eles podem se cansar de constantes responsabilidades. As frases, “agora você é o filho mais velho e deve se comportar como um adulto”, ou “você é o mais velho e deve ajudar, não atrapalhar”, infelizmente, são familiares para a maioria dos primogênitos.

  • Lembro-me de como minha mãe me disse: “Vamos te dar um irmãozinho ou irmãzinha, você vai cuidar dele e aprender a ter responsabilidades.” Então pensei que não estava esperando aprender a ter responsabilidade, mas não ousei dizer em voz alta. © LizavetkaBuyanit / Pikabu

  • Minha mãe tentava criar um filho que fosse responsável por suas ações. Eu tinha apenas dez anos e já colocaram sobre mim a responsabilidade sobre uma outra pessoa, ainda mais indefesa e vulnerável. Lembro-me até de quando nos reuníamos com os amigos, sempre com as crianças menores. Passeávamos com eles, depois íamos para casa e só então podíamos ficar livres, por uma hora e meia. Fazendo o papel de pais aos dez anos: ainda fico horrorizado quando me lembro. © S.Sever / Pikabu

  • Eu sou a primogênita de seis filhos. Todos nós cuidávamos dos mais novos, mas como eu era a mais velha, tornei-me a segunda mãe de todos eles. Nossos pais sempre ensinaram aos mais novos a me respeitar como uma irmã mais velha, e me colocavam como responsável por eles, deixando-os saber quem estava no “comando”. Nunca tirei vantagem disso. Quando criança, muitas vezes brigávamos e agora, que estamos mais adultos, conversamos mais sobre nossas vidas. Se há algum problema, eles falam comigo e eu dou meus conselhos. Se precisam de mim para conversar com nossos pais, eu também ajudo. © rami56743 / Reddit

2. Os irmãos mais velhos costumam se autocontrolar, em qualquer situação, para “servir de exemplo” aos caçulas

A criança mais velha é forçada constantemente a pesar suas palavras e ações. Afinal, uma irmã ou um irmão mais novo pode reproduzir esse “mau” comportamento. É daí que vêm o autocontrole forçado, a rejeição precoce da espontaneidade infantil e o perfeccionismo.

Muitas vezes, o medo de perder o respeito de uma criança mais nova obriga o filho mais velho a ajudar o menor com os deveres de casa, tarefas domésticas, etc. Dependendo da diferença de idade, a criança mais velha pode criar uma irmã, ou irmão mais novo. É assim que as crianças maiores aprendem habilidades de liderança importantes, enquanto as mais novas não.

Contudo, toda essa responsabilidade é exaustiva. Provavelmente, todas as crianças mais velhas já tiveram momentos em que também desejariam ter uma irmã ou irmão adulto, para poder relaxar e receber apoio deles.

  • Tenho dez anos de diferença para o meu irmão. Cuidei dele toda a minha infância: trocando fraldas, lavando, limpando e até aprendi a cozinhar. Agora, tenho 25 anos, sou solteira e não quero ter filhos. © Barmaley669 / Pikabu

  • Eu sou filha única. Todos os meus primos são mais jovens. Sonhava em ter um irmão mais velho que me ensinasse como o mundo funciona, para que eu não tivesse de descobrir tudo sozinha. Provavelmente por isso, desde que me formei no ensino médio, minha tendência é ter amigos em média uns cinco anos mais velhos. © small_latchamatte / Reddit

3. As crianças mais velhas, independente do caso, tendem a ser culpadas

Se as crianças brigam ou se comportam mal juntas, geralmente a culpa por suas travessuras recai sobre a mais velha. Parece injusto quando os irmãos mais novos se comportam mal e os adultos culpam o filho mais velho por isso.

Os psicólogos aconselham os pais a ter cuidado ao fazer comentários e a não tomar partido em conflitos. Isso pode inclusive virar um hábito: uma criança se acostuma a sair impune, enquanto a outra sempre se sentirá culpada.

  • Sou a filha mais velha e tenho dois irmãos menores. Era castigada pelos erros deles, como se fossem os meus próprios. E pior ainda: por fazerem travessuras, justamente porque eu não tomava conta direito deles. Além disso, mesmo eu sendo maior, brigávamos de igual para igual, e o maior castigo era meu, por ser a mais velha. © nadyozha28 / Pikabu

  • Na infância, eu era um manipuladorzinho. Quando era bem pequeno, eu e meu irmão estávamos sentados no banco de trás do carro e de repente comecei a chorar porque ele me bateu. Mas, na verdade, ele apenas disse: “Boom!”. Eu desabei a chorar, colocando meu irmão em uma grande encrenca. Ele respondeu que não havia feito nada. Mas por que uma criança fofa (eu) inventaria algo assim? Evidente que a culpa é da criança mais velha de cinco aninhos... © Steph Long / Quora

4. Os caçulas começam a briga, mas os outros não podem revidar porque “são mais velhos e espertos”

Frases como “você é mais velho, seja mais esperto”, “você tem de ceder, ele ainda é pequeno”, fazem a criança mais nova acreditar que tudo lhe é permitido, se ela quiser. Enquanto a mais velha pensa que os pais infringem as suas vontades, sempre em prol do filho mais novo.

Situações de rivalidade entre crianças são inevitáveis. E é principalmente o filho mais velho que precisa do apoio dos pais. É importante para ele entender que seu papel na família é especial, que ele é muito amado. Os pais devem valorizar e elogiar suas tentativas de ser paciente com o filho mais novo.

  • Prometi a mim mesma a nunca dizer aos meus filhos uma das frases mais infelizes que ouvi na minha infância: “você é a mais velha, seja mais esperta”. Eu e minha irmã temos uma diferença de idade quase igual à dos meus filhos e, claro, não repito isso para eles. © MetalMaiden / Pikabu

  • Meu irmão caçula zomba de mim e ninguém liga, só porque sou mais velho e mais forte. © Tri7on99 / Reddit

5. Os filhos mais velhos acabam acreditando que os caçulas são mais amados

Às vezes, os adultos punem algumas das crianças com mais severidade e outras mais brandamente. Eles definem requisitos diferentes, devido à diferença de idade ou gênero. Em outras palavras, alguns pais escolhem os que devem ser mais “protegidos”.

Um estudo da Universidade Cornell descobriu que 70% das mães podiam escolher um filho pelo qual tinham sentimentos particularmente mais afetuosos. Curiosamente, apenas 15% das crianças pesquisadas acreditam que suas mães amem igualmente todos os filhos.

No futuro, esse fato pode afetar seriamente a autoestima do filho que acredita ser “menos amado”. Na adolescência, essas crianças são mais propensas a desenvolver maus hábitos. Além disso, a tensão entre os filhos aumenta se um deles se sentir menos querido (ou pelo menos acreditar nisso).

Se os pais elogiam os sucessos e virtudes de um filho, devem elogiar o do outro também. Todos nós temos pontos fortes e fracos, e isso é completamente normal.

  • Um dos irmãos sempre será o favorito. Minha mãe criou quatro filhos. Ela amava principalmente meu segundo irmão, porque ele é responsável e independente. Nunca ouvi minha mãe falar mal dele, mas muitas vezes ela falou mal de mim e do meu primeiro irmão. © Sandy Morales / Quora

  • Eu gostaria de ser o filho mais novo. Minha mãe costumava fechar os olhos para as travessuras do meu irmão caçula e era muito dura comigo. Talvez haja outra explicação para isso, mas tenho certeza que é por eu ser o mais velho. © Purplewavyline / Reddit

  • Eu e meu irmão temos um ano de diferença e éramos inseparáveis. O principal não é comparar, mas tentar notar os talentos individuais e elogiá-los separadamente. Os pais devem comprar a mesma comida e brinquedos para todos. Muito depende do caráter e do temperamento inato dos próprios filhos, eles podem ou não se dar bem uns com os outros. © Angulema22 / Pikabu

6. As crianças mais velhas podem sofrer pela falta de espaço pessoal

Uma criança mais velha precisa de seu espaço pessoal, como prova de que a chegada de um bebê na vida da família não o limita em nada. Frases como “dê ao seu irmão mais novo o seu brinquedo” ou “você deve dar sua cama ao irmãozinho” aumentam a sensação de invasão de espaço pessoal.

Todos devem, na medida do possível, ter seu próprio canto, apenas com suas coisas. É sobre respeitar os seus próprios limites e os dos outros. Isso facilita sua interação com as pessoas. Alguém sem espaço pessoal e acostumado a isso, pode passar a perceber a grosseria e a arrogância de parentes ou colegas como a norma. Ou se retrai e, à menor tentativa dos outros de violar seus limites, mostra distanciamento ou agressividade.

  • Somos três irmãos e sempre tenho de deixar o resto de qualquer coisa para os mais novos. Ser um irmão mais velho às vezes é bem chato. © Champa_The_Great / Reddit
  • Tínhamos uma regra em casa com relação a todos os presentes “recebidos”: eles tinham de ser para todas as crianças da família. Mesmo que fosse o aniversário do mais novo, os outros também recebiam alguma lembrancinha. Quando o mais velho é apenas um garotinho de três anos, ele não compreende porque o outro irmãozinho ganhou um presente e ele não recebeu nada. Mesmo que seja uma simples caixa de lápis, um chocolate ou uma ferramenta de brinquedo, a criança sente que não foi esquecida. © Lottto / Pikabu

Quais problemas entre irmãos mais velhos e caçulas, você (ou seus filhos) já enfrentou? Que sentimento essas memórias lhe trazem?

Compartilhar este artigo