Incrível
Incrível

19 Ilustrações mostrando que podemos viver a maternidade com mais escolhas e menos julgamentos

A maternidade é uma experiência única para as mulheres. Só que, com ela, surgem milhares de questionamentos e, principalmente, muitos julgamentos ou “conselhos” que muitas vezes nem são solicitados. Mas qual será mesmo a melhor escolha de parto ou de como alimentar o seu bebê? Se não perdeu os quilinhos extras da mesma forma que a amiga, será que você está fazendo algo de errado?

Nós, do Incrível.club, amamos trazer para você dicas de como viver bem. E como seria bom se pudéssemos entender que alguns aspectos da “missão” de ser mãe, não têm certo ou errado, e sim diferentes abordagens. Mães, fiquem tranquilas. E aproveitem para se deleitar com as ilustrações a seguir, que não te julgam por suas decisões.

1. Sobre ter muitos filhos ou somente um

O número de filhos pode depender da vontade da mãe ou ser uma decisão do casal. Ter um filho só ou ter vários não importa muito. Só é importante ter muita paciência, tranquilidade e poder sustentar financeiramente uma família grande.

2. Sobre ter parto normal ou fazer cesárea

Desde que não haja nenhuma contraindicação do médico que fez o pré-natal, a mulher pode, sim, escolher qual método é o melhor na hora de ter o bebê.

3. Sobre ter o bebê em casa ou no hospital

parto humanizado, com a ajuda de um ou de vários especialistas, tem sido cada vez mais solicitado pelas mães, inclusive pelas famosas. No entanto, da mesma forma que no caso anterior, se a mãe quer e se o obstetra autorizar, qualquer um dos dois ambientes é indicado.

4. Sobre fazer atividade física ou ficar de repouso

Algumas mulheres que já fazem exercícios podem solicitar ao obstetra a indicação para continuar se exercitando na gravidez. Mas existem também aquelas que não desejam fazê-lo ou, ainda, não podem por solicitação médica. Tudo bem também, cada uma no seu ritmo.

5. Sobre fazer chá de bebê ou não

Receber amigos e parentes em uma festa para comemorar a chegada do bebê é uma ótima ideia para a maioria das mamães. No entanto, se você não gosta de tanta agitação, pode preferir não fazê-lo.

6. Sobre saber o gênero do bebê antes ou só depois do parto

Uma pergunta que a maioria das pessoas faz assim que a mulher engravida é: “Já sabe se é menino ou menina?” Enquanto muitos pais querem logo saber a resposta dessa pergunta (e até promovem chás de revelação para divulgar a amigos e familiares), outros optam por saber somente na hora do parto. E está tudo certo, seja qual for a decisão.

7. Sobre ter a gestação antes ou depois dos 30

Hoje em dia, cada vez mais mulheres estão adiando a gravidez por uma série de motivos. Já outras, decidem ter filhos mais cedo. Excetuando alguns problemas de saúde, a questão da idade hoje não faz tanta diferença. O importante, em qualquer caso, é seguir todas as recomendações médicas e realizar os exames no seu tempo.

8. Sobre ser mãe solo ou ter a ajuda do pai

Apesar de algumas mulheres contarem com o pai do bebê para ajudar na criação, existem aquelas que, pelas mais diversas razões, são mães solo e lidam muito bem com isso.

9. Sobre a vida profissional quando chegam os filhos

Algumas mães escolhem cuidar de seus bebês e dão um tempo no trabalho. Ou, ainda, passam a trabalhar apenas em casa, para se dedicar a eles. Em contrapartida, outras lidam com maestria com a “missão” da maternidade e a questão do trabalho fora. Mais uma vez, não há uma regra, mas sim o que cada mulher escolhe ou pode fazer.

10. Sobre amamentar ou dar fórmula nos primeiros meses

Amamentar ou dar fórmulas infantis pode ser uma decisão que a mãe vai ter junto com o pediatra. No entanto, essa nem sempre é uma escolha. Muitas acabam tendo problemas na “produção” do leite ou na “pega” do bebê. Nesse momento, o leite industrializado vai auxiliar na alimentação da criança.

11. Sobre ensinar em casa ou na escola

Apesar de ainda não ser uma opção em todo o Brasil, somente no Distrito Federal, muitos pais têm interesse no método de educação domiciliar, que é muito utilizado em países como EUA, Canadá e Austrália. No entanto, outros ainda preferem que os filhos frequentem a escola no método tradicional.

12. Sobre ter voltado rápido ou mais lentamente ao corpo de antes

Cada mulher tem um corpo e um ritmo diferente. Se a amiga ou aquela atriz famosa conseguiram voltar ao peso anterior em um ou dois meses, outras mães podem não seguir esse mesmo ritmo. E isso é bastante normal.

13. Sobre o tipo de alimentação para o bebê

Muitos pais não abrem mão de fazer uma refeição fresquinha para os filhos. Por outro lado, existem aqueles que acreditam que não há nada melhor para dar ao bebê do que uma papinha pronta, feita por especialistas.

14. Sobre a melhor hora para ir dormir

Alguns estudos sugerem que o importante é o tempo de sono. Para o bebê, isso equivaleria a entre 12 e 17 horas, dependendo da idade. No entanto, especialistas explicam que o essencial é quanto tempo de sono a criança terá somado ao longo do dia, no total das várias sonecas.

15. Sobre ter ou não barulho ambiente

De acordo com especialistas, cada bebê tem seu ritmo próprio para dormir. Alguns só adormecem com muito silêncio. Outros caem no sono mesmo com muito barulho. Mas até mesmo aquelas crianças que têm dificuldade para dormir podem ser acostumadas com sons. Uma alternativa é adaptar esse bebê aos chamados “ruídos brancos” como os da TV, rádio ou ventilador. Outra opção interessante é baixar aplicativos que produzem sons que o ajudam a dormir; alguns, aliás, simulam os sons que o feto ouvia na barriga da mãe.

16. Sobre usar tecnologias desde bebê ou só quando for maior

Estudiosos de um site de pediatria explicam que, a partir dos 2 anos, as crianças podem se beneficiar do uso, por exemplo, de ferramentas de vídeo para aprender palavras novas, desde que acompanhadas de um cuidador. O número de horas usando tais aparelhos varia conforme a idade. Crianças de 2 a 5 anos, por exemplo, devem ter, no máximo, uma hora de tela por dia.

17. Sobre fazer mesversário ou somente aniversário

Uma febre que chegou há alguns anos no Brasil, a comemoração do “mesversário”, tem caído no gosto inclusive de famosos. Alguns pais amam mostrar a todos a evolução do seu pequeno, já outros acham a exposição desnecessária, ou simplesmente não se interessam. Eles acabam optando, mesmo, por comemorar somente quando o bebê completa um ano.

18. Sobre colocar brincos no bebê ou não

Não há entre os especialistas um consenso sobre qual é a melhor idade para furar as orelhas e colocar brincos. Alguns dizem que pode ser a partir do 15º dia; outros sugerem que o processo deve ocorrer depois de tomadas primeiras as vacinas. Quanto ao material dos brincos, há, sim, um consenso. Eles devem ser de metais nobres (prata, ouro ou aço cirúrgico).

19. Sobre conviver ou não com animais de estimação

Muitos pais ficam na dúvida se devem adquirir, ou até permanecer, com animais de estimação depois da chegada de um bebê na casa. De acordo com especialistas, o convívio é permitido. Eles, inclusive, listam uma série de benefícios para a criança, desde que haja supervisão constante. Já para os pequenos que têm alergia, por exemplo, um peixinho pode ser uma boa opção.

Se você ficou curioso para saber mais sobre maternidade

Queremos te apresentar Aleksandra, uma mãe de dois filhos que desenha quadrinhos sob o pseudônimo de mamashamonster. E trazemos para você uma seleção especial de seus trabalhos. Confira clicando aqui.

Se identificou com alguma ou com várias ilustrações? Tem mais alguma coisa que acredita que faltou na lista? Conte para nós nos comentários.

Compartilhar este artigo