Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
12 Histórias mostram como o trabalho pode ser divertido

12 Histórias mostram como o trabalho pode ser divertido

Mesmo trabalhando num ambiente sério, com regras rígidas, é impossível evitar que pelo menos uma vez ocorram situações ridículas ou engraçadas.

O Incrível.club selecionou 12 histórias divertidas que aconteceram no ambiente trabalho de uma grande variedade de pessoas, desde um policial a um promotor de eventos fantasiado de cachorro-quente.

  • Eu ia pedir demissão do trabalho e queria fazer isso de uma forma charmosa e inesquecível. Previamente solicitei por escrito minha demissão e falei com meu chefe, que se mostrou um homem de enorme senso de humor. Então chegou o dia “X”. Fui trabalhar como de costume e até terminei um relatório para disfarçar. De repente, no escritório, meus amigos entraram, os seis estavam vestidos com um uniforme das forças especiais (usando até armas e máscaras, como nos filmes). Eles se aproximaram de mim correndo. Cruzaram meus braços nas costas e me levaram dizendo: “Finalmente, nós o pegamos”. Tenho saudade daquela bagunça.
  • Estou no aeroporto à espera do avião e reparo como um técnico ajuda o piloto a aterrissar corretamente. Vejo como ele estende os braços lentamente para os lados, depois os cruza sobre a cabeça e, assim, os pilotos param o avião. Enquanto isso, o técnico levanta o polegar dando “ok”, quando, de repente, começa a saltar e a dançar gritando. No final dá o último salto, terminando fazendo um “split”, como se fosse o Michael Jackson. Esse homem realmente ama o seu trabalho!

  • Estou de férias. Hoje, às sete da manhã, minha chefe me ligou e disse com uma voz estranha: “Você tem apenas 7 dias...” E, rindo, desligou o telefone.

  • No nosso time há uma pequena tradição, mas muito agradável. A cada mês, escrevemos aleatoriamente numa folha de papel o nome de um dos companheiros de trabalho e nos tornamos seu “amigo invisível”. A tarefa consiste em lhe fazer secretamente surpresas agradáveis. É muito bom receber pela manhã belas anotações, maçãs, doces, mensagens... e também dar esses presentes, sem que a pessoa saiba. Recomendo, pois essas atitudes unem toda a equipe.

  • Meu marido trabalha consertando telefones celulares. Ele recebe celulares de todos os tipos: afogados na sopa, lavados com as mãos, os que caíram de uma varanda... Sempre achei divertido saber o que tinha acontecido com os pobres dispositivos. Achava engraçado até eu afogar meu telefone no vaso sanitário. Duas vezes.

  • Trabalho em uma empresa de telefonia móvel e, quando falo com um cliente, não só o ouço, mas também todos os sons que o rodeiam. Uma vez aconteceu uma história engraçada. Uma mulher ligou e começou a expressar seu descontentamento. E, de repente, ouço uma campainha desagradável em seu apartamento, um som muito agudo para os meus ouvidos. Então, eu lhe digo: “Senhora, vá primeiro a abrir a porta e então, se quiser, continuamos essa conversa”. Uma pausa... e então a voz dessa mulher, horrorizada, gritando do telefone: “João, traga-me logo uma bata, porque também podem nos ver!”
  • Tenho um novo emprego. Meu chefe se chama Júlio Bombana. Antes de nos censurar por algum erro, ele pronuncia a seguinte frase: “O Bombana está prestes a explodir!” É um homem brincalhão, sem dúvida nenhuma.
  • Como resultado de viajar com frequência a negócios e ainda precisar realizar reuniões, como regra geral organizamos uma videoconferência via Skype. Em um desses dias aconteceu de, primeiro, minha esposa me ligar para eu falar com minha filha mais nova e, então, quase imediatamente depois, receber uma ligação do trabalho. Então algo em minha mente deve ter se confundido, porque eu me despedi de meus colegas com a seguinte frase: “Eu amo vocês, amores da minha vida”. Nunca ouvi tantos gemidos espirituosos antes.
  • Hoje fui a uma entrevista. A pessoa dos recursos humanos encarregada me deu um laptop e me desafiou: “Tente vendê-lo para mim”. Bem, peguei o laptop, saí com ele da sala e fui embora. Quando cheguei em casa, o chefe dos recursos humanos me ligou e começou a gritar histericamente: “Devolva meu laptop imediatamente!” Eu disse: “Não quero vender. Mas, se você faz questão, 7.500 reais e é todo seu”.
  • Trabalho como promotor de eventos: distribuo anúncios publicitários vestido de cachorro-quente. Dentro da fantasia, o calor é sufocante, então eu costumo usar apenas cueca. Hoje, justamente na hora do pico do trabalho, precisei ir ao banheiro. Penso que é fácil imaginar o olhar desconfiado das pessoas diante de um cachorro-quente que tentou, furiosamente, mas sem sucesso, entrar em uma das cabines públicas reservadas para esse propósito e, logo depois, histericamente, tirar a fantasia para entrar correndo apenas de cueca.

  • Um incidente engraçado foi aquele que presenciei no hospital. Nos assentos havia um casal de idosos. O senhor segurava seu coração, gemia ofegante, então o médico se aproximou dele e se ofereceu para realizar um exame. O senhor mudou a expressão do rosto completamente, ficou pálido e, balbuciando, começou a dizer: “Você não... não, não você... Eu lhe apliquei a prova final na Universidade de Medicina. Sei que mataria um paciente antes de medir da força correta sua temperatura! Querida, meu coração não está doendo tanto, vamos sair daqui!” Esse foi o caso em que o aluno, se não conseguiu superar o professor, pelo menos o assustou.
  • Uma amiga minha tinha uma entrevista de emprego, mas, no caminho, foi mordida por uma vespa. Além disso, a mordida não foi num lugar discreto, mas em seu rosto (e o bicho acabou ficando preso em seus cabelos). Sua face, claro, inchou imediatamente, mas minha amiga, como se nada tivesse acontecido, decidiu ir ao compromisso de trabalho mesmo assim. Um de seus olhos nem estava mais visível. Ela disse que sua aparência estava bem melhor antes da picada da vespa, mas, se não quisessem entrevistá-la, poderiam adiar isso. E foi contratada imediatamente. Eles lhe disseram que, se ela apareceu nesse estado, então provou ser uma pessoa responsável, exatamente o que precisavam.
Produzido com base em material de Палата №6, Pikabu