Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

11 Condutas que podem ajudar a melhorar o vínculo e a comunicação entre pais e filhos adolescentes

Criar um filho não é uma tarefa fácil, mas durante a adolescência, parece que o desafio se torna ainda mais complicado porque o jovem fica com as emoções à flor da pele e costuma desafiaer todo tipo de autoridade. Essa dinâmica pode deixar os pais irritados e até causar muita turbulência no relacionamento familiar. Mas existem algumas attudes que os adultos podem ter para melhorar a comunicação e o vínculo com seus filhos.

Confira abaixo os 11 conselhos práticos separados pela equipe do Incrível.club, que podem ajudar a melhorar o dia a dia de uma família com filhos jovens e adolescentes.

1. Procure estipular limites sensatos em relação aos passatempos

Muitos adolescentes passam tanto tempo jogando videogame que quando os pais os chamam para comer, eles não respondem, o que leva muitos adultos a se perguntarem: “Poxa, preciso implorar para esse menino comer?” Não, claro que não. Especialistas explicam que o ideal é não proibir os jogos, já que eles acontecem virtualmente e muitas vezes são a forma que os jovens têm de compartilhar experiências em grupo.

Em casos assim, o ideal é estimular o uso moderado do videogame. Você pode fazer isso demonstrando a importância da presença do jovem nos encontros familiares; ou seja, mostrar que todos sentem falta dele. Você também pode convidar o seu filho a praticar outras atividades, ou simplesmente dizer que lamenta a ausência dele nos eventos familiares. No começo, o jovem pode mostrar resistência, mas a ideia é que ele mesmo encontre as motivações internas e passe a estipular limites de tempo, pensando em outras formas de ócio e nas diferentes obrigações sociais que todos temos.

2. Seja um bom ouvinte

É muito comum as pessoas serem ótimas para falar e péssimas para escutar. Frequentemente, quando uma pessoa nos conta seus problemas, pensamos mais no que vamos responder do que no significado daquilo que estamos ouvindo; ou seja, não percebemos que ouvir é tão importante quanto falar durante a comunicação.

Tente prestar atenção no que seu filho está dizendo, mesmo não concordando. Procure entender e acessar os sentimentos dele, inclusive se discordar. Quando ele finalmente parar de se expressar, coloque o seu ponto de vista sem julgar, nem minimizar sentimentos.

3. Procure estimular o jovem a expressar os sentimentos

É muito comum os adultos se lembrarem com um pouco de vergonha das coisas que os deixavam tristes e que pareciam uma enorme tragédia na adolescência. No entanto, quando o seu filho contar algum problema que esteja passando, não minimize suas emoções e dê espaço para ele expressar os seus sentimentos.

Da mesma forma que não podemos combater uma doença sem saber os sintomas, não conseguimos resolver o problema do nosso filho sem saber o que de fato está acontecendo, e isso inclui falar de sentimentos. Segundo um estudo, os adolescentes que conseguem descrever as emoções negativas de forma precisa, estão mais protegidos de problemas maiores, como a depressão.

4. Estimule a confiança e fale abertamente sobre as consequências de uma mentira

É muito comum os pais ficarem bravos com os filhos quando eles mentem. Por exemplo, quando o filho diz que vai estudar e, na verdade, vai a uma festa com os amigos. No entanto, o melhor é evitar a gritaria e mostrar com seriedade que a desonestidade gera insegurança. E mais, é importante mostrar que uma mentira pode afetar a confiança e fazer com que as liberdades sejam completamente reduzidas.

5. Procure resolver os problemas e respeitar o espaço do jovem ao mesmo tempo

Se após uma discussão sua filha se fechar no quarto e gritar “Me deixa sozinha!”, muito provavelmente você vai querer abrir a porta da mesma forma para afirmar, gritando: “A casa é minha!”. Contudo, esse tipo de comportamento não resolve o problema e não ajuda ninguém. Após uma briga, nosso cérebro entra em processo de fuga, e o único lugar que o adolescente tem para se esconder é o seu quarto.

Nesse sentido, espere um pouco e quando todos estiverem mais calmos, mostre que você está pronto a fazer as pazes; se quiser, mande uma mensagem de paz e convide o jovem ou a jovem para dar um passeio. Pais de adolescentes que enfrentam os problemas de frente, mas com sabedoria, tendem a viver relacionamentos mais sólidos.

6. Às vezes, eles podem dizer coisas que não pensam de verdade

Muitas vezes os adolescentes dizem coisas agressivas sem pensar. Frases como “Não aguento mais morar aqui!”, machucam e nos fazem pensar que o jovem não valoriza o que fazemos por ele. Mas acontece que na adolescência a pessoa está com as emoções à flor da pele, porque as áreas do cérebro que controlam os sentimentos ainda estão em construção.

Essa instabilidade faz com que o jovem solte todas as emoções em ambientes onde ele se sente querido e, simultaneamente, reprimido (é improvável pensar que um adolescente possa gritar com os amigos; ele o faz com os pais porque sabe que o amor deles é incondicional). Em casos assim, você pode dizer: “Ok, você está frustrado, e eu entendo, mas estou me sentindo atacado, então é melhor conversarmos mais tarde”. Quando os ânimos estiverem mais calmos, converse com o seu filho e mostre que os insultos nunca ajudam na comunicação.

7. Seja coerente

Se disser ao seu filho “Não fique tanto tempo vendo televisão”, enquanto fica horas e horas “maratonando” sua série favorita, você passará uma mensagem contraditória para o jovem. A comunicação não verbal é tão importante quanto o que falamos, sobretudo quando temos alguém em casa que está apenas esperando um motivo para desafiar a nossa autoridade.

8. Mostre que você confia no jovem

Os adolescentes adoram se sentir independentes, e uma forma de ajudá-los é mostrando que nós os levamos a sério. Nesse sentido, pequenos gestos importam mais que mil palavras. Você pode demonstrar a importância da opinião do seu filho dando-lhe o direito de escolher algumas coisas, como, por exemplo, os pratos de uma refeição da família.

Você também pode pedir um favor, o que sugere confiança, ou dar algum privilégio (normalmente associado à responsabilidade), como chegar um pouco mais tarde em casa. Você pode ainda dar uma mesada, para o seu/a sua adolescente aprender a controlar o próprio dinheiro.

9. Mostre como ele é importante

É normal o jovem duvidar de si mesmo durante a fase em que a personalidade está sendo formada; nesse sentido, destacar pequenas e grandes conquistas é uma forma de ajudar o adolescente e ter mais autoconfiança.

Embora os adolescentes finjam que não se importam com a opinião dos pais, eles estão o tempo todo em busca de aprovação. Valorizar as coisas que eles fazem bem é uma forma de deixar a relação entre pais e filhos muito mais saudável.

10. Não tome decisões quando estiver irritado

Quando os ânimos estiverem agitados, o melhor é não decidir nada do que possamos nos arrepender. Se o seu filho fizer algo de errado e você gritar “Vai ficar de castigo no quarto por um ano!”, é provável que ele aprenda uma lição errada, ou seja, ele dará mais atenção à bronca do que ao entendimento de que aquilo que fez, está errado.

Para evitar problemas assim, lembre-se de que o mais importante é resolver a questão, e isso não vai acontecer se você decidir agir com os nervos à flor da pele. Espere a cabeça esfriar para voltar ao assunto; além de tomar melhores decisões, você mostrará como é importante controlar a raiva na hora de uma briga.

11. Deixe o jovem aprender com os erros

Durante a adolescência o jovem está o tempo todo tentando descobrir quem ele é e o que pode e não pode fazer. Portanto, deixe o seu filho cometer erros, só assim ele vai aprender a lidar com a vida, com as coisas boas e as ruins. Não o culpe o tempo todo e não fale coisas como “Eu avisei”. O importante é que ele sabia que, aconteça o que acontecer, você sempre estará ao lado dele.

Que outros conselhos você considera importante para pais de filhos adolescentes? Você se lembra dos problema que precisou enfrentar durante essa fase?

Compartilhar este artigo