Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Exercícios para desenvolver a inteligência emocional em nossos filhos

Se o mundo físico e palpável pode ser um lugar tremendamente complexo, o mundo emocional — dos sentimentos, impossível de ser tocado — pode acabar sendo impraticável, se não estivermos preparados para enfrentá-lo. Um mundo cujo controle é realmente difícil para os adultos — com sua bagagem, experiência e conhecimentos — pode ser ainda mais complicado para as crianças, caso não saibam canalizar suas emoções e identificá-las no momento adequado.

A aprendizagem precoce e oportuna das emoções e da inteligência emocional por nossos filhos pode facilitar o processo. É por isso que o Incrível.club oferece uma série de atividades para trabalhar esses aspectos com as crianças.

1. Ler histórias

Os benefícios da leitura em todas as idades são muito conhecidos, e pode ser uma valiosíssima ferramenta na hora da aprendizagem emocional. Na mais tenra idade, a escolha de um livro adequado sobre a emoção que estamos trabalhando, pode nos ajudar a fazer a criança visualizá-la, enxergando-a refletida de outra forma, sem perder a diversão presente nos livros.

A leitura com esse propósito oferece muitos benefícios:

  • a internalização e a aprendizagem de uma nova emoção e o que ela envolve;
  • a empatia;
  • o conhecimento para poder identificá-la e diferenciá-la.

Conseguiremos tudo isso somente com uma leitura atenta da história, mas, se quisermos nos aprofundar, podemos sempre fazer perguntas sobre as narrativas voltadas para as emoções. Por exemplo: “O que você acredita que o personagem deva sentir?”, “Por que acha que ele se sente assim?” ou “Como você se sentiria?”

2. Representação das emoções usando brincadeiras com bonecos

Essa atividade é a mais prática e requer maior envolvimento e compreensão das emoções, já que, do contrário, seria complicado representá-las corretamente. Os pequenos deverão encenar uma história curta, com os personagens que escolherem (bonecos, bichinhos de pelúcia ou outro da sua preferência). A emoção e o lugar serão definidos pelo lançamento de dois dados, que nós mesmos podemos fazer (só precisaremos de papel, tesouras, cola e uma caneta, para escrever as emoções em um dado, e os lugares no outro, nas diferentes faces).

Assim, consolidaremos e internalizaremos seu conhecimento sobre a emoção trabalhada, desenvolvendo sua imaginação e inventividade para o desenrolar da história e sua capacidade de linguagem. Além de todos esses benefícios, a diversão é garantida.

3. O desenho é uma forma de se expressar

A maioria das crianças gosta de desenhar, portanto, esse meio de aprendizagem pode ser extremamente interessante e útil para elas. É simples, basta pedir à criança que reflita em seu rosto diferentes emoções, enquanto se observa em um espelho, e vá desenhando em um papel do jeito e com as cores que preferir. Também podemos pedir que desenhe o que identifica ou relaciona à alegria, à tristeza, ao medo e às demais emoções; assim, saberemos exatamente o que cada um desses sentimentos significa para ela e a que os associa.

Ao desenhar, não só trabalharemos o reconhecimento e a aprendizagem das emoções, como, simultaneamente, desenvolveremos a criatividade e as habilidades da criança.

4. Junte a música e a pintura

A música é um ótimo meio para expressar as emoções e também para experimentá-las, por isso podemos nos servir dela, associada à pintura, para trabalhar esse aspecto com os pequenos. A proposta é oferecer às crianças algumas peças musicais e lhes pedir que pintem o que sentem, ou seja, as emoções experimentadas com a música. Dessa forma, as crianças irão explorar livremente o mundo das emoções e as refletirão do seu jeito e de acordo com a sua própria visão de mundo e da vida.

5. Roda das emoções

Mesmo na idade adulta, administrar algumas emoções e lidar com elas pode ser realmente complexo, e para as crianças muito mais difícil, pois ainda não contam com conhecimentos e experiências suficientes. Essa atividade, conhecida como “roda das opções da disciplina positiva” vai nos ajudar nessas situações. Consiste em fazer uma roda ou roleta, que dividiremos em partes, e em cada uma delas colocaremos uma das formas como a criança pode agir ao ficar brava, ao se frustrar ou ficar triste (perguntaremos ao pequeno sobre as possíveis formas de agir, em um momento em que esteja calmo, e a partir disso analisaremos as possíveis reações). Desse modo, quando a criança experimentar alguma emoção ou sentimento negativo que mexa com ela, poderá girar essa roleta e agir de acordo com o que lhe sair.

6. Dicionário ou “emocionário”

Criar ou elaborar um dicionário das emoções, ou “emocionário”, com os nossos filhos, pode ajudá-los a reconhecer e a identificar as emoções neles próprios e a expandir seu vocabulário. A atividade é simples e consiste em procurar juntos, em revistas ou na Internet, fotografias que representem uma determinada emoção. Devemos recortar as imagens encontradas, colar no papel e escrever ao lado o nome da emoção, em letras grandes. Além disso, podemos aproveitar para conversar e aprofundar um pouco mais sobre aquela que acabamos de encontrar.

7. Filmes com mensagem e ensinamento

Outro recurso dinâmico que pode ser divertido para toda a família são os filmes com uma clara mensagem e que falam de sentimentos. Com alguns filmes apropriados à idade dos nossos pequenos, eles podem ver as emoções representadas e, no final da projeção, podemos fazer perguntas sobre o ensinamento emocional deixado pela história que acabaram de ver.

8. Mímica para se expressar

O exercício se assemelha muitíssimo ao tradicional jogo de adivinhar o nome do filme, a profissão ou o animal, porém, neste caso, substituiremos tudo pela representação dos sentimentos. Para conseguir jogar, faremos cartas nas quais escreveremos diferentes emoções (podemos colocar desde as básicas até algumas mais complexas) e as colocaremos viradas para baixo. Enquanto alguém tenta representar a emoção que pegou, usando a mímica, os outros tentarão adivinhá-la.

Esse é um jogo divertido e uma ótima atividade para a aprendizagem das emoções, seu reconhecimento e estimular a convivência familiar.

9. Exercícios de relaxamento

Assim como os adultos às vezes precisam parar e respirar profundamente, as crianças também podem sentir a mesma necessidade. A capacidade de nos acalmar ou relaxar em momentos de grande carga emocional requer prática e é o mesmo vale para os pequenos; portanto, é preciso ensiná-los a parar, respirar profundamente (da maneira adequada) e se acalmar. Para as crianças, será mais fácil, se fizerem algum movimento, mas há vários exercícios recomendados para elas, que as ajudarão a aprender a controlar suas emoções por conta própria, como a ioga ou a meditação.

10. A receita da felicidade

Vamos preparar uma receita com os nossos filhos e, para isso, escolheremos os ingredientes e as quantidades necessárias para alcançar a felicidade, como se estivéssemos selecionando os ingredientes para preparar um prato delicioso. Dessa forma, o pequeno aprenderá a identificar aqueles sentimentos e emoções que são fundamentais para si e para os outros, aprendendo a priorizá-los e a se conhecer melhor.

Como você trata as emoções com seus filhos? Por que considera essencial trabalhar esses aspectos com as crianças?

Compartilhar este artigo