Incrível

10 Dicas para você se comunicar melhor nas redes sociais

--1-
234

Parole Ostili é um projeto italiano que busca conscientizar sobre a linguagem que usamos, concentrando-se especialmente no modo com o qual o qual nos expressamos nas redes sociais. Após um simpósio realizado em 2017, foi criado o Manifesto de comunicação não hostil, no qual é proposto um decálogo para o uso correto da Internet e é sugerida uma linguagem específica para nos comunicarmos nas redes sociais. A questão, como mostra o projeto, é escolher com responsabilidade cada palavras que utilizaremos. Afinal, elas, as palavras, carregam um peso. E, como diz um ditado, palavras lançadas ao vento (ou, nesse caso, escritas nas redes sociais) não voltam.

Incrível.club apoia a comunicação positiva em todas as áreas, pois ela influencia diretamente cada uma de nossas relações. Por isso. deseja compartilhar com você 10 dicas que podem ajudá-lo a ter conversas melhores na Internet. Você se anima a colocá-las em prática?

1. O virtual é real

“Digo e escrevo na rede apenas as coisas que tenho a coragem de dizer pessoalmente”

Você seria capaz de dizer a uma pessoa o que escreve nas redes sociais cara a cara? Às vezes pensamos que, por trás de uma tela, estamos protegidos por um anonimato que nos dá permissão para atirar pedras a torto e a direito. Porém, assim como existem crimes cibernéticos (como o cyberbullying, roubo de dados ou de identidade) que podem ser punidos na vida real, qualquer insulto ou ataque que você faça por meio de suas redes sociais também pode ferir e afetar a pessoa que os recebe. Da mesma forma, tenha cuidado com quem não mostra seu rosto ou se esconde atrás de um pseudônimo, pois suas intenções nem sempre são boas.

2. Somos o que comunicamos

“As palavras que escolho demonstram a pessoa que sou: me representam”

O que você compartilha em suas redes sociais, suas fotos, seus memes e até textos filosóficos fazem parte da imagem que você projeta de si mesmo para o mundo. Da mesma forma, cada palavra que escolhe e a maneira como se expressa dão aos seus interlocutores uma ideia muito precisa de quem você é como pessoa, como é o seu modo de pensar e sua atitude em relação à vida em geral. Então, o que escreve pode fazer com que pareça alguém imaturo, rude, violento ou intolerante.

3. As palavras dão forma ao pensamento

“Tomo todo o tempo necessário para expressar o melhor possível meu pensamento”

George R. R. Martin, autor de Game of Thrones, disse: “As palavras são como flechas. Uma vez lançadas, não há como recuperá-las.” É por isso que precisamos dedicar o tempo necessário para ler e analisar nossas mensagens escritas antes de pressionar o botão “enviar”. Essa é uma das grandes vantagens da comunicação escrita sobre a comunicação oral, pois nos permite revisar nossas palavras antes que elas cheguem ao destinatário. Devemos evitar escrever e-mails, tuítes ou mensagens do Facebook quando estamos com raiva. É importante pensar antes de escrever, reler o que está escrito e verificar se estamos expressando o que realmente queremos. Por fim, nunca é demais lembrar a importância do respeito à ortografia e à gramática. Lembre-se de que seus erros também dizem muito sobre você.

4. Antes de falar, é preciso ouvir

“Ninguém tem sempre a razão, eu também não. Ouço com honestidade e abertura”

Pelo próprio funcionamento das redes sociais, geralmente nos cercamos de informações e mensagens que são uma espécie de eco do que pensamos e acreditamos. É a chamada “bolha”. Mas quando essa harmonia informativa é quebrada, sentimos perder um pouco o chão. No entanto, é necessário aprender a ouvir e ler opiniões diferentes das nossas. Não é bom se fechar em uma única versão das coisas ou acreditar que cada um de nós tenha a verdade absoluta nas mãos. Respeitar as outras pessoas é permitir que se expressem e saber como responder com a devida educação.

5. As palavras são uma ponte

“Escolho as palavras para compreender, me fazer entender e me aproximar dos demais”

Como bem explica a analogia anterior, as palavras precisam ser usadas para unir, não para separar. Sabendo escolher cada uma que usamos, com argumentos consistentes, podemos construir relações mais fortes, ajudar alguém ou mostrar empatia pelos outros. Ao contrário, os insultos ou ataques que escrevemos podem se tornar muros ou abismos que nos isolarão e nos separarão mais das pessoas.

6. As palavras têm consequências

“Sei que cada uma das minhas palavras pode ter consequências maiores ou menores”

Não podemos ser impulsivos com nossas palavras, pois elas não são gratuitas. O que falamos e como dizemos sempre tem impacto nos outros. É por isso que devemos estar cientes do que escrevemos em nossas redes sociais. É importante ter clareza de que o que para nós pode ser um comentário inofensivo, engraçado e debochado, para outra pessoa pode se tornar algo ofensivo e insultante. Todo mundo tem o poder de decidir que efeito quer causar nos outros com as palavras que escreve.

7. Compartilhar é uma responsabilidade

“Compartilho textos e imagens apenas depois de tê-los lido, analisado e compreendido”

Como pressionar o botão “compartilhar” em nossas redes sociais é muito fácil e de graça, nós o fazemos muito livremente, sem ter o tempo necessário para entender se o que estamos compartilhando é verdadeiro, útil ou se pode prejudicar alguém. As notícias falsas, mensagens maliciosas e até vírus são o resultado direto de não pensarmos ou de não assumirmos a responsabilidade pelas coisas que compartilhamos em nossas redes sociais.

8. As ideias podem ser discutidas

“As pessoas devem se respeitar. Não transformo quem defende ideias que não compactuo em um inimigo que é preciso eliminar”

Como vivemos em um mundo onde a diversidade é normal, temos de aprender a viver juntos e a respeitar aqueles que não pensam como nós. É importante entender que as ideias dos outros são tão necessárias quanto as nossas. Nem todo mundo pensa da mesma forma que você, mas não é por isso que essas pessoas estão contra a sua pessoa ou são seus inimigos. Você pode aprender com os outros, sempre mantendo uma linha de respeito que deve ser recíproca.

9. Os insultos não são argumentos

“Não aceito insultos nem agressividade, nem que sejam a favor de minha tese”

Um insulto não tem qualidade em si, mas é uma palavra vazia que visa apenas a prejudicar ou menosprezar o outro. Desqualifica mais a pessoa que o diz do que a quem é dirigido. Esse ponto também se refere à não permissão de uma linguagem agressiva, mesmo que se manifeste a favor do que você acredita ou pensa. Em nenhum caso é correto insultar ou se dirigir às outras pessoas de forma depreciativa.

10. O silêncio também comunica

“Quando a melhor escolha é calar, eu me calo”

Estamos conectados e recebendo informações quase continuamente. As mensagens e também os ruídos nos chegam constantemente quando estamos presos às nossas diversas redes sociais. É por isso que, assim como as palavras comunicam, o silêncio também diz muito. Ficar em silêncio pode ser um sinal de respeito e sabedoria, ainda mais nos dias de hoje, em que todos querem que sua voz seja ouvida. Não é por falar ou escrever mais que você terá razão. Se não tem nada de bom para dizer, é melhor não dizer nada.

Nossa liberdade de expressão não é apenas um direito, mas deve ser tomada como um privilégio do qual devemos aproveitar responsavelmente. O que você pensa desse manifesto? Acha que pode segui-lo e compartilhá-lo com outras pessoas? Conte-nos na seção de comentários.

Imagem de capa The Longest Ride / Fox
--1-
234