Incrível

17 Ilustrações sinceras de uma artista que vê a maternidade com humor

Rose Matas, uma ilustradora e mãe que entende muito bem o que é a maternidade, desenha de uma maneira simples, honesta e divertida suas próprias vivências. Seu trabalho compreende desde as noites sem dormir, devido à incrível energia de um bebê, até o quão controladora pode se tornar quando se trata desse ser que ama mais-que-tudo.

Incrível.club compreende a complexidade que é ser mãe, por isso quer animá-la compartilhando o lindo trabalho dessa artista. Confira!

1. “Ele sabe muito bem o que quer. Embora não fale, diz tudo claramente”

2. “Dedicado a todas as pessoas que tiveram de se afastar dos seus entes queridos”

3. “Mais um dia trancados com ele apontando o dedo”

4. “Às vezes, trocar uma fralda é uma luta”

5. “Pelas manhãs, bem cedinho, sua energia é proporcional ao nosso sono”

6. “Às vezes, muita observação me preocupa, mas é assim que o bebê experimenta, conhece as texturas e as cores. E fico tranquila que identifique algo como comestível e saiba onde está sua boca”

7. “Fraldas, uma grande invenção. Estou realmente agradecida por elas existirem, mas, para tirar a primeira do pacote é necessária uma grua!”

8. “Quando o assunto é comida, ele quer experimentar as texturas, as cores, o sabor, o tato... é assim. Estamos muito contentes”

9. “Entendi que sou excessivamente controladora. É muito fácil não ser perfeita”

10. “Dormir com um bebê é uma experiência muito boa. No entanto, cansa um pouco, principalmente as costas e as cervicais, mas o coração, não”

11. “Esta é uma das consequências de não cortar as unhas do bebê”

12. “Nesta família, não é só o pequeno que baba”

13. “A mão esquerda está aprendendo rápido”

14. “Coisas comuns na higiene diária, mas estou muito feliz com tudo o que está acontecendo”

15. “Existem pais muito bem treinados”

16. “Gostaria de não me preocupar tanto, mas ainda temos que praticar um pouco mais”

17. “Embora o mais importante esteja em meus braços, tem sempre alguma coisa que preciso longe da minha mão”

Você se identificou com alguma das situações apresentadas? Que outra acrescentaria à lista? Conte-nos na seção de comentários.