11 Mexicanas que fizeram importantes contribuições científicas

No campo da ciência, o México conta com muitas pessoas talentosas, que, com enorme disciplina e perseverança, conseguiram se destacar e lançar projetos realmente importantes. Mas como nesse ramo prevaleçam em geral apenas figuras masculinas, raramente são citados os nomes de mulheres cientistas nas listas. Mas elas existem e seu trabalho é, antes de tudo, extraordinário.

O Incrível.club pretende, portanto, reconhecer a valiosa contribuição das cientistas mexicanas, criando esta lista com algumas mulheres que conseguiram se destacar com seu trabalho, colocando o México em evidência. Acompanhe!

1. Matilde Montoya

Matilde Montoya foi a primeira mexicana a se graduar como médica em 1887. Ela se formou em Medicina, com especialização em ginecologia e obstetrícia, numa época em que apenas os homens podiam fazer faculdade. Foi graças à sua astúcia e à intervenção do então presidente Porfirio Díaz, que Matilde conseguiu quebrar essa norma. De fato, em 1925, juntamente com a médica Aurora Uribe, fundou a Associação das Médicas Mexicanas. Além de ser uma médica de prestígio em seu ramo, Matilde lutou para que o termo “parteira” não fosse mais usado de maneira depreciativa.

2. María Elena Caso

María Elena Caso foi uma cientista mexicana, pioneira em ciências biológicas, especificamente no estudo dos equinodermes, e uma das fundadoras do laboratório de hidrobiologia do Instituto de Biologia da UNAM (Universidade Nacional Autônoma do México). Ela se graduou em 1961, sacrificando o que, na época, era a “regra” para as mulheres, porque nunca se casou e nem teve filhos. No entanto, ela deixou um legado valioso como professora e pesquisadora da UNAM.

3. Silvia Torres Castilleja

Silvia Torres Castilleja foi a primeira mulher a fazer doutorado em astronomia e seu trabalho recebeu reconhecimento internacional. Atualmente, é uma das mais reconhecidas cientistas mexicanas. Em 2015, foi eleita presidente da União Astronômica Internacional e, em 2016, recebeu a Medalha de Mérito em Ciência, concedida pela Assembleia Legislativa da Cidade do México.

4. Dorothy Ruiz Martínez

Dorothy Ruíz Martínez é engenheira aeroespacial e trabalha no Centro Espacial Lyndon B. Johnson, da NASA, nos EUA. Ela é especialista em operações especiais e, desde 2013, é operadora de voo, por isso se dedica a controlar os sistemas que vinculam as comunicações via satélite entre a Estação Espacial Internacional (IEE, na sigla em inglês) e a Terra. Seu projeto atual é o EM-1, que tem como objetivo levar uma nave não tripulada à Lua, e orbitá-la por 30 dias. Graças a essa ideia, outras missões que podem levar astronautas para Marte estão sendo realizadas.

5. Irais Bautista Guzmán

Irais Bautista Guzmán é uma jovem pesquisadora, formada pela BUAP (Benemérita Universidade Autônoma de Puebla). Com menos de 40 anos de idade, essa jovem doutora em física fez experimentos que tentam recriar um estado da matéria conhecido como plasma de quarks e glúons, que surgiu nos primeiros microssegundos após o Big Bang. Ela conseguiu 5 bolsas de estudos nacionais e internacionais, entre elas a bolsa de estudos para Mulheres da L’Oréal-UNESCO-Conacyt-Academia Mexicana de Ciências.

6. Ana Sofía Varela

Ana Sofía Varela é considerada uma promessa científica internacional pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura e pela Fundação L’Oréal; e está na lista das 15 pesquisadoras mais promissoras do prêmio For Women in Science. Seu objetivo é converter CO2 em energia renovável, com materiais de baixo custo, que facilitem o processo.

7. Edna González

Edna Leticia González Bernal é atualmente uma das jovens cientistas mexicanas em atividade. Sua pesquisa tem como objetivo analisar os fatores humanos que promovem a invasão biológica. Um de seus trabalhos mais notáveis ​​foi sobre a conservação de certa espécie de rãs, que vive na região de Sierra Norte, em Oaxaca.

8. Guillermina González Rosendo

Guillermina González Rosendo é atualmente membro da equipe do IPN (Instituto Politécnico Nacional) e criou talheres comestíveis feitos de farelo de arroz, que, além de ecológicos, são nutritivos.

9. María del Socorro Flores González

María del Socorro Flores González é formada em química como bióloga de medicamentos pela Faculdade de Ciências Químicas da Universidade Autônoma de Coahuila. Ela criou processos para diagnosticar a amebíase invasiva, pelos quais ganhou o prêmio MEXWII de 2006, concedido pela Rede Global de Mulheres Inventoras e Inovadoras (Global Women Inventors & Innovators Network — GWIIN), com colaboração do Instituto Nacional das Mulheres, do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia e do Instituto Mexicano de Propriedade Industrial.

10. Xóchitl Guadalupe Cruz López

Xóchitl Guadalupe Cruz López é uma menina de apenas 8 anos de idade, mas já é considerada uma das mais jovens cientistas do México e do mundo. Ela foi a primeira a obter o “Reconhecimento ICN para a Mulher”, concedido pelo Instituto de Ciências Nucleares da UNAM, por suas aptidões para a ciência, graças ao seu projeto chamado Banho Quentinho. O trabalho consistiu na criação de um aquecedor de água, feito a partir de materiais reciclados, com o objetivo de ajudar pessoas de baixa renda. Agora, a jovem cientista pretende entrar na terceira fase do projeto, a fim de implementá-lo nas comunidades indígenas de Chiapas.

11. Julieta Fierro

Julieta Fierro é astrônoma, escritora e divulgadora científica; atualmente é pesquisadora do Instituto de Astronomia da UNAM e professora da Faculdade de Ciências na mesma universidade. Em sua carreira como escritora, publicou 40 livros, todos dedicados à disseminação da ciência, tanto para adultos quanto para crianças. Um deles foi traduzido para o idioma maya.

Você conhecia o trabalho ou a carreira de alguma dessas cientistas mexicanas? Qual história achou a mais inspiradora? Conhece outras mulheres que poderiam fazer parte dessa lista? Deixe sua opinião nos comentários.

Compartilhar este artigo