Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Veja como são por dentro os apartamentos de Hong Kong conhecidos como “formigueiros”

5264
70k

Hong Kong tem uma densidade populacional muito alta e, por isso, está crescendo verticalmente. A maioria das pessoas mora em grandes prédios, que são conhecidos como “formigueiros”, por conta da enorme quantidade de habitantes que moram lá. Muitos já viram como são os prédios por fora, mas poucos sabem como eles são por dentro.

Nós, do Incrível.club, descobrimos como vivem os moradores de Hong Kong e concluímos que nossos próprios apartamentos são amplos e espaçosos. Se você vive em um apartamento, provavelmente terá a mesma reação. Confira!

Estes são os prédios “formigueiros” de Hong Kong por fora

O custo médio por metro quadrado aqui é de o equivalente a cerca de 119 mil reais. Para que tenhamos uma comparação melhor, o valor médio do metro quadrado no Rio de Janeiro (um dos mais altos do país) é de cerca de 10 mil reais. Portanto, a desigualdade social é bastante pronunciada em Hong Kong, e em um prédio “formigueiro” geralmente há diversos tipos de moradia, destinadas a pessoas com diferentes níveis de renda.

Nos “formigueiros” há 4 tipos completamente distintos de moradias

1. Alojamentos para pessoas muito pobres

Mais de 20% da população de Hong Kong — quase 1,5 milhão de pessoas — vive abaixo da linha de pobreza. Para essas pessoas, os “formigueiros” são uma espécie de albergue — quartos com cerca de 20 “cabines” individuais de 180 por 60 cm. Pessoas humildes sobrevivem, literalmente, em tais locais e levam suas vidas normais assim. Tais moradias não são baratas, até mesmo em tais condições desumanas: cerca de 700-800 reais por mês. A grande maioria dos moradores não é desempregada. Muitos trabalham nas feiras ou lavando pratos, mas, ainda assim, não podem pagar por melhores condições de vida e vivem nesses locais por anos.

2. Habitações compartilhadas para pessoas de baixa renda

Para essa classe há apartamentos comunitários. Há normalmente 5-6 quartos minúsculos em um apartamento, onde a cozinha e o banheiro são compartilhados com todos os moradores. Nos quartos há espaço apenas para uma mesa e uma cama. Se tiver sorte, terá espaço ainda para colocar um armário, mas normalmente os moradores costumam pendurar suas roupas na parede mesmo. O aluguel de um quarto em tais apartamentos sai por aproximadamente 2 mil reais por mês (valores em moeda local).

3. Pequenos apartamentos para jovens

Começar uma vida independente em Hong Kong não é nada fácil: para alugar um imóvel você precisará de muito dinheiro. Um apartamento de um quarto, por exemplo, nesses complexos habitacionais (“formigueiros”), que seja afastado do centro, vai custar cerca de 6.600 reais por mês. Ao mesmo tempo, o salário médio dos homens é de o equivalente a 9.900 reais, e o das mulheres, de 7.700. Por isso, os jovens normalmente só podem pagar por apartamentos muito pequenos, que não vão lhes oferecer muito conforto. Em uma grande parte dos apartamentos não há nem sequer uma cozinha. O lado positivo é que tais moradias, muitas vezes, estão equipadas com muitas estruturas inteligentes, armários embutidos e móveis com recursos extremamente úteis para espaços pequenos.

4. Apartamentos para pessoas de classe média

Cidadãos relativamente bem-sucedidos de Hong Kong, que tenham se realizado profissionalmente e recebam bons salários, podem alugar apartamentos melhores nos “formigueiros” ou talvez até tenham seus apartamentos próprios com cozinhas e banheiros. Frequentemente, os apartamentos ainda são consideravelmente pequenos, com capacidade para 4-5 pessoas no máximo.

É comum que nem todos os membros de uma família tenham quartos individuais. Por isso, os engenhosos moradores de Hong Kong tentam achar uma “solução” para esse problema. Muitas vezes, eles instalam, por exemplo, camas futurísticas (foto) que acabam sendo, essencialmente, como quartos separados.

Você conseguiria viver em tais condições? Ou o espaço individual é algo importante demais em sua vida? Deixe sua opinião!

5264
70k
Compartilhar este artigo