Incrível
Incrível

Mulher ouve que é “feia demais”, revida, posta selfies durante um ano e acaba desfilando na semana de moda de Nova York

“Quando era adolescente, uma pessoa me disse que eu nunca poderia ser modelo porque era portadora de deficiência”. Essas palavras ficaram gravadas na memória de Melissa Blake por muito tempo, mas não a fizeram desistir dos seus sonhos.

Nós, do Incrível.club, viramos fãs de Melissa e estamos muito felizes de poder compartilhar com você tudo que ela nos contou.

Melissa nunca tinha visto ninguém como ela em revistas de moda

Melissa Blake nasceu em 1981 e possui síndrome de Freeman-Sheldon, uma doença genética óssea e muscular que a fez passar por mais de 26 cirurgias. Ela precisou enfrentar muitas dificuldades e afirma que os grandes responsáveis pela independência que sente hoje em dia são seus pais, que a ensinaram a nunca permitir que ela fosse definida pela sua condição.

Incrível.club pediu que Melissa se descrevesse em apenas duas frases: “Sou uma escritora freelance que cobre relacionamentos, pessoas portadoras de deficiência e cultura pop. Sou também uma ativista que luta pelos direitos de portadores de deficiência e adoro um bom trocadilho”. Melissa é formada em jornalismo e já escreveu para revistas e jornais como The New York Times, Glamour, Cosmopolitan, ELLE e muitos outros; além disso, ela tem um blog bastante interessante.

“Minha mãe e minha irmã são minhas pessoas favoritas no mundo, e nossos dois gatos são os melhores gatos do mundo. Não há nada melhor do que passar o dia com a minha família. É quando estou ao lado deles que me sinto mais feliz.”

Apesar das pessoas que criticaram sua aparência, seu sonho de se tornar modelo virou realidade

“Durante a última rodada do ’trollgate’ as pessoas disseram que eu deveria ser proibida de postar fotos minhas por ser feia demais. Então, gostaria de comemorar essa ocasião com estas 3 selfies...”

Como Melissa continuou postando selfies no Twitter, os “trolls” disseram que ela deveria parar de fazer isso porque era feia, o que definitivamente não a afetou. Ela respondeu de uma forma realmente elegante e ao mesmo tempo certeira: decidiu postar mais. Para a surpresa de todos, a astúcia de Melissa, suas selfies e seus tuítes serviram de trampolim para os palcos da New York Fashion Week. Mindy Scheier, fundadora e CEO da “Runway for Dreams”, é fã de Melissa e, em 2020, a convidou para participar desse grande evento da moda.

Essa é a roupa que Melissa usou no desfile da New York Fashion Week como parte do projeto “Runway for Dreams” (“passarela dos sonhos”, em tradução livre), em que mais de 25 pessoas usaram marcas como Tommy Hilfiger, Zappos Adaptive e Target sem sair de casa. A passarela virtual permitiu que mais de 25 pessoas portadoras de deficiência compartilhassem suas histórias de vida e contassem como é importante para elas serem vistas e reconhecidas pela indústria da moda.

A bela e importante mensagem de Melissa para o mundo

Se Melissa pudesse ter a atenção do mundo inteiro por 10 segundos, essa é a mensagem que ela gostaria de compartilhar: “Por favor, ouçam as pessoas portadoras de deficiência. Nossas vozes e nossas histórias são importantes”.

Perguntamos o que Melissa diria para ela mesma se tivesse 18 anos e a resposta foi simplesmente maravilhosa: “Prometo que chegará um dia em que você vai amar quem você é e vai amar também o seu corpo portador de deficiência. Além disso, você vai escrever superbem! Tudo vai dar certo, Melissa”.

Qual você acha que é a principal lição que podemos aprender com a história de Melissa? Não deixe de compartilhar essa bela história com as pessoas queridas da sua vida.

Compartilhar este artigo