Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Internautas nos contaram da sorte que têm de trabalhar com seus chefes

De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva, mais da metade dos brasileiros está insatisfeita com o trabalho que exerce. Dados semelhantes em outra pesquisa são observados na América do Norte e na Europa. É claro que o dinheiro não é a única coisa importante que levamos em consideração quando buscamos por um emprego novo. Relações interpessoais com os colegas, cronogramas e relação com o chefe são tão importantes quanto.

Nós, do Incrível.club, acreditamos mais em histórias reais do que em estatísticas. Por exemplo, demos uma olhada nas histórias dos usuários do Pikabu, nas quais eles contaram por que amam seus trabalhos e da sorte que tiveram em ter os chefes que têm atualmente. Acompanhe!

  • “Eu trabalhava no departamento analítico de um pequeno banco. Uma vez um colega notou um erro técnico grave e mostrou ao chefe do departamento. Nosso chefe ficou revoltado e prometeu tirar o bônus do mês da pessoa que havia cometido o erro. Iniciaram uma investigação para entender o que tinha acontecido e, por fim, descobriram que o responsável tinha sido o próprio chefe. Durante uma reunião, ele disse que não poderia tirar o próprio bônus, ou isso teria repercussões muito negativas para a empresa, mas prometeu dar seu bônus para a pessoa que notou o erro. Ele era um chefe excepcional”. © nordcom / Pikabu
  • “Sou engenheiro de software há mais de 15 anos e trabalho há mais ou menos 1 ano para uma empresa como home office. Em determinado momento, entrei em depressão forte e não consegui fazer nada por pelo menos 10 dias. Pensei em me demitir ou tirar férias por minha conta por um tempo. Meu chefe, no entanto, me chamou para ir ao escritório, conversar e passear pela cidade. Ele comprou as passagens de trem para mim e para minha mulher, e também reservou um quarto de hotel. Eu não estava muito animado, mas depois que viajamos meu entusiasmo melhorou imediatamente. Eles até aumentaram meu salário. Chegamos à conclusão de que eu terminaria esse último projeto, e depois poderia tirar longas férias ou tentar até trabalhar em outro departamento na empresa. Voltei dessa viagem com uma enorme gratidão por essa atitude e me sentindo muito melhor. Hoje eu entendo por que as pessoas trabalham nessa empresa há mais de 10 anos”. © bzis / Pikabu
  • “Consegui um emprego como administradora numa empresa onde só trabalhavam mulheres. Tinha uma menina chamada Lisa, que era muito nojenta e mandona. Ela juntava dinheiro em todos os aniversários e forçava os aniversariantes a comprar o bolo. Uma vez, ela disse: ‘Logo será o aniversário da funcionária de limpeza e da nossa chefe. Para a mulher da limpeza vamos dar 7 reais de cada uma, e para a chefe 150 reais de cada para comprarmos um voo de helicóptero’. Ninguém gostou da ideia, mas ela insistiu demais. No dia do aniversário, ela dizia como tínhamos sorte de ter uma chefe assim, dando parabéns e puxando muito o saco. No dia seguinte, nossa chefe disse a todas: ‘Bom, como vocês sabem, a Lisa não trabalha mais aqui. Uma pessoa me contou das coisas que ela dizia e fazia. Eu não preciso de presentes caros, só quero que vocês façam o trabalho de vocês da melhor forma. Por isso, vou dar um bônus para todas de 150 reais.’ Essa ‘pessoa’ tinha sido eu, e abri o jogo para todo mundo. A funcionária da limpeza no dia seguinte foi voar de helicóptero por cortesia da chefe”. © dehkon / Pikabu
  • “Eu me candidatei para uma vaga em uma pequena empresa que estava alugando uma loja num antigo estabelecimento militar. Fiz a entrevista diretamente com o diretor da empresa. Ele me mostrou todas as salas, o escritório, e me disse que eu receberia determinado salário que é condizente com a minha experiência. Durante o período de treinamento, no entanto, eu receberia menos até me adaptar (cerca de 3 meses). Eu concordei. No final do primeiro mês, eu recebi o relatório de pagamento e vi que a valor por hora era maior do que o acordado, assim como a quantidade total de horas trabalhadas (mostrava-se 3 horas a mais). Fui falar com o diretor:
    — Desculpe, mas parece que esses dados estão errados. Eu trabalhei menos, e o valor por hora está mais alto do que o combinado.
    — Você pegou o ritmo bem rápido e, por isso, estou lhe pagando o equivalente ao trabalho exercido.
    — E por que há mais horas no total?
    — Não tem nada a mais, está tudo certo.
    — Mas a conta não bate, se contarmos um dia de 8 horas de trabalho.
    — Você veio na entrevista, teve que me esperar, depois eu te mostrei todo o escritório, conversamos. Está aí as 3 horas a mais.
    P.S.: eu trabalho lá há 2 anos e não me arrependo por um segundo dessa decisão que tomei”. © kurwaawruk / Pikabu

  • “Trabalho há 2 anos na área de segurança industrial em uma organização privada. O chefe e o gerente abaixo dele são ambos homens em seus 35 anos. Nunca levantaram a voz para nada, e eu nunca precisei fazer hora extra. Uma vez, não tivemos nenhum pedido por alguns meses. Por isso não era preciso ir ao escritório, só tínhamos que estar disponíveis caso algo fosse necessário. Mesmo nessas condições, recebemos nossos salários normalmente, incluindo o bônus. Era bastante comum conversar com nosso chefe sobre jogos, futebol, filmes etc. Quando há esse conforto e liberdade no trabalho, eu sempre quero chegar na hora, dar o meu melhor, me esforçar. P.S.: consegui esse trabalho por sorte. Estava sem fazer nada há 3 meses e meus pais me forçaram a me candidatar para essa vaga, depois que a viram em um site de anúncios”. © pjanic / Pikabu
  • “Recentemente consegui um emprego: domínio fora de uso, telefones não funcionavam, câmeras de segurança quebradas etc. Espero ouvir as frases padrão: ‘Não posso comprar mais nada. Faça o que der com o que tem’. E minha conversa com o diretor:
    — Nós temos um servidor com informação importante armazenada no disco externo. É necessário comprar um arquivo de armazenamento ou um servidor, organizar backups em outro disco externo etc.
    — Tudo bem. Ótimo. Me diga o orçamento.
    Passada uma semana. O servidor novo já instalado, disco de armazenamento pronto.
    — Vocês têm um sistema de telefonia muito antigo. Se quiser deixar assim, precisamos comprar portais VoIP, ou podemos também comprar logo telefones IP. A primeira opção é 20 vezes mais barata.
    — Tá bom, se for para trocar tudo, faremos corretamente e sem prejudicar a qualidade. Me diga o orçamento.
    Diretor:
    — Temos alguns monitores que não estão funcionando bem, encomende também monitores novos de 32 polegadas, será melhor.
    — Ok, aqui está o orçamento.
    — Tudo foi pago na hora, sem reclamação e sem atraso. Tudo foi instalado perfeitamente.
    Já trabalho lá há 11 anos, mas ainda não consigo me acostumar com isso”. © CtrAltDel / Pikabu

  • “Trabalhava como administrador de sistemas em uma determinada empresa. O diretor era um senhor de 50 anos, que tinha relações ótimas com todos. A empresa era dele, era ele que buscava por novos funcionários, fazia relatórios etc. O salário não era muito alto, mas nunca atrasava ou vinha errado. Uma vez, o chefe pediu que eu fosse mostrar o produto para uma nova empresa, dizendo que eu precisaria convencê-los a nosso favor, dadas as circunstâncias pouco favoráveis. Eu expliquei e fiz tudo o que pude para que eles escolhessem nossa empresa e, por fim, consegui fechar negócio. No final do mês, vi que recebi um valor a mais no meu salário e resolvi perguntar ao chefe. Ele disse que pelo meu esforço com aquele tal cliente, depois que eles fecharam negócio, ele resolveu me dar metade do lucro obtido como compensação pelo meu trabalho. Isso não fazia parte do meu contrato, mas fiquei muito surpreso e feliz com essa atitude”. © axuta.ru / Pikabu
  • “Me candidatei para uma vaga, o RH me falou sobre os detalhes do trabalho, acordamos o salário desejado para mim, e depois tive uma entrevista com o diretor, que seria meu futuro chefe. Depois de olhar bem o meu currículo, ele olhou para mim e fez apenas uma pergunta:
    — Quais as cores de sabre de luz existentes até o momento em Star Wars?
    — Vermelho, Azul, Roxo e Verde.
    — Parabéns. Você pode começar segunda-feira.
    Eu não aguentei o entusiasmo, pulei da cadeira e dei um grito de guerra. O diretor sorriu, me olhou e disse que nos daríamos muito bem”. © ErmolovT / Pikabu

  • “Fui chamada para dar uma aula em outra academia a pedido do diretor. Entre os clientes, uma mulher aparentemente insatisfeita. Ela reclamava de que estava muito calor, muito frio, que a música estava alta demais, que o tapete estava com cheiro estranho. Em certo momento, ela olhou para mim desconfiada e disse: ‘Você já deu aula de yoga antes? Que besteira é essa que estamos fazendo?’
    — Se chama Janu Shirshasana.
    — Tenho péssimas notícias para você, mas não é.
    — Hm, você quer mesmo apostar?
    Parou de falar. Depois de 5 minutos:
    — Você não pode dar uma aula assim. Sabia que é uma péssima professora? Bom, então tenho uma péssima notícia para você.
    — Ou seguimos a aula, ou não vamos atrapalhar os outros.
    Parou de falar. O grupo era bem avançado, ela parecia ser a que tinha mais dificuldade para realizar as posições. Depois do término da aula, ela estava me esperando no corredor:
    — Tenho péssimas notícias para você. O diretor está te esperando na sala dele.
    Eu entrei na sala e vi o diretor sorrindo. Eu disse:
    — Márcio, essa mulher é...
    — Eu sei, eu sei. O problema é que ela é cliente VIP, vem à academia uma vez a cada 3 meses, reclama de todos os professores e só nos dá dor de cabeça. Apenas ignore-a”. © lunaaprelia / Pikabu

  • “Em 2006 eu trabalhava como montador de computadores. Tinha boas relações com os colegas e o chefe, o salário também não era ruim. Uma vez meu chefe pediu que eu fosse trabalhar no final de semana por 2 a 3 horas. Precisávamos montar alguns computadores para um cliente corporativo.
    — Max, você poderia por favor trabalhar amanhã de manhã?
    — Olha, poderia sim, mas eu moro longe e chegar aí no final de semana é bem difícil. Não tem muitos ônibus que rodam e demora muito.
    — Não tem problema, me diga onde seria melhor para você que eu te busco de carro e depois te levo de volta.
    Combinamos um local bom para ele e conveniente para mim.
    — E vamos umas 9-10h para você conseguir dormir bem, pode ser?
    Ele me buscou, me levou até o local e depois me trouxe de volta. No final do mês, não recebi somente o valor das horas extras, mas também um bônus pela prestatividade. Isso se repetiu ainda algumas vezes. Fiquei muito grato”. © Marksim4 / Pikabu

  • “Comecei um emprego em uma empresa de materiais de construção. O salário e as condições eram ótimos. No terceiro dia de trabalho, tive um probleminha. Eu sempre compro cigarros pela manhã, mas dessa vez a loja estava fechada e eu tinha o último cigarro no maço. Assim que comecei a fumar, pela lei de Murphy, o ônibus chegou. Apaguei o cigarro e coloquei o que sobrou novamente no maço. Durante o intervalo de trabalho, saí para fumar o último cigarro, mas por um descuido, derrubei o isqueiro no chão, e quando me abaixei para pegar, derrubei o cigarro. Nesse momento, vi que ao lado estava o diretor da empresa também fumando, e ele estava olhando para mim todo esse tempo. Quando eu me abaixei para pegar o cigarro, ele se aproximou e disse: ‘Deixe esse no chão. Pode pegar daqui’. Ele abre o maço dele e me oferece um cigarro. Fumamos os dois em silêncio. Mais tarde, no mesmo dia, recebi um dinheiro de algum departamento desconhecido. A quantia foi pequena, mas achei estranho, pois meu salário ainda estava longe para chegar. Não sei bem de quem foi esse gesto, mas fiquei extremamente feliz”. © flash12 / Pikabu

Você gosta do seu trabalho? Se sim, do que exatamente? Comente!

Imagem de capa dehkon / Pikabu