Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Internautas compartilham experiências de vida que poucos acreditariam ser verdade

2--3
46k

Quase todo mundo já viveu ou ouviu falar nas famosas ironias do destino. São situações que mostram que nossas ações nem sempre podem ser controladas ou previstas. Tais acontecimentos inesperados não acontecem só nos filmes, mas também no nosso dia a dia. Por isso, alguns internautas resolveram compartilhar suas histórias de vida, que não são apenas surpreendentes, mas simplesmente inacreditáveis.

Ao preparar a seleção abaixo, nós, do Incrível.club, repetimos algumas vezes a frase: “Isso não é possível!” Portanto queremos dividir com você estas histórias extraordinárias, que não seriam tão divertidas se não fosse pela fantástica “coincidência” do universo. No final, preparamos um bônus sobre uma história que poderia virar um filme de comédia. Acompanhe!

  • Quando eu era pequeno, meus pais me levaram para visitar nossos parentes em uma cidade grande. Fomos passear na praça principal, e foi lá que eu vi pela primeira vez aquela máquina de pegar bichos de pelúcia. Eu tinha apenas 50 centavos no bolso. Coloquei a moeda e, por sorte, consegui pegar um bichinho. Depois disso, pedi à minha mãe mais 50 centavos...Nesse dia, eu consegui pegar da máquina 25 bichinhos de pelúcia. Eu nunca mais conseguir pegar nenhum bichinho dessa máquina nos 17 anos seguintes. © Human7 / Pikabu
  • Em um dia lindo de sol, enquanto ainda estava na faculdade, resolvi trabalhar servindo um banquete para ganhar um dinheiro. O evento foi realizado a céu aberto, em uma área enorme sem árvores. No final do dia, quando praticamente todos os convidados já tinham ido embora, eu e os outros funcionários estávamos arrumando as coisas para ir embora. Eu bocejei por alguns segundos e um pássaro, que parecia ser o único num raio de alguns quilômetros, conseguiu defecar na minha boca. Além disso, eu também tive um aneurisma cerebral. Os médicos disseram que eu tinha uma em 25 mil chances de sobreviver, mas estou aqui até hoje, ainda procurando aquele pássaro dos infernos. Estou guardando uma garrafa de vinho para abrir quando encontrá-lo. Tic-tac, rato voador, seu tempo está acabando! © Fumidor / Reddit
  • Um dia, enquanto esperava o ônibus no ponto, brincava de palavra cruzada na revista. Eu estava pensando quase que em voz alta de tão entretido, sussurrando as respostas para visualizar melhor o jogo. Em uma das palavras, fiquei bastante animado quando descobri a resposta e gritei: “Yoda”. O homem sentado ao meu lado se virou, abriu um sorriso e disse: “Kulla!” Ele era finlandês. Aparentemente, eu o ofereci uma bebida quando gritei, e ele respondeu “sim”. © NebesnyKot / PikabuMoro em uma cidade muito pequena no norte dos montes Urais, com uma população de 80 mil habitantes. Durante 2 anos, não consegui me encontrar com um amigo do colégio. Por vezes ele estava trabalhando, outras vezes eu estava ocupado. E em 2010, eu decidi viajar pela Europa. Chegamos primeiro a Paris e ficamos uma semana. Fomos a diversos museus, tiramos fotos. Um dia, saindo do Louvre, esperávamos o guia na parte de fora perto da pirâmide, e de repente...esse meu amigo apareceu. Ele se aproximou de mim e disse: “Opa, tudo bem? Então, agora eu estou um pouco ocupado. Daqui a uma semana eu te ligo para a gente se ver, pode ser?” E foi embora. Pelo menos, dessa vez, nós realmente conseguimos nos encontrar mais tarde na nossa cidade. © Raduga88 / Pikabu

Um irlandês encontrou acidentalmente seu “clone” do Texas em um avião

  • Quando criança, fui a um jogo de hóquei com minha família. Nós estávamos aproveitando o jogo e, de repente, meu pai me propôs acompanhá-lo para comprar pretzels quentinhos. Eu obviamente concordei e fomos juntos. Levei minha garrafa de Sprite comigo. Quando estávamos voltando, não lembrávamos mais qual a fileira em que estávamos sentados. Meu pai disse que era a 16, mas eu insisti que era a 15. Por algum motivo, eu tinha certeza. Fomos para a fileira 15, mas eu estava errada. Para evitar dar a volta por todo o estádio para chegar no outro lado, nós decidimos ser aqueles inconvenientes que passam entre as pessoas sentadas para chegar ao outro lado mais rápido. Eu coloquei minha garrafa de Sprite encostada na barriga e fomos passando na frente das pessoas. De repente, eu notei que minha garrafa estava no chão, cortada ao meio, e eu estava cheia de Sprite pelo corpo, assim como a menina que estava ao meu lado. Demorei um tempo para entender o que tinha acontecido. O que aconteceu foi que um dos jogadores bateu na bola, que bateu no vidro de proteção e, de alguma forma, foi em direção à plateia, batendo exatamente no meio da minha garrafa de refrigerante. Se ela não estivesse ali, a bola teria batido diretamente na minha barriga. E se tivéssemos ido para a outra fileira desde o começo, a bola teria batido no rosto da menina que estava atrás de mim. Os treinadores depois me deram um taco de hóquei e uma camiseta assinada como premiação pelo meu ato heroico. © Dakrys / Reddit
  • Eu estava de férias com minha família em Sevastopol, na Rússia, quando recebi uma mensagem de um amigo da minha cidade: “Oi. Estou em Savastopol, perto do sino da igreja. Pena que você não está aqui, a cidade é muito legal”. Nisso, eu respondi: “É só você me chamar que eu vou”. E fui andando até o tal sino, que estava a 100 m de mim. Quando me aproximei, escutei esse meu amigo gritar: “Vitor!” Eu queria surpreendê-lo, mas um outro amigo em comum, Vitor, o encontrou primeiro. Nós três somos da mesma cidade e somos grandes amigos. Rimos bastante esse dia. © PshikSoSkripoM / Pikabu
  • Viajei de carona pelo Camboja, do Norte até a capital. No meio do caminho, o jipe quebrou. Todos saímos do veículo e começamos a conversar. O motorista perguntou de onde eu era (rosto asiático, dificilmente acharia que eu era da Rússia) e eu comecei a falar sobre a Rússia. Nesse momento, o homem começou a falar comigo em russo, com um sotaque quase que perfeito. Depois fui descobrir que ele havia estudado e morado na Rússia por 9 anos e fazia 28 anos que não falava russo com ninguém. Uma chance em um milhão. © borkhonchik / Pikabu
  • Quando eu era pequena, minha mãe pediu que eu colocasse com cuidado meu suéter novo na cadeira. No entanto, decidi que seria melhor jogar o suéter da porta do quarto e tentar acertar a cadeira. Como mágica, o suéter aterrissou perfeitamente nas costas da cadeira e não caiu. Eu e minha mãe rimos até hoje desse dia. Ela me disse que eu nunca teria colocado a roupa tão perfeitamente como ficou (e era verdade). © wumpscut / Pikabu
  • Nos preparávamos para ir para casa voltando de uma outra cidade. Demoramos para sair, pois minha sogra, como sempre, não parava de fazer perguntas e conversar. Saímos alguns minutos atrasados. Fiquei realmente chateado porque não gosto de atrasos por motivos bobos. Quando estávamos no meio do caminho, notamos que havia um acidente de trânsito. Depois, descobrimos que um carro vinha a 140 km/h e bateu de frente com um Corolla, minutos antes do horário em que passamos por aquele local. Nunca mais me chateei com minha sogra. © starruenosar / Pikabu
  • Eu era pequena e estava planejando ir visitar minha avó com meu pai. Quando estava prestes a sair, fomos avisados da entrega do meu piano, que meus pais haviam comprado para mim. Eu estudava em um conservatório e estava animada demais para “deixar para depois” e, por isso, resolvi não visitar minha avó para testar o brinquedo novo. Meu pai é um excelente motorista, mas, durante a viagem, teve um acidente. Felizmente, conseguiu se salvar, mas me lembro até hoje a foto do carro pós-acidente: o veículo inteiramente destruído, exceto o banco do motorista. Os especialistas garantiram que, se tivesse qualquer outra pessoa no carro, provavelmente não estaria viva hoje. © KingZabor / Pikabu
  • Viajei com meu marido para nosso casamento na Tailândia. No hotel conhecemos um rapaz e uma garota que se casaram no dia seguinte ao nosso casamento. Tudo bem, acontece. A maior surpresa foi saber que eles eram da mesma cidade que nós e escolheram exatamente o mesmo restaurante, apenas no dia seguinte. © jmaranello / Pikabu
  • Eu estava de férias em um resort em outra cidade. Estava sentada no restaurante quando entrou uma mulher. Essa mulher olhava para mim fixamente, e eu, para ela. Depois, ela se aproximou e perguntou se não nos conhecíamos de algum lugar (eu queria ter feito a mesma pergunta). Eu listei as cidades que tinha passado, mas nenhuma delas bateu. Somente mais tarde, descobri que ela era minha avó por parte de pai que eu nunca tinha conhecido. Ela me reconheceu pelas fotos que tinha recebido. Vivíamos a 7500 km de distância. © Sveto4ka1054 / Pikabu
  • No meu trabalho anterior eu era responsável por coletar as chaves e guardá-las na entrada. No final de cada turno, eu tinha de pendurar as chaves em um gancho na parede. Toda vez que eu entrava na sala, tentava jogar as chaves de longe para ver se elas caíam no gancho, mas nunca dava certo e elas caíam no chão. Um dia, eu terminei meu turno um pouco mais cedo e todos os supervisores ainda estavam no escritório. Tentei jogar as chaves novamente e, dessa vez, elas encaixaram certinho no gancho. Todos ficaram surpresos com aquilo e meu supervisor disse: “Eu aposto que você não consegue fazer isso de novo”. Eu peguei as chaves do gancho, me afastei e, novamente, acertei no gancho. Nos dois anos que trabalhei lá, essas foram as duas únicas vezes que eu acertei. © mighty_adventurer / Reddit

“Encontrei meu ‘clone’ em uma exposição de arte local chamada ‘Quando eu crescer’. É engraçado porque eu sonhava em ser astronauta quando criança”

  • Engravidei três vezes em diferentes datas. Mas após o nascimento das duas primeiras, eu já sabia exatamente quando nasceria a terceira criança. E não errei: a data de nascimento das três é a mesma. © GuLena27 / Pikabu
  • Um rapaz com o mesmo nome e mesma data de nascimento que eu havia morrido. Naquela época, eu trabalhava em uma firma de advocacia que estava fazendo o testamento dele. Meus colegas ficaram chocados e pediram para eu confirmar alguns detalhes para ter certeza que não era eu quem tinha morrido. © uramit / Reddit
  • Vocês podem não acreditar, mas a chave do meu antigo apartamento podia abrir a porta do apartamento do meu atual namorado. As chaves eram semelhantes, mas com pequenas diferenças na estrutura. Mesmo assim, as minhas chaves abriam a porta com maior facilidade do que as chaves dele. Eu descobri isso por acidente, quando ele me entregou as chaves do apartamento e eu passei a carregar as duas chaves na mesma bolsa. Certo dia, usei a chave “errada” e abri a porta. Agora, quando me perguntam por que nós decidimos morar juntos tão rápido, eu gosto de responder: “Não foi nenhuma novidade: eu simplesmente troquei a porta do meu apartamento, que consigo abrir com a mesma chave” ou “Nosso encontro estava escrito nas estrelas!” É surpreendente também que morávamos a 60 km de distância um do outro. © nkate123456789 / Pikabu
  • No trabalho da minha mãe, havia uma mulher que dizia que controlava absolutamente tudo o que acontecia na própria vida, que era a dona do próprio destino etc. Minha mãe, então, pediu que ela desse algum exemplo para esclarecer. A mulher respondeu dizendo que naquela noite estava planejando pintar as paredes de sua casa e que nada iria impedi-la de fazer isso. Minha mãe contestou dizendo que algo inesperado poderia acontecer e isso a impediria de pintar as paredes, como, por exemplo, a luz acabar. A mulher apenas riu. No dia seguinte, a mulher chegou no escritório cabisbaixa e disse para minha mãe: “Tatiana, você é uma bruxa!” — e se afastou dela. Depois, descobrimos que os planos da mulher de pintar as paredes tinham ido por água abaixo por conta de um apagão na região onde ela morava. © Flake.DKK / Pikabu

Bônus

Eu dava aulas de inglês na Coreia. Um dia, fomos a um bar, onde uma vez por mês havia uma apresentação de comediantes. Tinha sempre muitos estrangeiros. Resolvi começar a conversar com a primeira pessoa que apareceu na minha frente, que tinha uma fisionomia europeia:

— De onde você é?
— Eu sou de Ottawa (Canadá).
— Nossa, eu morei em Ottawa! Onde exatamente você morava em Ottawa?
— Sandy Hill.
— Você deve estar brincando?! Quatro anos atrás meu carro foi roubado, e depois foi encontrado em Sandy Hill.
Ele parecia estar petrificado:
— Foi por acaso um Honda Civic de 1988-1991?
— Sim, foi...
— Acho que fui eu que roubei. Vamos lá, deixa eu te pagar uma bebida... © homerjaythompson / Reddit

Você tem alguma história que seja estatisticamente impossível de acontecer? Comente!

Imagem de capa Sveto4ka1054 / Pikabu
2--3
46k