Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Fotógrafo tirou fotos de sua mãe nos 3 anos anteriores à sua morte e isso os ajudou a se tornarem ’melhores amigos’

----
523

Quem de nós não possui lembranças, não é mesmo? A questão é que boa parte de nossas memórias desaparece com o tempo, é claro — é por isso gostamos de ter recordações, como fotografias e outras lembranças de momentos que foram importantes para nós.

Incrível.club encontrou Pat Martin, um fotógrafo de 27 anos que conseguiu desenvolver uma relação com sua mãe e a família através de seu projeto de fotografia. Acompanhe.

Como ele se envolveu com a fotografia

Nascido e criado em Los Angeles, Califórnia, seu irmão, Drew, lhe abriu a porta para o mundo fotográfico: deu sua primeira câmera, o ajudou nos meus primeiros estágios e o inspirou a fazer disso uma carreira. Pat conta que consegue se lembrar de que quando conseguiu sua primeira câmera, documentar se tornou uma maneira de fazer amigos e de se conectar com pessoas.

Como a fotografia influenciou em seu relacionamento com a família

Fotografá-los os aproximou muito mais. Alguns anos atrás, Pat percebeu que seu álbum de família terminava em seu terceiro aniversário e todas as páginas depois estavam em branco. Na mesma época, houve um susto de saúde com sua mãe e isso o despertou.

Ela trabalhou como enfermeira de idosos por 30 anos e passou a maior parte de sua vida tentando manter uma relação estável. Foi um telefonema do médico que pintou uma realidade clara em sua mente: ela poderia não estar em sua vida por muito mais tempo; através disso, percebeu que não tinham muitos registros, nem fotografias ou gravações de família.

Fotografar sua família o ensinou muito sobre empatia e sobre como as pessoas lidam com a solidão. Parece que todos estão enfrentando isso e temos de ser criativos para saber como lidar quando se está sozinho. Nesta série, o fotógrafo diz que estava lutando contra si mesmo e todos que ele fotografava à sua maneira também estavam lutando.

“Ela estava doente”, diz Pat sobre a mãe, acrescentando que ficou grato pelos momentos que tiveram juntos. Depois que ela se foi e que a onda de choque passou, ele ficou com uma sensação de derrota, porque queria que ela visse os retratos emoldurados e comemorados. Queria que ela se sentisse bonita e amada.

Por mais desafiador e emocional que tenha sido o projeto, Pat avalia que também foi incrivelmente gratificante. No final, eles se tornaram melhores amigos e fotografá-la ensinou-lhe que fazer o retrato de um ente querido é uma maneira sem palavras de mostrar a uma pessoa que você gosta dela.

Você conhece mais histórias de pessoas que conseguiram dar a volta por cima e ter boas relações com a família?

Compartilhe sua opinião conosco nos comentários. 😉

Imagem de capa patmartin__/ Instagram
----
523