Incrível
Incrível

9 Novelas que têm remake e que são amadas em suas duas versões

A teledramaturgia brasileira é muito amada, principalmente pela quantidade de novelas de boa qualidade que já foram gravadas em diversas emissoras. Algumas dessas tramas fazem tanto sucesso que versões novas e atualizadas precisam ser feitas para que seus enredos continuem emocionando e ensinando.

Foi pensando nisso que nós, do Incrível.club, trouxemos detalhes sobre novelas que tanto a primeira quanto as outras versões fizeram muito sucesso e marcaram tanto o imaginário do público que são lembradas até hoje. Além disso, bem no finalzinho desse artigo, temos um bônus para você relembrar os personagens mais queridos de uma das tramas. Confira!

Gabriela, 1975 — 2012

Inspirada no romance de Jorge Amado, a novela Gabriela Cravo & Canela, ambientada em 1920, é sobre a história da moça Gabriela, uma retirante da Bahia, órfã e que tem uma ingenuidade e sensualidade atroz. Ela acha a vida na cidade grande muito complicada e aceita as situações de maneira natural, sem preconceitos.

Tendo Sônia Braga como protagonista, foi a primeira novela brasileira a passar em Portugal, e também arrebatou corações lá. Com seu enredo marcante e personagens fortes, típicos de histórias Amadianas, Gabriela teve seu remake em 2012 com Juliana Paes como protagonista.

Tititi, 1985 — 2010

novela se ambienta em São Paulo, e trata da rivalidade entre dois costureiros que são inimigos desde a infância: André Spina (Reginaldo Faria) e Ariclenes Martins (Luis Gustavo). Eles disputam absolutamente tudo, o que deixa o enredo muito divertido e fácil de ser acompanhado.

No entanto, a segunda versão de 2010, que tem Alexandre Borges como André e Murilo Benício como Ariclenes, é uma mistura de duas novelas do autor Cassiano Gabus Mendes: Plumas e Paetês e Tititi.

Éramos Seis, 1994 — 2019

Éramos Seis é um livro de Maria José Dupré, que também teve outras versões em novelas feitas em 1958, na Record, e 1967 e 1977, na Tupi. O enredo circula diante da história de uma família grande de São Paulo, nos anos de 1920/1940, que passava por problemas financeiros.

Tendo como personagens principais Lola, uma mulher dedicada à família, e Júlio, o marido ambicioso que pretende ficar rico a qualquer custo, a trama mostra dificuldades familiares de todos os gêneros, o que trouxe muita identificação para o público brasileiro.

A versão do SBT venceu o Prêmio de Melhor Novela Brasileira sendo o único prêmio da emissora nessa categoria. Já a versão da Globo teve uma ótima audiência, chegando a alcançar até 26 pontos, o que é muita coisa para uma história já conhecida. Muito legal, né?

Irmãos Coragem, 1970 — 1994

novela é sobre a luta de João Coragem — Tarcísio Meira na primeira versão e Marcos Palmeira na segunda — por uma injustiça cometida contra ele e sua família pelo coronel Pedro Barros, que roubou um diamante achado por ele nos garimpos.

Mesmo sendo um homem pacífico, João acaba liderando um bando de garimpeiros injustiçados para lutar contra seu algoz. Com uma trama que envolve injustiça, luta pela liberdade e, claro, coragem, a história teve duas versões que fizeram muito sucesso.

E foi a primeira novela da teledramaturgia brasileira a ter uma cidade cenográfica e um núcleo de protagonistas masculino, feito justamente para tirar a ideia de que novelas eram apenas para mulheres.

Pantanal, 1990 — 2022

A trama pantaneira se passa em uma das regiões mais lindas e perigosas do Brasil: o Pantanal, lugar onde as pessoas convivem com cobras, bois e onças. O enredo gira em torno da história de José Leôncio — Paulo Gorgulho na primeira versão e Renato Goés na segunda — um boiadeiro que caça bois marruás e, infelizmente, perde o seu pai na imensidão do Pantanal. Foi uma novela que inovou no sentido de trazer duas fases, como se fossem duas temporadas, mostrando a perspectiva dos personagens tanto na época quanto anos mais tarde.

Com uma trama recheada de brigas por terras, folclore pantaneiro e amores impossíveis, essa novela fez um sucesso estrondoso, sendo uma das produções mais assistidas da extinta TV Manchete.
Seu remake de 2022 também está tendo um sucesso gigante, principalmente porque uma das personagens principais, a Maria Marruá, foi interpretada por Juliana Paes, uma atriz querida pelo público.

A Escrava Isaura, 1975 — 2005

Isaura, inicialmente interpretada por Lucélia Santos e depois por Bianca Rinaldi, nasceu em 1835 na fazenda do Comendador Almeida em Campos dos Goitacazes no Rio de Janeiro. Ela é filha da bela Juliana, escrava do comandante Miguel, que morreu durante o parto.

Tudo se complica em sua vida quando o jovem Sr. Leôncio (Rubens de Falco), filho de um comandante, retorna à fazenda, e desenvolve uma paixão doentia por ela, o que não lhe agrada, haja vista que Isaura não o ama. Em meio a tanto sofrimento, Isaura descobre o amor. Depois de anos, ela foge com o pai e se refugia em uma fazenda perto de São Paulo, onde leva o nome de Elvira Vaz e vive longe de tudo e de todos.

A Escrava Isaura foi exibida em mais de dez países, entre eles Chile, Peru, Japão, Portugal, e isso fez com que fosse conhecida e amada por pessoas de diversos lugares. Incrível, não?

O Rebu,1974 — 2013

O Rebu foi uma novela brasileira que causou impacto muito grande desde o início, porque falou de um crime bárbaro que aconteceu no primeiro capítulo em uma festa da alta sociedade brasileira. Tanto na primeira versão quanto na segunda o assassinato ocorre, no entanto, de formas diferentes. Na primeira versão, alguém é morto em algum cômodo da casa, já na segunda, a pessoa é encontrada morta dentro da piscina, e todos os presentes na festa são suspeitos. Além disso, essa versão foi inspirada em uma cena do longa Crepúsculo dos Deuses, muito legal, né?

A trama conta com participações de atores e atrizes muito renomados na televisão brasileira; na primeira versão, Lima Duarte interpretou Alan, um ladrão de mansões que entra na festa de penetra e acaba presenciando toda a ação. Na segunda versão, o personagem é feito por Jesuíta Barbosa.

Cabocla, 1979 — 2004

O amor entre Zuca e Luís Jerônimo é a peça principal dessa novela tão amada. Interpretado inicialmente por Glória Pires e Fábio Júnior e depois por Vanessa Giácomo e Daniel Oliveira, esse casal de Vila da Mata (cidade fictícia) passou por muitos percalços para poderem estar juntos.

Por conta dessa produção, a novela e alguns atores foram indicados a prêmios. Vanessa Giácomo, por exemplo, foi eleita Atriz Revelação do Ano; Tony Ramos recebeu o prêmio de Melhor Ator pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA); e, por fim, Cabocla recebeu o Prêmio Qualidade Brasil SP 2004 de Melhor Novela do Ano. Além disso, a novela foi transmitida em outros países, como Venezuela, Chipre, EUA, Portugal e Moçambique.

A Viagem, 1975 — 1994

A trama dessa novela se passa em torno do desejo de vingança que o espírito de Alexandre tem contra as pessoas que lhe viraram as costas antes de sua morte. Por conta disso, todas elas acabam sofrendo influências negativas de um espírito que está cada vez mais raivoso.

A primeira versão, feita na TV Tupi em 1975, teve Toni Ramos e Eva Wilma como protagonistas, interpretando Téo e Diná, respectivamente. Téo nutria por Diná um ciúme doentio, que foi se agravando devido às influências do espírito de Alexandre. Na versão de 1995 da TV Globo, o casal protagonista é composto por Christiane Torloni e Mauricio Mattar. No entanto, há uma pequena mudança na trama, em que o novo amor de Diná, Otávio, morre em um acidente, e eles passam a viver um amor transcendental.

Essa versão fez tanto sucesso que aumentou vertiginosamente a venda de livros com a temática espírita (50%). Foi a novela mais vista da década de 1990 e tinha, em média, 50 pontos de audiência. Já passou diversas vezes no canal Viva e tem até sua versão em DVD, para os fãs de carteirinha.

Bônus: o resgate de Alexandre através do amor entre Diná e Otávio

Guilherme Fontes atuou como o espírito de Alexandre que, por meio de suas ações, mudava a trama toda fazendo com que muitos personagens fossem influenciados. Guilherme pretende revisitar o personagem caso haja novas produções da Globo: “Acho que seria muito legal criar coisas novas para eternizar o Alexandre”.

O casal à direita era o mais querido da trama, pois foi o amor dos dois que fez com que o problemático Alexandre pudesse ter outra chance no plano espiritual, afinal, eles se apaixonaram em muitas outras vidas.

Faltou alguma novela que você adorou assistir e sabe que teve um remake? Conte para a gente nos comentários!

Incrível/Arte/9 Novelas que têm remake e que são amadas em suas duas versões
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos