Incrível
Incrível

22 Pessoas que acabaram ganhando nomes que nem mesmo seus pais tinham planejado

O nome dado pelos nossos pais é algo que, na esmagadora maioria dos casos, nos acompanha pelo resto da vida. Por isso, fazer uma boa escolha é de extrema importância. Entretanto, nessa área às vezes as coisas não saem conforme o planejado, fazendo com que determinados pais acabem dando aos filhos nomes que nem sequer tinham em mente.

  • O meu problema nem era com o nome, e sim a letra: a M. Meu marido teve uma namorada chamada Marina e sempre disse que, se algum dia tivesse uma menina, jamais, em tempo algum, colocaria nela um nome começando com “M”. Tempos depois, tive uma menina, e seu nome começa com “M” e termina con “M”. Ela se chama “MIRIAM”. É por essas e outras que dizem por aí que o falador fala demais e morre na beira da praia. © Penny Legy / Facebook
  • Eu sempre disse que, quando fosse mãe, não colocaria nomes de coisas nos meus filhos para que, no futuro, eles não sofressem bullying. Meu marido escolheu o nome Abril, e todo mundo me pergunta: “Como vai o Março? O Julho anda bem? Cadê o Maiozinho?”. Agora, sinto até vontade de rir disso. © Lusia Sanchez / Facebook
  • Ricardo. Eu tinha cerca de dez nomes na lista, mas terminei colocando Ricardo só porque uma tia minha disse que um de seus irmãos havia reclamado por ninguém usar seu nome para batizar criança alguma. © Carolina Mendez / Facebook
  • Samuel... Era o nome do meu PRIMEIRO ex, e o pai escolheu o mesmo nome para nosso filho... Eu apenas fiquei calada. © Caro Lita / Facebook
  • O nome “Ester”. Eu odiava esse nome por conta de uma amiga de infância de quem eu não gostava muito. Mas minha filha mais velha, por vontade do pai, chama-se Ester. Agora, adoro o nome! © Marisa Juárez / Facebook
  • Meu irmão deveria ser registrado como Jeremy. Foram ao cartório, disseram o nome e o funcionário perguntou por qual motivo queriam dar ao menino um nome tão complicado. “É melhor colocar ’Jaime’”, falou o homem. E ficaram com “Jaime”. Não entendo como minha mãe se deixou manipular. © Sonia QY / Facebook
  • O nome “Adhara” foi apenas uma das muitas opções nas quais pensamos durante minha gravidez, mas não batemos o martelo até chegar o dia de registrar minha filha. O nome que queríamos dar a ela, “Turenne”, não foi aceito pelo cartório, então precisei improvisar. © Wendy Zulema Maganda / Facebook
  • Tínhamos resolvido batizar meu filho como Emanuel, mas na hora de registrá-lo, o pai pediu para colocar “Luis Romão”, isso em homenagem ao seu avô paterno. Hoje, meu filho não gosta do próprio nome e usa apenas o “Luis”. © Lidi Romero / Facebook
  • Valery. Passei a gravidez pensando que minha filha se chamaria Antonella ou Maria Paula, mas quando estavam preenchendo o cartão de vacinação e perguntaram o nome da criança, o pai dela disse Valery. E assim ficou. © Camila Lozano / Facebook
  • Gustavo, como o pai. Nem mesmo o pai queria colocar esse nome, mas no cartório disseram que precisávamos dar um nome mais comum, pois a outra opção seria Jafé.
    © Melva Menendez / Facebook
  • Naomi, o nome com “N” que eu achava mais feio. Sempre falei ao meu marido que não gostava desse nome, mas tcharaaaan! Tivemos uma filha e o pai, obviamente, quis chamá-la assim. Às vezes penso que ele fez isso só para me incomodar, mas ele diz tratar-se apenas da junção dos nossos nomes: Nairovy e Miguel. © Nairovy Sosa / Facebook
  • O do meu filho único, que se chama Heitor Omar. Meu marido fez uma promessa, e eu não tive escolha. Não é que eu não goste do nome, só que a minha ideia era dar o mesmo nome de algum primo ou de outro parente. © Mirta Guerrero / Facebook
  • Sebastião. Meu filho se chamaria Lautaro, mas como eu estava hesitante e mudando de ideia a cada cinco minutos, minha mãe se adiantou e mandou fazer lembrancinhas com esse nome. Tive que deixar assim mesmo. © Lucero Neonaga⃝⃤ / Facebook
  • O meu segundo nome. Tínhamos dito que nenhum dos nossos filhos receberia nomes iguais aos nossos, mas quando fomos registrar nossa filha mais velha, meu marido não gostou do segundo nome em que eu tinha pensado. Acabamos usando como segundo nome dela o meu próprio segundo nome. Assim, nós duas temos “Sofia” como nome do meio. © Natalia Sofía Moya Gallegos / Facebook
  • Na família da minha mãe, o pai dela, o irmão e um tio se chamam Reinaldo. E na família do meu pai é exatamente do mesmo jeito: o pai, o irmão e um tio dele também se chamam Reinaldo. O nome do meu pai é Reinel, então quando eu nasci, meu nome seria “Reinaldo Reinel”. Por sorte, eu nasci mulher. Só que meu irmãozinho não teve a mesma sorte e foi batizado assim. © Rosalia Finalet / Facebook
  • O nome da minha filha é Laura Pâmela, em homenagem à sua avó e a uma tia paterna. Eu não gostava desses nomes durante minha gravidez, e pensava batizá-la como Isabella. Quando ela nasceu, meu marido disse que eu precisava decidir, mas todo mundo já chamava a menina de Pâmela. Hoje, gosto dos nomes. © Sole Edlp / Facebook
  • Inácia, pois eu não gostava do apelido, que é “Nácia”. Era o nome de que eu mais gostava entre aqueles que eram do agrado do meu marido. Agora, ele e minha filha mais velha a chamam de “Nacinha”. © Lizbeth Santander Valderrama / Facebook

Você gostaria de ter um nome diferente do que escolheram para você? E quanto aos seus filhos, eles gostam dos nomes que receberam?

Incrível/Gente/22 Pessoas que acabaram ganhando nomes que nem mesmo seus pais tinham planejado
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos