Incrível
Incrível

20+ Histórias de internautas que emprestaram dinheiro e nunca mais viram a cor dele de volta

Há um ditado que diz “quem empresta, não presta”. Isso porque, muitas vezes, quem emprestou é que fica como o vilão na hora de cobrar. E para fugir da dívida, os caloteiros adotam várias táticas: somem, bloqueiam as redes sociais e até se fazem de desentendidos. Assim, diversas pessoas aprendem da pior forma que não deveriam emprestar dinheiro, ganhando como prêmio de consolação, a lição para não cair mais na conversa de quem não tem muito compromisso com a promessa de devolução.

Incrível.club também pode funcionar como serviço de utilidade pública, por isso, trouxe alguns relatos de pessoas que se arrependeram de emprestar dinheiro. Assim, você poderá ter mais cuidado quando te pedirem uma graninha para pagar depois. Veja só!

  • Emprestar dinheiro é perda certa, se não do dinheiro, da amizade. Muito provavelmente, dos dois. Uma vez, um “amigo” me pediu meu cartão de crédito para pagar um jogo de videogame de 35 reais. Ok, emprestei. Além de não me pagar, o bonito cadastrou meu cartão no jogo e passou a usá-lo para pagar os gastos com o jogo dele. Veio dois meses seguidos na minha fatura. Os 35 viraram 124. Fui falar e ele disse haver esquecido e iria pagar, mas havia se mudado e não teria o valor na hora. Espero até hoje. A esposa dele estranhou “eu ter me afastado” e, quando perguntei, não haviam se mudado nada. Enfim... deixei pra lá. Até tive vontade de lhe contar tudo, mas preferi perder a “amizade”... © Priscila Barbosa / Facebook
  • Uma amiga ficou sem celular e eu acabara de comprar um novo. Aí, ela perguntou se eu poderia lhe vender. Vendi por uma quantia simbólica de 150 reais e entreguei o telefone na promessa de me pagar depois. Quando fui cobrá-la, ela simplesmente me disse que não tinha como pagar e que eu procurasse meus direitos se não quisesse esperar. Faz mais de sete anos que espero. © Elma Vieira / Facebook
  • Minha irmã me pediu 2.000 reais emprestado e isso foi em 2015. Depois de um ano, o marido dela fez um empréstimo no banco e, mesmo assim, ela não me pagou. Agora quer comprar máquina de lavar, geladeira e pediu meu cartão emprestado. Nunca mais! © Claudia Rocha / Facebook
  • Tinha uma amiga de trabalho que vivia pedindo dinheiro emprestado para todos. Um dia, ela me pediu 10 reais e eu dei. Ela nem aí, me pediu mais dez de novo. Muitas pessoas falando para eu não dar, porque ela não ia pagar, mas senti precisar dar mais uma vez. Ela novamente não pagou. Daí, ela engravidou e o salário atrasou. Então, veio me pedir dez novamente, alegando que quando recebesse me daria os 30, mas eu não dei. Acredito que dessa vez ela realmente necessitava e, com dor no coração, senti que dei uma lição nela. © Jaqueline Silva / Facebook
  • Emprestei dinheiro para um casal de amigos pagar as prestações atrasadas da casa deles. Isso já tem três anos e eles pararam de falar comigo. © Nilda Nogueira / Facebook
  • Emprestei um aparelho de celular para uma amiga que perdeu o dela. Ela me disse que assim que comprasse outro me devolveria. Passou um tempo, encontrei-a e vi estar com um aparelho novo. Perguntei onde estava o meu e soube que ela o havia vendido. © Tathiana Ribas / Facebook
  • Uma vez, peguei um dinheiro emprestado com minha cunhada para ajudar meu irmão a ir visitar os filhos doentes, com a promessa de me pagar em cinco dias. O dinheiro era da minha cunhada para pagar sua conta de água e luz. No dia combinado, ele simplesmente sumiu, não atendia às ligações e nem sequer respondia às mensagens. Paguei minha cunhada do meu próprio bolso e corri atrás de receber dele. Quando me pagou, ainda “jogou na cara” uma quantia que ele havia dado a um dos meus filhos. Peguei o dinheiro e devolvi o “presente”. Família, família, negócios à parte. © Adriana Galvão / Facebook
  • Uma amiga me pediu dinheiro emprestado para comprar alguns cosméticos. Passei no cartão do meu esposo e ela disse que me pagaria direitinho. Bom, fui amiga e emprestei, se ela não foi amiga em cumprir com o combinado, acredito que minha perda vale como um valor necessário a pagar para me livrar de gente assim. © Aninha Oliveira / Facebook
  • Passei seis meses nos EUA e trouxe roupas de bebê para vender. Quando cheguei, quis logo encontrar meus amigos e parentes, e meu melhor amigo na época aproveitou e fez umas comprinhas para a afilhada. Comprou 640 reais e me disse que pagaria o boleto que emiti para ele. Inventou milhões de desculpas, que não estava conseguindo fazer o pagamento e até me culpar, dizendo que eu preferia o dinheiro à amizade. Ele sumiu e já se passaram três anos. © Marcella Palhares / Facebook
  • Certa vez, emprestei dinheiro a minha prima para comprar material de colégio da filha. Detalhe, a dela estuda em colégio particular, e os meus, em escola pública. Depois, aumentou a dívida para o aniversário da menina. Fiquei esperando meses ela me pagar e nada. Trabalhávamos no mesmo lugar. Quando cheguei ao trabalho, o namorado dela, que era nosso gerente, disse que ela ia entrar mais tarde porque estava no salão fazendo unhas e cabelo. Fiquei furiosa, pois, eu não tinha esse tipo de luxo. Passei muito tempo sem falar com ela. Enfim, nunca me pagou. Hoje, ela chega perto de mim só contando derrota e eu finjo que nem é comigo. Gosta de ter luxo em cima do sacrifício dos outros. © Franciélly Lindenberg / Facebook
  • Emprestei 2.000 a uma pessoa da família e, na hora de pagar, ela parou de falar comigo. Aí, tentou voltar a falar, dei brecha e ela me pediu de novo. Então, disse que ela não me pagou nem o anterior... ficou com raiva e não fala comigo há mais de quatro anos. © Aline Vilanueva / Facebook
  • Uma vez, um colega de trabalho me pediu 40 reais emprestados. Emprestei e ele me devolveu após um mês de atraso. Essa mesma pessoa, em outra ocasião, me pediu 80 e novamente emprestei, só que, ao me pagar, ficou devendo 20. Claro, não cobrei e fiquei na minha. No ano passado, depois de quatro anos, ele me mandou mensagem pedindo 500 reais emprestados. Lembrei dos 20 e nem respondi à mensagem. © Gil Trindade / Facebook
  • Tive uma amiga de infância que me pediu dinheiro, pois queria comprar um presente para o namorado dela e me pagaria depois. Esse depois já são quase quatro anos e ela nunca mais falou comigo, inclusive, me bloqueou de tudo. Cobrei várias vezes e, hoje, entendo que o dinheiro foi mais importante que a minha amizade. A última vez que a vi foi no dia do meu casamento que, por incrível que pareça, foi no mesmo dia que o dela, casamos juntas no mesmo cartório. O pior de tudo é saber que ela não tá nem aí e eu sinto muita falta dela. A vida nos ensina. © Nayara Caroline / Facebook
  • Paguei o plano de saúde do meu melhor amigo por alguns meses, até não conseguir mais. Recentemente, ele vendeu um apartamento, mas nem me ofereceu a quantia que gastei. Enfim, entendi que, pelo fato de a esposa dar aula uma vez por semana de graça para minha neta, paguei quitando as parcelas do plano de saúde dele. © Evelyne Miranda / Facebook
  • Eu já aprendi minha lição por três vezes que quebrei a cara. Com a primeira pessoa, perdi o dinheiro e o amigo sumiu. Na segunda vez, quando fui cobrar, a pessoa disse esperar que eu não dependesse desse dinheiro, já que para ela ia fazer falta. Com a última, quando a cobrei, mandou uma foto da geladeira dizendo duvidar que a minha vida fosse pior que a dela... Resumindo, não emprestem, na hora de pagar o errado é você por cobrar. 🤦‍♀ © Angela Cristina / Facebook
  • Há uns oito anos, eu viajava com umas amigas e surgiu uma festa black tie para irmos. Uma delas resolveu comprar um vestido de festa, pois não havia levado. Após escolher, experimentar e até pedir a loja cortar a bainha para a sua altura, percebeu que não havia levado talão de cheques. Aí, me pediu que pagasse pelo vestido, um total de 1.500 reais. Ela negociou com a loja três cheques (meus). Quando os cheques começaram a cair, nas datas preestabelecidas, ela não me pagava. Esperei quase os três meses para cobrar. Sempre que estávamos juntas eu comentava que já havia caído alguns cheques e que ela havia “esquecido” de depositar em minha conta. Por fim, consegui receber, mas fui obrigada a ouvir que os valores eram tão insignificantes que passavam despercebidos, esse era o motivo do esquecimento. E que ela acabou comprando o vestido porque eu arrumei a tal festa. Pode? © Regina Mattos / Facebook

Alguns desses relatos passam dos limites mesmo, não é? Você já emprestou dinheiro e não recebeu de volta? Deixe seu comentário, quem sabe fazemos uma parte 2?!

Incrível/Gente/20+ Histórias de internautas que emprestaram dinheiro e nunca mais viram a cor dele de volta
Compartilhar este artigo