20 Histórias de leitores do Incrível que tiveram de enfrentar autênticos “caras de pau”

No mundo existem dois tipos de pessoas: as que fazem tudo corretamente e sempre estão dispostas a ajudar os outros e as que sempre encontram uma forma de se aproveitar das situações em benefício próprio. Os leitores do Incrível sabem muito bem disso e por isso decidiram compartilhar as situações mais absurdas que já viveram com pessoas sem escrúpulo nenhum.

Incrível.club sabe que algumas dessas situações são bastante frustrantes, mas concorda com os usuários que decidiram enxergar o lado mais divertido delas depois de superarem o trauma.

  • Meu marido e eu temos um pequeno negócio de tacos e ele sempre dá um taco para um rapaz que vem recolher o lixo. Vale destacar que quando meu esposo não está, o rapaz nunca vem pedir nada. Durante quatro finais de semana, meu marido não apareceu. No quinto final de semana, o rapaz se aproximou e me disse que se meu esposo não estivesse, estaríamos devendo cinco tacos para ele. “Mas tudo bem, a senhora pode me pagar”. Ou seja, ele não queria os tacos, queria dinheiro! Eu o mandei para aquele lugar. © Vero Lopez / Facebook
  • Estávamos lavando a entrada de casa quando uma família composta pelos pais e cinco filhos se aproximou. Eles perguntaram se podiam tomar banho e nós dissemos que sim. Foi então que a filha mais velha disse: “Eu só como arepa com manteiga, ovos e queijo”. Eu ri, porque pensei que era uma piada, mas quando olhei para ela escutei a seguinte frase: “Para mim, pode trazer assim”. Ao que eu respondi: “Se nem pra mim tem, por que eu vou dar pra você?” Por culpa dela, sempre que a família passa aqui em frente eu não abro a porta. © Adriana Saraz / Facebook
  • “Minha melhor amiga”. Ela entrou no trabalho uns 2 anos depois de mim e nos demos bem desde o começo. Nossa amizade já tinha 4 anos, eu estava grávida e estava economizando para quando o bebê chegasse. Para ela, as oportunidades no trabalho não eram muito boas, então o chefe recomendou que fizesse um curso. Ela me disse que não tinha dinheiro para pagar. Como eu queria deixar alguém de confiança para cuidar dos meus clientes, emprestei um dinheiro.
    Algum tempo depois, fiz uma pergunta sobre algo técnico no trabalho e a descarada me disse que ou eu deveria estudar ou deveria pagar um curso, porque ela não tinha aprendido tudo aquilo de graça. Pedi que me devolvesse o dinheiro emprestado e ela disse não, alegando que eu havia pagado o curso e que como amiga era muito feio cobrar de volta. Além disso, falou mal de mim para o meu chefe e para os clientes. Quando a enfrentei, disse que nunca gostou de mim. Decidi que nunca mais faria amizade no trabalho. A traição doeu muito, mas aprendi a lição. © Mayumi Carmona Bello / Facebook
  • No dia do pagamento tínhamos o costume de comprar sanduíches e outros alimentos para comer na hora da saída. Uma colega sempre ligava para o marido e para os três filhos e todos eles vinham comer conosco. O problema é que ela jamais colaborou com absolutamente nada, e eles eram cinco bocas. Paramos de fazer isso por causa dela. © Bea Catan Grispo / Facebook
  • Eu tinha um namorado que adorava viver bem, mas era um pouco mão de vaca. Uma vez, comentei que tinha feito amizade com um professor da universidade que vinha de outra cidade para dar aulas e que dormia em um hotel. Meu namorado, que era uma pessoa muito sociável, imediatamente entrou em contato com ele e o convidou para jantar em um lugar bastante caro. Fomos ao restaurante e ele pediu muitos pratos, para que o professor experimentasse as delícias da nossa cidade. Meu namorado pediu a conta (que era bastante salgada) e foi ao banheiro. A conta veio e ele demorou mais de meia hora para voltar. O professor não teve alternativa, tirou a carteira e pagou tudo.
    Calma que ainda tem mais. Quando recebi meu primeiro salário fui toda feliz contar para o meu namorado. Ele me ouviu e logo em seguida disse que tinha de pagar algo perto da minha casa, mas não dava tempo de ir ao banco sacar dinheiro. Eu estava sem dinheiro, mas disse: “Use meu cartão e me devolva amanhã”. Sim, ele me devolveu o cartão no dia seguinte, mas a conta estava vazia. Quando vi as movimentações bancárias, descobri que ele saiu para jantar, foi a uma festa e antes passou em uma loja e comprou um terno. Demorei muito tempo para descobrir quem ele realmente era. O amor é cego. © Susana Sanchez-Ferrer / Facebook
  • Antes de começar, vale destacar que a minha amiga é muito inocente. Um dia, ela me contou que estava devendo uma grana para uma colega de trabalho. Segundo ela, essa colega pediu para guardar o dinheiro do salário na mochila dela, mas o problema é que minha amiga vive com esse acessório. Bom, ela disse que as duas estavam andando e, de repente, a colega falou que a mochila estava aberta e que o dinheiro tinha sumido. Ou seja, minha amiga disse que precisava pagar o salário da moça que estava na bolsa e que, segundo a outra, tinha sido roubado. Quando ela terminou a história, percebemos que tinha sido enganada. © Francisca Sofia Orellano / Facebook
  • Um dia, um vizinho me pediu uma pá emprestada. O problema é que ele era desses que “se esquece de devolver”, então eu tive de pedir de volta. Alguns dias depois, o irmão dele apareceu e, com um tom irritado e arrogante, disse: “Me dá aquela pá porque estou precisando dela”. Eu, já irritada, disse: “Que pá? Não tenho nada seu aqui”. E ele, cada vez mais raivoso, respondeu: “A pá do meu irmão”. Eu disse que a pá era minha e que não podia emprestar porque estava usando. © Celeste Paz / Facebook
  • Sigo várias páginas de bairros nas redes sociais. Hoje, casualmente, uma mulher pediu ajuda para comemorar o aniversário do filho. Uma outra pessoa comentou que desde junho essa mulher vive pedindo coisas para a vizinha que é mãe solteira, para o irmão que está desempregado e para ela e seus filhos. Tem gente muito viva por aí hoje em dia. © Xinia Castro / Facebook
  • Eu vendia produtos de limpeza e uma colega fez um grande pedido. Decidi dar o que pediu e ela me disse que pagaria na semana seguinte. Alguns meses se passaram e ela parou de falar comigo e passou a me evitar no trabalho. Até que eu vi uma foto dela com uma nova tatuagem nas redes sociais; na mesma publicação pedi que pagasse o que me devia. No dia seguinte, toda irritada, ela jogou o dinheiro na minha mesa e me perguntou: “Quando chegam os outros produtos?” Ao que eu respondi: “Você acha que eu vou aceitar mais pedidos quando sei que você não me paga?” Nunca mais falamos. © Ariana Pensso / Facebook
  • Trabalho em um hotel. Um dia, dois irmãos alugaram um quarto para passar a noite. O horário de entrada era a partir das 15h. Um dos irmãos veio nesse horário e outro chegou às 19h. Depois de um tempo, o segundo irmão desceu na recepção para pedir um quarto limpo. Segundo ele, o quarto estava sujo porque o irmão estava nele há 4 horas. Muito educadamente, meu colega disse que ele podia alugar outro quarto. O rapaz ficou superviolento porque queria um quarto limpo sem pagar nada. © Yanexy Domínguez / Facebook
  • Uma tarde, minha mãe e eu chegamos do supermercado e ouvimos alguém bater na porta com muita urgência. Saímos e era o vizinho pedindo dinheiro para pegar um táxi. Ele disse que a filha dele estava muito mal e precisava ir ao hospital. Eu tirei uma nota alta, para pagar a ida e a volta. Ele pegou e disse que pagaria quando pudesse. Lembro de dizer para a minha mãe: “Eu sei o que é estar nessa situação e não ter dinheiro”. O problema é que ele nunca mais apareceu. © Mildred Daniela Hernandez / Facebook
  • No México as pessoas têm padrinhos de formatura. Uma amiga perguntou para mim e para meu marido se queríamos ser os padrinhos de formatura da filha dela. Com alegria, aceitamos. O costume nesses casos é dar flores e um presente e convidar a família para jantar. Chegamos na formatura e minha amiga saiu para nos receber. Ela pegou as flores, o presente, nos deixou na porta e voltou para dentro. Sim, eles comemoraram a formatura e tiraram várias fotos sem a gente. Na hora de receber a formanda, colocaram a irmã e o cunhado no nosso lugar. Algum tempo depois, a formanda perguntou quais fotos nós iríamos dar de presente e eu disse que em todas em que ela saísse conosco: nenhuma. Fomos embora e não levamos ninguém para jantar. © Norma Martinez / Facebook
  • Minha mãe conheceu uma senhora que tinha muitos filhos e estava com problemas financeiros (vale destacar que nós tampouco tínhamos muito dinheiro). Como minha mãe ficou comovida com a história, decidiu contribuir com algo. O mais surpreendente foi que essa senhora averiguou onde vivíamos e veio pedir mais dinheiro emprestado. Isso aconteceu duas vezes. A questão é que essa mulher tinha um filho adulto, então minha mãe perguntou: “Por que você não procura um trabalho?” Pronto, a partir daí foi tudo ladeira abaixo. Eles ficaram bravos e perguntaram por que estávamos humilhando-os (eu tinha a mesma idade que o rapaz e estava trabalhando). Depois disso, começaram a nos tratar mal e a dizer que éramos antipáticos e arrogantes. © Lisseth Medina / Facebook
  • Contratei um ajudante para cavar uma canaleta para levar luz até o fundo da minha casa, que fica em um terreno de 60 m. O homem veio apenas no primeiro dia, depois me ligou para avisar que o avô estava internado. No dia seguinte, a namorada também estava internada. Enfim, ele nunca mais apareceu, mas ligou para que eu pagasse o trabalho que ele nunca terminou. © Maria Silva / Facebook
  • Um casal que estava junto há 10 anos me chamou para ser madrinha do seu casamento. Eles chegaram na minha casa com uma cesta com vinho, chocolate e pão. Eu pensei: “Nossa, que detalhe bonito”. Me disseram que como madrinha eu tinha de dar as alianças de ouro branco, o véu, o buquê e os sapatos da noiva. Além disso, deveria pagar a música da festa e emprestar meu carro para levá-los na igreja e na festa. Eu falei que ainda não sabia que presente iria dar, mas disse que se eles quisessem alianças de ouro, véu, buquê, sapatos, música na festa e táxi, que pagassem por conta própria. Os dois falaram que eu era uma mal-agradecida, se levantaram, foram embora e levaram a cesta com eles. © Noor Cast / Facebook

Você já precisou enfrentar alguma situação como essas? Qual foi o episódio mais absurdo que já viveu com uma pessoa “cara de pau”? Comente!

Compartilhar este artigo