16 Pessoas contaram sobre o momento em que perceberam que os filhos realmente são um reflexo dos pais

As crianças estão sempre de olho no que os mais velhos estão fazendo. Observam como agem em situações de estresse, como interagem com os outros, o que fazem para conseguir o que querem. E embora sejam pequenas, essas crianças prestam atenção em muito mais do que imaginamos.

Nós, do Incrível.club, lemos diversas histórias, das quais pudemos tirar uma conclusão: as crianças realmente copiam o comportamento daqueles ao seu redor. Algumas histórias são engraçadas, umas, comoventes e outras, ainda, nos fizeram refletir. Por isso, confira!

  • Fui visitar uns amigos, e lá estava o filho deles de 7 anos. Eu sabia que o menino estava economizando para comprar um controle de videogame, então dei a ele um dinheirinho. Uma hora depois, o garoto apareceu com uma sacola cheia de fast-food. Eu disse: “Ei, o que é isso? Você estava guardando, por que gastou tudo com besteira?” Ele expirou com força e respondeu: “Tia, quem economiza hoje em dia? Precisamos viver! E ainda tem a inflação...” Me virei para o pai dele: “Você comprou alguma coisa cara recentemente? Seu filho não está falando como uma criança”. Ele respondeu: “Aham, eu também estava juntando, mas depois gastei tudo num dia só. A gente precisa viver o hoje e o agora”. © mattahari / Pikabu
  • Minha irmã decidiu verificar a audição do seu filho, porque ele dizia com frequência: “O que você disse, mamãe?” Depois, descobrimos que ele apenas copiava essa frase da mãe, quem, de fato, estava com problemas para ouvir. © underwateroxygen / Reddit
  • Minha esposa e eu usamos a palavra “poodle” quando discutimos questões que podem forçar um de nós a mentir apenas para deixar o outro feliz. Em tese, ela significa “verdade”. Por exemplo, digamos que minha esposa quer que eu a acompanhe a uma apresentação de dança no sábado de manhã. Concordo, mas sem nenhuma vontade. Ela pergunta: “Tem certeza?” Se eu responder: “Poodle”, isso significa que realmente estou com vontade de acompanhá-la. Mas, na verdade, não é esse o caso. Por isso, admito que prefiro dormir mais umas horinhas em casa e depois jogar videogames. Quando alguém aciona o “poodle”, não é permitido mentir. Essa é uma regra na nossa família, a qual nunca explicamos à nossa filha de 3 anos. Porém, certa noite, quando estávamos no sofá, eu a abracei e disse: “Te amo, filha”, e ela perguntou: “Poodle?” Sorri e respondi: “Poodle”. © Justin Franco / Quora
  • Quando meu filho tinha 2 anos, eu o corrigia toda vez que ele dizia que detestava alguma coisa. Por exemplo, ele dizia: “Odeio brócolis”, e eu: “Não, amor, você só prefere feijão”. Uma vez ele bateu com força na quina da mesa, fui acudi-lo e disse: “Odeio quando isso acontece”. Entre lágrimas, ele perguntou: “Isso, o quê?” Respondi: “Quando bato em algo duro”. O choro diminuiu, e ele me corrigiu: “Não, mãe, você prefere bater em algo macio”. © Doreen Campbell / Quora
  • Aos 3 anos, minha prima adorava a frase “Tente, você vai gostar”. Imagino que os pais deviam repeti-la muitas vezes para persuadir a filha a comer algo novo, além de macarrão. Então, toda vez que eu dizia a ela que não queria algo, ela retrucava com essa frase. E mesmo quando eu tentava explicar: “O gato não gosta de ser segurado desse jeito”, ela se virava para o gato e dizia “Tente, você vai gostar!” © Kiera Dwy / Quora
  • Em uma loja de construção, ouvi uma criança de 3 ou 4 anos perguntar à mãe, com um “ar” de discussão de negócios: “Mas preciso disso ou posso viver sem?” Aí está, a dura realidade da vida. © Podslushano / Ideer
  • Minha filha fez amizade com os gatos da vizinhança. Eu sabia que era algo especial quando descobri que ela guardava um pote marcado com os dizeres “Guloseimas para os gatinhos”, no qual ela colocava todo o troco que recebia. Eu tenho um pote muito semelhante em casa, mas com os dizeres “Diversão para a família”. © dainty_flower / Reddit
  • Fui à casa de um amigo e levei meu cachorro. Enquanto fazíamos o churrasco, meu cachorro foi passear em direção à estrada. Uma mãe e seu filho passavam ao lado e escutei a conversa deles. “Mamãe, que cachorro lindo. Quero um assim!”, disse o pequeno. A mãe respondeu: “Ué, pegue-o e vamos para casa, então”. E ela não estava brincando. O garoto realmente pegou o meu cachorro nos braços e saiu andando. Corri atrás dos dois e disse à mulher: “Moça, agora imagine que seu filho está brincando no parquinho, um estranho passa ao lado, pega seu filho e sai andando. Você o alcança, e ele apenas diz: ‘Ah, minha esposa queria um, pensei que essa criança não era filha de ninguém’”. © papazov1 / Pikabu
  • Quando eu era pequeno, ao passear, papai sempre ia atrás da gente catando lixo sem falar nada. Hoje, sem nem pensar, sinto uma vontade irresistível de catar latinhas de refrigerante vazias ou sacos de batata chips se os vejo jogados no chão. © wnr3 / Reddit
  • Eu estava na fila para ir ao médico, e havia uma mãe com seu filho ao meu lado. Então, uma mulher chegou com uma criança da mesma idade do menino. O primeiro garoto cruzou os braços sentado, olhou para a mulher e soltou: “Ah, essa Rafaela de novo? Não te aguento mais!” A mãe dele ficou com o rosto vermelho de vergonha, e a Rafaela pegou o filho e foi embora na hora. © Podslushano / Ideer
  • Minha esposa e eu adorávamos ler. Quando nossa filha nasceu, tínhamos muitos livros para crianças da idade dela, e assinávamos o “Reader’s Digest”, por isso deixávamos sempre uma revista sobre a mesa, para qualquer pessoa ler se quisesse. Tentando nos imitar, minha pequena começou a sentar no sofá, folheando as revistas. Certa vez estávamos dirigindo e nossa garotinha de 5 anos, de repente, soltou: “Uns dias atrás, li no ‘Reader’s Digest’ que...” © Dona Hill / Quora
  • Tenho parentes que xingam como piratas inimigos. Quando o filho deles começou a ter problemas na escola, eles tiveram de tomar mais cuidado com as palavras. Chamaram o garoto e listaram todas as “palavras feias” que ele não poderia dizer. O menino abaixou a cabeça, olhou diretamente nos olhos dos pais e disse: “Então, o que posso dizer para aquelas crianças chatas saírem do meu pé?” © Rejoyces / Reddit
  • Entramos num restaurante. Sentei pra tomar um café e deixei meu pequeno brincando. Meu filho tem quase 3 anos e já estamos o acostumando ao pinico há uns dois meses. Então, meu filho vinha descendo no escorrega e, nas calças dele, notei que havia ocorrido um pequeno “acidente”. Ele disse: “Mamãe, fiz xixi nas calças, vamos limpar”. Nessa hora, os outros meninos ao lado começaram a rir dele, especialmente um de uns 8 anos, que apontou o dedo para a minha criança e gritou: “Bebezinho!” De repente, a mãe desse garoto apareceu e continuou: “Que feio. Seu filho ainda não sabe fazer as necessidades? Não quis ensiná-lo a usar o pinico antes?” Respondi mais ou menos assim: “Acho muito pior o seu filho fazer bullying com uma criança que ainda nem tem 3 anos, e você parece aprovar esse comportamento”.
    Quando voltei para casa, parei para refletir. O comportamento do meu filho é um reflexo do meu: ele estava calmo e entendeu que cometeu um erro, veio até mim e pediu para eu lhe ajudar a limpar. A outra criança refletia o comportamento exato da mãe dele. Ele queria forçar o meu menino a se sentir culpado. © carlinha1289 / Reddit
  • Hoje, havia um grupo de adultos com suas crianças de 8 a 10 anos. Dois meninos construíam um castelo de areia, e uma menina tentava destruí-lo. Vale notar que os pais nem estavam prestando atenção nos pequenos. Em certo momento, um dos garotos não aguentou e jogou um punhado de areia na menina. Ela logo saiu gritando e chorando, e o menino foi repreendido pelo pai. A mãe dessa menina ainda disse: “Meninos, lembrem-se de uma vez por todas: é muito importante respeitar as meninas”. Pelo visto, o mocinho achou que não tinha mais nada a perder e soltou: “E por que as meninas não nos respeitam?” A resposta da mãe foi bastante esclarecedora: “Porque as meninas não têm obrigação de respeitar ninguém”. © flyheart.ann / Pikabu
  • Minha sobrinha tem 6 anos e disse que precisava emagrecer para usar tops como as outras meninas e não “parecer ridícula”. O mais horrendo é que a mãe dela concordou e disse: “Que bom que ela já percebeu desde cedo”. © kirrrrya / Twitter
  • Trabalho como educadora. Uns dias atrás, uma mãe apareceu na escola gritando: “Vocês não são educadores, são charlatões, e nesta escola não há crianças, mas marginais, vou escrever uma reclamação sobre vocês”. Fiquei horrorizada: no meu grupo, há crianças de 5 anos, o que elas poderiam ter feito de tão ruim? Bem, o que aconteceu foi que a “filha de ouro” dessa moça, segundo ela, começou a falar palavrão em casa. E ela quis reclamar comigo, como se a menina tivesse aprendido as palavras feias na escola, e não com ela, em casa.

Você já testemunhou tais situações em que as crianças se mostraram ser réplicas exatas de seus pais? Comente!

Compartilhar este artigo