16 Histórias sobre código de vestimenta no trabalho, que parece ter sido inventado só para complicar a vida dos funcionários

Tradicionalmente, o código de vestimenta no ambiente de trabalho é implementado como forma de motivar e disciplinar os funcionários. No entanto, hoje em dia, cada vez mais empresas, inclusive as mais prestigiadas, escolhem dar mais liberdade aos seus trabalhadores, preferindo códigos de vestimenta menos rígidos.

Nós, do Incrível.club, não temos um código de vestimenta, então lemos com muito interesse as histórias de usuários que tiveram de seguir regras estranhas da empresa, bem como as histórias de recrutadores que já viram de tudo ao contratar novos funcionários.

  • A nossa empresa acabou de nomear um novo diretor. Em primeiro lugar, ele suspendeu as sextas-feiras casuais. Proibiu o uso de camisetas e jeans, obrigou os homens a usarem gravatas e sapatos sem cadarço. Eu só quero fazer o meu trabalho e voltar para casa com uma sensação de realização. Por que devo usar uma gravata e sapatos desconfortáveis ​​para escrever código? © bernerbits / Reddit
  • Para mim sempre foi importante que não houvesse um código de vestimenta rígido no trabalho. Odeio camisas e calças, gosto de conforto. Em um dos empregos, no verão, o chefe usava chinelos, shorts e camisetas; quando não havia reuniões com clientes, claro. E quando havia, ainda assim usava a mesma roupa, e mandava o vice-diretor para a reunião, que sempre estava de terno. © Anastasia / AdMe.ru
  • Não fui contratado como gerente de armazém porque fui para a entrevista vestindo terno. Fui entrevistado pelo chefe que estava com roupas bem casuais. Em termos de experiência e educação, eu fui muito bem. Mais tarde, uma conhecida que trabalhava lá contou o que o chefe havia dito sobre mim: “Ele chegou, todo vaidoso, de terno, manicure, cheirando a perfume. E nós aqui trabalhamos de verdade”. © Paulus1977 / Pikabu
  • Certa vez, todo mundo recebeu instruções no e-mail corporativo para se vestir “modestamente, mas com bom-gosto” na próxima festa da empresa. Quando perguntei: “Será que em festas anteriores a gente estava com roupas chamativas e de mau gosto?”, fui chamado para a sala do diretor. Enfim, perdi toda a vontade de ir para aquela festa. © Baktygul Kulbatyrova / Facebook
  • Arranjei um trabalho no qual exigiam penteado “testa aberta”: isso, segundo eles, demostra franqueza. Eu usei franja durante toda a minha vida; penteado sem a franja não combina nada com meus traços. Mas tudo bem, fiz a tal “testa aberta”, prendi a franja. Passei o dia todo assim e à noite tentei fazer meu penteado habitual, mas minha franja ficava em pé, marcada pelos grampos de cabelo. Pensei “esse tipo de ’franqueza’ não é para mim” e me demiti. © Veronika / AdMe.ru
  • No meu antigo emprego, a equipe de vendas tinha de usar ternos durante a semana (e qualquer roupa nos finais de semana). Era uma regra sem sentido porque membros de outros departamentos (no mesmo escritório), por exemplo, o da contabilidade, podiam se vestir como quisessem. A diretoria acreditava que dessa forma estava mantendo o espírito de negócios da equipe de vendas. Mas, na verdade, era irritante ver como todos ao redor estavam confortáveis de jeans e camisetas, enquanto nós nos vestíamos formalmente. O mais curioso é que os nossos clientes não podiam entrar no escritório, então ninguém nunca nos viu com o nosso “uniforme”. © redheadedfury / Reddit
  • Estávamos entrevistando candidatas para um cargo que exigia organizar e embalar pequenos produtos para artesanato. Chegou uma moça bonita e arrumada com unhas muito compridas. Eu disse que provavelmente seria desconfortável trabalhar com aquelas unhas, e perguntei se ela poderia diminuir o comprimento. A garota me olhou com desprezo, se levantou e saiu do escritório. © Catarina0905 / Pikabu
  • Nossa construtora adotou um código de vestimenta — proibiram jeans e calçados esportivos. Devido à minha função, passo a maior parte do tempo nos locais de obras. Certa vez, estava na minha moto, a caminho de mais um canteiro de obra, para controlar alguns trabalhos topográficos no terreno. De repente, uma chamada urgente do escritório. Fui correndo até lá. Na entrada, me deram uma multa de 600 dólares. © Tatiyna Mikhailova / Facebook
  • Uma vez, fui ao tribunal para uma audiência. Era verão, um dia quente. Estava de bermuda social, comprimento abaixo do joelho e uma camisa branca com mangas curtas. Na entrada, o oficial de justiça não me deixou passar, dizendo que, segundo a ordem do presidente do tribunal, não era permitido entrar usando shorts. Meus argumentos de que não eram shorts não foram aceitos: o tribunal não é uma praia. Faltavam 20 minutos para a audiência. Corri até a loja mais próxima, comprei a saia mais barata, alguns centímetros acima do joelho, com brilho nas laterais. Voltei, e, surpresa, me deixaram entrar sem problemas. Ou seja, com bermudas sociais não podia entrar, mas com uma saia horrorosa brilhante — tudo bem. © Anastomus / AdMe.ru
  • Consegui um emprego em uma pequena editora: diretor adjunto para assuntos administrativos e jurídicos. Eu tinha 25 anos e decidi me vestir de acordo com a função. Então, ia trabalhar de terno, mas sem gravata. Um dia, o diretor me chama e diz: “Então, aqui é uma editora, somos uma equipe criativa, e com esses ternos, você chama muita atenção. Poderia se vestir um pouco mais informal, para se encaixar?” Acenei com a cabeça e, no dia seguinte, vim com a minha roupa habitual. Devido à minha paixão por rock, minha roupa habitual era: calça jeans preta com corrente, camiseta de banda de rock, botas e jaqueta de couro. O diretor olhou para mim e disse: “Quando eu disse ‘informal’, não quis dizer tão informal”. © Shaft83 / Pikabu
  • Uma vez, fui para uma entrevista de trabalho. Como fiquei desempregado por um longo tempo e, em geral, estava mais acostumado com trabalho remoto, me esqueci completamente da existência de códigos de vestimenta. Cheguei, e lá, além de mim, havia mais cinco candidatos. Todos de terno, sapatos, gravatas, e eu de bermuda, camiseta e crocs amarelos. Já queria ir embora, tinha certeza de que não iria conseguir o trabalho. Mas então, um homem de camiseta e shorts saiu do escritório, olhou para todos e perguntou: “Por que estão vestidos assim?” No final, escolheram a mim. Claro, o nível de experiência e conhecimento podem ter influenciado, mas aposto que também foi pelos crocs amarelos da sorte. © Palata № 6 / VK
  • Eu trabalhava em um restaurante, era uma profissional experiente. Vi todo tipo de desastres entre os novatos, e eu mesma já tive meus momentos... Mas um incidente ficou especialmente marcado na minha memória. Um moço trabalhou para nós por algumas semanas (um estagiário), e, uma vez, veio trabalhar de meias brancas. O nosso código de vestimenta dizia: as meias devem ser pretas ou azuis-escuras. Então, o cara teve a ideia genial de tirar as meias e enrolar os pés com guardanapos pretos. Foi descoberto quando o guardanapo saiu do sapato. Todo mundo riu até chorar. Mas uma coisa é certa: a sua engenhosidade era insuperável. © Podsluhano / Ideer
  • Consegui um emprego como pediatra em uma clínica particular. Havia todo um guia de regras, inclusive sobre a aparência. No começo, segui o código de vestimenta: bata branca, sapatos fechados elegantes. Aí não aguentei, comprei calça cirúrgica amarela, meias amarelas com Pikachu e crocs amarelos. Por duas semanas me senti uma verdadeira rebelde, e, uma manhã, no vestiário, encontrei mais três conjuntos amarelos. © Podslushano / VK
  • Meu chefe fica andando pelo escritório, controlando se todos estão com camisas para dentro das calças — essa é a regra. Uma vez, era meu aniversário, os colegas me parabenizando, e então, o chefe entrou na sala. Pensei que também queria me felicitar, mas ele apenas disse: “Coloque a camisa para dentro.” Eu disse que já já o faria, e ele, sem esperar, me exigiu fazê-lo imediatamente. Eu, claro, obedeci, e quando ele saiu, a primeira coisa que fiz foi procurar as regras. Descobrimos que a regra se aplicava a todas as camisas, exceto as havaianas. Então fui até a loja mais próxima e no dia seguinte apareci no escritório vestindo a camisa havaiana mais chamativa que encontrei. O diretor me encarou por um longo tempo, mas não disse nada, virou-se e saiu. Eu contei aos meus colegas, e agora metade do escritório usa essas camisas. Bem, tudo de acordo com as regras. A propósito, nossos clientes não entram no escritório. © kazin*** / Reddit
  • Quando eu estava estudando na faculdade de Medicina, fiz um estágio em um hospital. Cheguei com uma calça social e uma bata por cima. Me falaram que não podia usar calças, apenas saias. Perguntei por quê, e a resposta foi: “Porque a infecção pode estar nas calças”. Também tínhamos garotos no grupo e um deles perguntou: “E nós, também não podemos usar calças? Estaremos todos de saias amanhã”. © Anna Ivanchuk / Facebook
  • Eu costumava recrutar funcionários para empresas do Vale do Silício. E embora eu pessoalmente nunca tenha rejeitado um candidato por causa de suas roupas, muitos clientes rejeitavam. Por exemplo, uma start-up de tecnologia odiava pessoas de terno e os rejeitava alegando que “não se encaixavam na cultura organizacional da empresa”. © Emily Liou / Quora

Você tem um código de vestimenta no trabalho? Em sua opinião, alguma coisa mudaria se ele não existisse?

Imagem de capa Veronika / AdMe.ru
Compartilhar este artigo