Incrível
Incrível

15 Vezes em que os leitores do Incrível testemunharam a inocência de seus pequenos

As crianças são uma fonte infinita de serotonina, conhecida como o hormônio do prazer. Não apenas porque sua existência é uma benção, mas porque fazem qualquer um ganhar o dia com suas tiradas espontâneas. Para elas, não há limites quando se trata de imaginar coisas que não existem, muito menos para expressar sua opinião.

Incrível.club  publicou outros posts com falas espirituosas de crianças apresentadas pelos leitores. Então, publicamos neste post mais 15 delas. Divirtam-se!

  • Fui instrutora de esqui para crianças e, uma vez, tive um grupinho que se autodenominava “Os Vingadores”. Um dia, enquanto esquiávamos, uma delas caiu e eu, assustada, perguntei: “Blas, você está bem?”, e recebi como resposta: “Sim, senhora, foi o Loki que me derrubou”. Yamile Simón / Facebook

  • Minha filha Giuliana, desde bem pequena, adorava a lua. Uma noite, com quase 3 anos, disse-me, olhando para o luar: “Mamãe, como a lua fica no céu? Está pregada com fita crepe?” Marcela C. Marchena / Facebook

  • Um dia, deixei minha filha de castigo e a proibi de ver televisão. Disse-me que ficaria entediada se não a deixasse assistir. Então lhe disse para brincar, ler ou fazer outra coisa. Ela me pediu o tablet e neguei. Sugeri que fizesse outra coisa. Como exemplo, disse-lhe que, na época dos meus avós, não havia TV, nem Internet e as crianças nunca se entediavam, que ela não morreria se ficasse um dia sem televisão ou Internet. Sua resposta foi: “Ah, tá! Quando os dinossauros existiam, não é?” Não sei qual idade imagina que os meus avós tenham... Susy Edith / Facebook

  • Meu neto, Facundo, estava com 3 anos e me pediu que o levasse para fazer xixi. Eu, para distraí-lo, enquanto urinava, cantei: “Facundo é muito feliz, fazendo muito xixi, tra la la, tra la la”. Como demorava além da conta, perguntei: “Acabou, Facundo?”, e me respondeu: “Agora canta a do cocô”. Marcelo Hugo Vaccarezza / Facebook

  • Quando meu filho de 4 anos tinha febre, eu dizia: “Você está doente. Vou te dar paracetamol”. Um dia, ele me disse que tinha uma doença chamada “cetamol” e que eu lhe dava comprimidos para cetamol... Maria Guadalupe Mendoza / Facebook

  • Meu sobrinho de 3 anos, quando estava na pré-escola, sempre falava, preocupado, que um colega seu de classe dormia o tempo todo. Um dia, fui à escola e, ao sair, ele me disse: “Veja, é esse aí que está sempre dormindo”. Então, descobri que o garotinho era chinês. Mariana López Cruz / Facebook

  • As professoras do meu filho sempre diziam que ele não poderia passar de ano se não soubesse ler e escrever. Eu sempre lhes respondia que ele lia e escrevia em casa. Elas não acreditavam em mim, pois ele não fazia nada na escola. Então, o reprovaram no primeiro ano. No ano seguinte, vieram com a mesma história. Foi quando decidi gravá-lo em casa e mostrar a elas. Até que, um dia, no recreio, o psicólogo do colégio se aproximou dele “amigavelmente” e lhe perguntou o motivo de não ler nem escrever na sala de aula. E meu filho respondeu: “Não. Se eu disser que sei ler e escrever, elas me enchem de tarefa e eu não quero fazer”. Meu “bebê”, agora com 9 anos, passou para o terceiro ano. E é um geniozinho. Ah, sim, ele é autista. Betzabe de la Fuente / Facebook

  • Quando meu filho tinha 8 anos, me chamaram no colégio. Perguntei o que ele havia feito e me responderam que nada. Bem, de fato, ele não havia feito absolutamente nada. Nenhuma tarefa e nenhum trabalho escolar. Delfina Medina Govea / Facebook

  • Minha filha, então com 4 aninhos, e eu, esperávamos o ônibus quando passou uma senhora grávida. Minha menina, então, me perguntou: “mamãe, por que essa senhora está tão barriguda?” Respondi: “ela tem um bebê dentro da barriga”. Então, me disse bastante preocupada: “e como ele foi para lá!?” Magda Moreno / Facebook

  • Minha sobrinha, quando pedia alguma coisa, dizia o nome do que queria seguido de “por”. Exemplo: “mamãe, me dá um pirulitopor”. Afinal, sua mãe, sempre que ela pedia algo, respondia com um “por?” Erika Mariana Zamarron / Facebook

  • Um dia, minha filha viu na televisão um filme de um contorcionista e, muito animada, me disse: “mamãe, quando eu crescer, posso ser extorcionista?” Lucy Abernathy / Facebook

Qual foi a coisa mais engraçada que você ouviu da boca de uma criança? Não deixe de postar seu comentário.

Incrível/Histórias/15 Vezes em que os leitores do Incrível testemunharam a inocência de seus pequenos
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos