Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

15 Pessoas que viveram situações tão constrangedoras que ficam vermelhas só de lembrar

A maioria das pessoas já passou, pelo menos uma vez na vida, por uma daquelas situações constrangedoras em que a única coisa que dá vontade de fazer é enfiar a cabeça embaixo da terra e desaparecer.

Nós, do Incrível.club, acreditamos que o melhor é não se preocupar com esses momentos e, em vez de sentir remorso, simplesmente rir da situação. Ou compartilhar na internet, como fizeram os protagonistas do post de hoje.

  • Hoje, no supermercado, estava escolhendo iogurtes para meu filho. Pelo canto do olho, vi que uma senhora também estava comprando iogurtes perto de mim. Terminei de escolher e tentei sair pelo corredor, mas ela continuava ali e não me deixava passar. Eu disse: “Com licença, me deixe passar.” Um cara começou a rir. Só então, percebi que era apenas um espelho. Até agora estou com vergonha. © LampaTrampa / Pikabu

  • Fui ao primeiro encontro com um cara que conheci no trabalho. Tudo ia bem até que seu celular tocou. Ele me pediu para ficar quieta porque era sua esposa ligando. © MobyDicksentme / Reddit

  • Não gosto de realizar consultas com ginecologistas homens, mas abri uma exceção e foi tudo bem. Tinha um evento marcado para aquela noite: uma colega tinha me convidado para sua festa de aniversário. Comprei um presente, fui ao endereço indicado e...adivinhem: quem abriu a porta foi ele, o marido da minha colega, o meu ginecologista. Sei que os médicos não ligam para isso, mas fiquei muito constrangida. © Подслушано / Ideer

  • Uma amiga contou uma história: ela trabalhava como garçonete em um restaurante no qual era costume oferecer algum brinde delicioso para clientes grávidas. Um dia, um cara e uma garota (que obviamente estava grávida) entraram e se sentaram à mesa. Então, a garçonete, com alegria, falou: “E isto é um presente especial, com os cumprimentos do nosso chef, que damos a todas as grávidas!” Os dois olharam um para o outro confusos. Então, a garota disse: “Na verdade, não estou grávida.” © Vladislav417 / Pikabu
  • Quando meu filho estava no primeiro ano, um dia, pouco antes de ir à escola, se lembrou de que tinha uma confraternização com os colegas. Felizmente, em casa tínhamos uma dúzia de cupcakes e uma embalagem de doces. Não era grande coisa, mas eu não tinha tempo para pensar em mais nada. Ao voltar para casa, meu filho estava radiante: “Mamãe, todos me parabenizaram e cantaram ’Happy Birthday!’” Hum, era outubro, mas seu aniversário havia sido em março. “Que sonhador! Inventa cada coisa!”, pensei. No dia seguinte, a professora lamentou: “Por que a senhora não avisou que era o aniversário do garoto? Poderíamos nos preparar!” A verdade é que não havia nenhuma festinha programada. Meu filho simplesmente levou os cupcakes para a professora e disse que era seu aniversário. Não consigo imaginar em como ela dividiu tudo para toda a turma e em que ela pensou a meu respeito. Foi constrangedor e engraçado ao mesmo tempo © Формула Воды / AdMe

  • Encontrei uma colega no corredor. Quase ’no automático’, disse a ela: “Bom dia!” Ela respondeu: “Já é de tarde.” Percebi que realmente era tarde e tentei me justificar: “Certo. Terça-feira é um dia duro, trabalhei muito.” A colega respondeu: “Bem, hoje é quarta-feira.” © Unknown / Bash

  • Após o parto, minha nora engordou muito e seu peso não parava de aumentar. Ela dizia que nunca mais daria à luz: era muito difícil e fazia ganhar peso. Não nos vimos por vários meses, mas, quando nos encontramos, ela anunciou que estava esperando outro filho. Achei que fosse uma piada e ri. Ela, com toda a seriedade, disse: “Não. É sério, teremos o bebê daqui a três meses ”. Fiquei sem jeito. Então, minha consogra disse: “Você não notou a barriga?” Claro que eu não havia notado. Ou seja, imaginei, inconscientemente, que fosse excesso de peso. Já se passaram quatro anos e ainda estou com vergonha. © Smantie / Reddit

  • Certa vez, estava dirigindo em uma estrada desconhecida. Havia um engarrafamento de 500 metros para frente. Vi um ônibus e vários outros carros entrando à direita. Decidi segui-los, pensando que iríamos desviar do congestionamento. Continuei dirigindo, todo contente. Então, todos os carros pararam e as pessoas desceram. Olhei em volta e percebi que estava no cemitério. Não, não tinha seguido gente que estava desviando do engarrafamento, mas sim um cortejo fúnebre. As pessoas olhavam no meu rosto, aparentemente tentando reconhecer um parente distante. Tentei me esconder dos olhares. Quando um grupo de pessoas saiu para se despedir, eu, silenciosamente, dei a volta e regressei para o congestionamento. Pensei muito sobre a situação. © yurarlektrik / Pikabu

  • Um dia, estava olhando uma vitrine e escolhendo um bolo. Um cara ao meu lado perguntou: “Qual acha que devia levar?” Eu, meio confusa, disse: “Bem, este aqui é muito gostoso. Mas depende do seu gosto” Ele: “Este aqui é fofinho e o de cereja também é legal. Levo ou não?” Eu, continuando sem entender nada: “Bem, sim, é uma boa escolha.” E então eu percebi que ele tinha um fone no ouvido e não estava falando comigo. Que bom que nem prestou atenção em mim, senão eu iria morrer de vergonha. © Лика / AdMe

  • Ao entrar no prédio, me encontrei com um vizinho. Ele e sua família haviam se mudado dois anos antes. Eram barulhentos e a esposa gritava o tempo todo. As paredes entre os apartamentos eram finas, então ouvia-se tudo. Ele estava sem as chaves, esperando a esposa na porta. Pela primeira vez, conversamos. Quando já ia me despedir ele, de repente, disse: “Ah, é você que sempre grita: ’Malditos vizinhos.’” Não me sentia tão constrangida havia muito tempo. © Подслушано / Ideer

  • Nos meus anos de estudante, ia à universidade pelas manhãs e trabalhava meio período, do almoço até a noite. Uma sexta-feira escura de inverno, por volta das 8h ou 9h, estava indo para casa, exausta depois de uma semana de trabalho. Peguei um ônibus. Eram 40 minutos até o dormitório. Me sentei e pensei no que iria comprar para o jantar. No final, decidi cozinhar trigo sarraceno (grechka em russo). Todo o caminho restante, passei sonhando com aquela grechka deliciosa. Chegando à minha parada, eu, como sempre, tinha de gritar para o motorista parar. Então, do fundo do ônibus gritei a plenos pulmões: “GRECHKA!” Acordei todos os passageiros que estavam cochilando. O motorista, no início, nem se atreveu a receber o dinheiro da viagem. Naquele momento, eu mesma fiquei chocada com a minha tolice. © Burunduchok38 / Pikabu

Qual a situação mais constrangedora que você já viveu na vida e da qual não se esquecerá? Conte para nós!

Compartilhar este artigo