Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

15 Leitores do Incrível contam sobre “rótulos” absurdos que já receberam

3-4-
12k

Muitas vezes, as pessoas ao nosso redor tentam definir quem somos, de acordo com a percepção deles. Parece mais fácil julgar os outros baseando-se em estereótipos. “Preguiçoso”, “mimado”, “interesseiro” e muitos outros apelidos generalizam pessoas que na verdade são muito mais fascinantes e complexas do que essas “etiquetas”.

As histórias deste post do Incrível.club provam que devemos nos livrar dos rótulos, porque, às vezes, eles podem criar uma imagem e uma opinião errada sobre alguém.

  • Meu hobby é jogar, adoro jogos on-line, e, sinceramente, não entendo todas essas críticas: “Você está desperdiçando seu tempo”, “Está regredindo”, “Fechando-se para o mundo”. Gente! É só mais um hobby, assim como costurar, tocar violão, cantar, pintar e muitos outros. Eu não digo que vocês estão regredindo quando cantam ou dançam, não é? Odeio rótulos. © Подслушано / ideer

  • Eu estava procurando emprego. Fui entrevistado por uma senhora de cerca de 50 anos. Após as apresentações, ela começou a me fazer algumas perguntas: “Você já tem 26 anos. Por que ainda não é casado e não tem filhos?” Em uma tentativa de dar a entender que era um assunto pessoal, eu a cortei imediatamente e falei: “Ainda sou jovem, não encontrei a pessoa certa.” A senhora me interrompeu e disse: “Pronto, ouvi o suficiente! Há 100 anos, com 26 anos, as pessoas já cuidavam dos netos. Se você não tem mulher e filho nessa idade, significa que é irresponsável e infantil. Nesta empresa, todos temos famílias — somos pessoas sérias e responsáveis. Não precisamos de filhinhos de papai aqui”. © Nimdael / Pikabu

  • Tenho uma mania: não consigo vestir a mesma roupa durante dois dias seguidos. Quando eu estava na escola, algumas pessoas pensavam que eu tinha um guarda-roupa enorme, mas, na realidade, eu apenas combinava as peças de maneiras diferentes. Além disso, todos os meus sapatos eram de salto alto, até mesmo as botas. Então uma vez, um colega me confessou que por causa de tudo isso, parecia que eu era uma metida. Fiquei chocada. Nunca imaginei que pudesse passar tal impressão. Quando meu colega começou a conversar mais comigo, percebeu o quanto estava errado. Ele acabou gostando tanto de mim, que se apaixonou e até tentou me conquistar.

  • Não importa como seja a vida de uma mulher após o nascimento de um filho, sempre há um motivo para críticas. Eu tirei licença-maternidade uma semana antes do parto e voltei ao trabalho um mês e meio depois. Adivinhem o que sou? Isso mesmo, uma mãe ruim, que não pensa no próprio filho. E o que isso me custou? Bem, isso já é problema meu. © Юлия Дунаева / Facebook

  • Uma vez, dei uma lição a um garoto que estava zombando de mim. E quando ele foi reclamar com a professora, ela falou: “SASHA? Sasha brigou com você? Aquela garota ACANHADA? Pare de inventar, vai estudar”. © itssanlee / Twitter

  • Supostamente, meu pai não é um “homem de verdade”. Minha mãe trabalhava como professora, e meu pai era maquinista de metrô. Ele conseguia ficar mais tempo com a gente do que minha mãe. Foi ele quem me ensinou desde criança a subir em árvores, a usar o martelo, e muitas outras coisas úteis. Ao mesmo tempo, ele também estava aprendendo: a fazer o café da manhã, a fazer tranças no meu cabelo e no da minha irmã, a distinguir entre os tons de rosa e branco para comprar os laços “certos”. Este ano ele vai fazer 60 anos e é o melhor pai, marido e avô do mundo. © dobrayadusha / Pikabu

  • Sou a pessoa que era escolhida por último nas aulas de educação física. Não gosto de bolas, não sei jogar. Era bastante desagradável ouvir o tempo todo: “De novo, perdemos por culpa dela”, mas eu não podia fazer nada. Hoje, quando alguém sugere algum jogo com bola, tudo volta à tona. © ol_fa_sol / Twitter

  • O tio do meu namorado além de ser muito antiquado, é também misógino. Ele não gosta de mim porque tenho uma ótima carreira e sou 5 anos mais velha que seu sobrinho. Repreende meu namorado por não se comportar como um “homem de verdade”. Por exemplo, ele adora cozinhar e costuma preparar comida para nós. Quando meu tio soube disso, ligou para o seu irmão e disse: “Salve seu filho dessa bruxa”. © shygirlturnedsassy / Reddit

  • Não me permitiam ir à festas quando todos da minha idade podiam ir. Eu raramente tinha permissão para sair, porque eu “parecia mais velha, mas era inocente e poderia me meter em problemas”. Por causa disso, tinha poucos amigos. No entanto, quando aparecia a chance de me libertar, eu desaparecia sem deixar rastros, e depois levava uma baita bronca, claro. Depois da faculdade, resolvi morar o mais longe possível de casa. © Женя Францева / Facebook

  • Um conhecido ficou falando que nas casas modestas dos arredores da cidade só moravam pessoas pobres ou “a escória da sociedade”. Agora, estou pensando em convidá-lo para minha casa, para acabar com seu argumento, pois o ex-proprietário do meu apartamento era professor e médico do exército. © Vares / AdMe

  • Uma vez, coloquei uma roupa bem “largada” para ir ao mercado. De repente, me ligaram do trabalho, dizendo que havia sido nomeada diretora e que precisava estar lá com urgência. Entrei no carro e fui direto para lá, nem me troquei. Depois, os funcionários falaram: “Da pobreza à riqueza”, sem saber absolutamente nada sobre mim. Não falei nada para eles, apenas deixei claro que as aparências enganam. © Kate Kate / Facebook

  • Quando era adolescente, as pessoas me consideravam orgulhosa e arrogante. Reclamavam que eu não as cumprimentava, e que eu me achava melhor do que elas. Nunca passou pela mente de ninguém que eu era terrivelmente tímida e fechada, especialmente quando havia garotos por perto. Nesses momentos, era mais fácil colocar uma máscara de “Rainha de Gelo”, para que ninguém percebesse o quanto eu realmente estava assustada. Bem, também tenho problemas de visão, então simplesmente não notava alguns dos meus conhecidos, mas nunca tive a intenção de ignorá-los.

  • Eu era uma estudante com poucos recursos, morava em uma residência estudantil e vivia com o pouco dinheiro que meus pais me mandavam. Namorava um cara que quando me visitava comia tudo que tinha na minha geladeira. Uma vez, pedi para ele ir ao supermercado comigo e enchemos o carrinho de produtos. No caixa, na hora de pagar, ele se afastou. Mas eu disse: “Você pode pagar?” Ele pagou e, ao sair, perguntou quando eu iria devolver o dinheiro. Isso me tirou do sério, e acabei falando tudo o que pensava. Recebi uma resposta genial: “Não pensei que você fosse tão mesquinha”. © agata4321 / Pikabu

  • O rótulo mais estranho que já recebi foi “arrogante”, pelo fato de... ta-dam: caminhar com a postura reta. Talvez, passasse a impressão de ter o “nariz empinado”. © Ежик в океане / AdMe

  • Sou homem e realmente não gosto dos rótulos que são atribuídos ao nosso gênero. Eu gosto de cozinhar. Sou um dono de casa. Amigos próximos entendem e aceitam isso. Mas, assim que outras pessoas descobrem que me ocupo com os trabalhos de casa e é minha namorada que ganha o dinheiro, elas imediatamente começam a me criticar, lançando comentários irônicos para mim. Eu não perguntei nada, não quero sua opinião! Nós estamos bem com isso, cada um está contente com o que faz. Que chatice! © Подслушано / ideer

E você, alguma vez já sofreu preconceito ou recebeu um “rótulo” insultante?

Imagem de capa agata4321 / Pikabu
3-4-
12k
Compartilhar este artigo