Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

14 Histórias que ilustram bem a frase “Que mundo pequeno!”

A ocorrência de dois ou mais eventos ao mesmo tempo pode ser estatisticamente possível e natural, mas, na prática, pode causar um baita espanto. Quem nunca passou por momentos em que dava vontade de dizer “Mas que coincidência!”? Os heróis da nossa seleção de hoje já passaram por isso e aprenderam, em primeira mão, como é achar uma agulha num palheiro.

Incrível.club adora histórias com reviravoltas repentinas, especialmente se tudo termina bem. Portanto, a matéria de hoje vai ilustrar como o mundo pode ser grande, e, simultaneamente, muito pequeno; e que, mesmo que sutil, “milagre” não tem hora nem lugar para ocorrer. Acompanhe!

  • Há um tempo, encontrei uma caixa antiga de fotos da minha avó. A maioria era da minha mãe ainda pequena com a família dela. Em uma das fotos, estavam meus avós e minha mãe, que brincava em uma caixa de areia de um parquinho. Ela devia ter uns 4 anos. No mesmo local, ao lado, vi minha outra avó, por parte de pai, e meu pai, que devia ter só 10 anos. Mostrei a meus pais e eles ficaram chocados, pois se conheceram apenas 13 anos depois. © Jess Hardwood / Quora

  • Minha esposa e eu somos da Ucrânia e estávamos passando as férias na República Dominicana. Lá, conhecemos um casal da Rússia e começamos a mostrar a eles fotos dos nossos filhos. O homem, então, parou, pegou uma das fotos, que mostrava meu filho na Muralha da China, e perguntou:
    — Esta foto foi tirada no ano passado?
    — Sim, em setembro.
    — Fui eu que tirei!
    Sim, deixe-me explicar bem: um homem da Ucrânia conheceu outro da Rússia em uma das ilhas do Caribe e, por acaso, o russo havia tirado uma foto do filho do ucraniano na China. © Artiomlukyanov / Pikabu

  • Isto ocorreu em um bar em Dallas, no Texas. Pedi um isqueiro a um homem uns 30 anos mais velho, e ele me respondeu com um sotaque irlandês carregado. Fiquei curioso e perguntei se ele era da Irlanda. Ele disse que sim. Contei a ele que meu pai e meu avô também eram irlandeses. Disse que meu avô morava na rua tal, na casa tal. Adivinhou? Pois é, esse moço trabalhava com meu avô, alugava um apartamento com o meu tio e era amigo do meu pai! Que mundo pequeno! © OThatSean / Reddit

  • Durante uma visita a Paris, minha amiga e eu estávamos na fila do Louvre. A fila estava enorme e não víamos nem onde ela terminava. Conversávamos quando, de repente, escutei um diálogo atrás de mim.
    A criança: “Mamãe, para onde você está indo? Tem uma fila aqui!”
    A mãe: “Venha, venha, vamos achar alguém conhecido na fila, você vai ver”.
    Quando me virei, essa mulher era uma conhecida da minha tia. Acenei para ela: “Dana, venha aqui”. Ela se aproximou com o filho, nos cumprimentamos e ficamos muito surpresas por aquele encontro inesperado em Paris. Após alguns minutos, ela disse: “Tá, vamos tentar encontrar outro conhecido mais à frente na fila. Se não acharmos ninguém, voltamos aqui”. O mais engraçado foi que eles não voltaram! Devem realmente ter encontrado outra pessoa! © SanDiegoCA / Pikabu

  • Tive um relacionamento bastante longo: conhecemos os pais um do outro e tudo estava caminhando para o casamento. Com o tempo, porém, comecei a perceber que meu namorado não combinava em nada comigo, então decidimos dar um tempo e, mais tarde, terminamos de vez. Mesmo depois do término, mantive contato com a mãe dele e conversávamos sempre. Passados seis meses, por uma incrível coincidência, conheci um garoto e descobri que ele era o meio-irmão do meu ex-namorado. Após um ano, nos casamos. Ou seja, a mãe dele, que já era minha grande amiga, finalmente se tornou minha sogra. © Палата № 6 / VK

  • Conheci uma garota pela Internet, começamos a conversar e eu perguntei onde ela morava. De repente, ela disse o meu endereço. Demorei um tempo para entender como a menina sabia onde eu morava. Após alguns minutos, ela pediu para eu olhar pela janela e a vi acenando para mim da janela do 2º andar. O mundo é pequeno, mesmo! © Подслушано / Ideer

  • Quando eu era pequeno, meus pais me levaram para passar um feriado em um resort. Lá, ficamos amigos de outra família. No ano seguinte, fomos à Espanha passar as férias e encontramos essa mesma família. Um ano depois, fomos a um resort diferente e, novamente, lá estavam eles. Meus pais e eles marcaram de se encontrar no ano seguinte, mas nunca mais os vimos. © Fenrir101 / Reddit

  • Faço ioga. Notei duas meninas na aula: se ficássemos lado a lado, qualquer um pensaria que éramos irmãs, desde a altura, o cabelo e traços do rosto até a forma de vestir e os trejeitos eram parecidos. Começamos a conversar. Todas eram casadas e com filhos, mas o mais curioso é que nós três namoramos o mesmo rapaz em momentos diferentes da vida. Cada uma, por três anos. Agora, somos grandes amigas, e nossos gostos e interesses são quase os mesmos. © Подслушано / Ideer

  • Em 1985, eu estava na China, numa pequena cidade provincial chamada Kunming. Ao lado de um prédio do correio, um senhor mais velho se aproximou de mim e perguntou, em inglês perfeito, se eu precisava de ajuda (naquele lugar, não se viam muitas pessoas do Oeste). Conversamos um pouco, e ele me chamou para jantar. Após o jantar, ele começou a me mostrar fotos de sua família. Em uma delas, vi um rosto conhecido e exclamei: “Ei, esta é a Annie Chou, foi ela que me ajudou a comprar a passagem de Toronto para a China!” O senhor ficou abismado. Annie era a sobrinha dele, que ele nunca havia conhecido pessoalmente. De milhões de pessoas, cruzei meu caminho exatamente com esse senhor. Isso que chamo de coincidência! © Larry Rossignol / Quora

  • Cerca de 45 anos atrás, morávamos no estado do Maine. Lembro-me de estar sentada e observar minha mãe imprensar um desenho em uma placa de madeira. Mais tarde, nos mudamos para o Sul, onde a família da minha mãe morava. Depois, comecei a seguir a tradição de “não ficar parada no mesmo lugar”: morei em Alabama, Flórida, Louisiana, Carolina do Sul, Pensilvânia e Colorado. Nesse último, em uma pequena lojinha de produtos artesanais, encontrei um livro com uma capa de madeira. Era a mesma madeira, com o mesmo desenho, que minha mãe havia feito. Paguei apenas 2 dólares por ele. © Fred Montgomery / Quora

  • Minha esposa, alguns amigos e eu fomos ao Sri Lanka. Minha esposa e eu decidimos, no último minuto, mudar para um hotel em frente à praia. Nossos amigos vieram ao nosso hotel e, após cinco minutos, minha amiga abriu o celular e me mostrou duas fotos: a primeira, tirada na hora; a segunda, o plano de fundo do celular. A paisagem era a mesma. O que ocorreu foi que, dois anos atrás, ela havia visto essa foto na Internet e a selecionou como plano de fundo do celular. Desde então, ela tinha o sonho de visitar aquela praia, mas não fazia ideia de como encontrá-la. A foto havia sido tirada da varanda do nosso hotel. Quais as chances de encontrar um lugar sobre o qual você não sabe nada, mas que queria muito conhecer? © MaxS2 / Pikabu

  • Em 2002, fui fazer intercâmbio na Noruega e morei com uma família. Minha irmã norueguesa pediu que eu entregasse um presente para uma amiga dela da Bielorrússia, de onde eu sou. Elas se comunicavam pela Internet há bastante tempo, geralmente por e-mail. A menina perguntou se o endereço da amiga era longe da minha casa. Eu moro na capital e, quando vi o endereço da amiga, fiquei assustada: era a mesma rua, e nossos prédios, eram praticamente vizinhos. O mundo é muito pequeno! © Vavatt / Pikabu

  • Eu estudava nos Estados Unidos e decidi passar as férias de verão em Londres. Meu voo saía no último dia de aula e eu precisava entregar um trabalho até o meio-dia. Acabei me atrasando e só enviei o e-mail às 13h. Fiquei preocupado de o professor não aceitar, mas já estava correndo para o aeroporto. Cheguei em Londres no dia seguinte, encontrei meu amigo e, enquanto eu contava toda essa história no metrô, as portas se abriram e... vi meu professor! Perguntei se havia recebido meu trabalho, e ele apenas respondeu: “Recebi, sim”. E continuei a aproveitar minhas férias. © tadhg555 / Reddit

  • Na época da faculdade, estávamos fazendo uma viagem pela Europa, e uma das paradas era Paris. A mãe da minha namorada sugeriu ligarmos para o amigo dela Kurt, que era americano e vivia em Paris, para ficarmos na casa dele. Adoramos a ideia. Então, chegamos a Paris, ligamos para o Kurt, e ele foi nos buscar. Após algum tempo de conversa, notamos que havia algo errado e que esse homem não conhecia a mãe da minha namorada. O que ocorreu foi que minha sogra havia nos dado o número da pessoa errada. Mas quais as chances de ligarmos para um número aleatório e atender outro Kurt, que também era americano e que também morava em Paris?! © Twoehy / Reddit

E quais coincidências mais inesperadas já aconteceram com você? Conte para a gente!

Imagem de capa Vavatt / Pikabu
Compartilhar este artigo