Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

12 Latinos famosos que tiveram uma infância difícil, mas conseguiram ser reconhecidos mundialmente e suas histórias nos motivam

2-1-
312

Chegar à fama é percorrer um caminho difícil, cheio de trabalho e sacrifício e, se você não possui recursos para conseguir passar por isso, fica ainda mais complicado. Algumas estrelas latinas conhecem muito bem essas dificuldades — suas infâncias foram marcadas por momentos complicados —, mas isso não foi motivo para não se dedicarem às suas paixões e tornarem seus sonhos realidade.

Incrível.club compartilha com você histórias de celebridades, que, apesar de passarem por momentos difíceis na infância, conseguiram superar todos os obstáculos.

1. Rafael Amaya

ator, natural de Sonora, no México, é lembrado por interpretar Aurelio Casillas, na série O Senhor dos Céus. Na ficção, Aurelio é um dos narcotraficantes mais ricos do mundo, mas de origem humilde.

Assim como seu personagem, Rafael Amaya teve uma infância difícil: “Fui uma criança muito pobre. Morava numa casa pequena, éramos sete, e não tínhamos o que comer. Tudo o que meus irmãos usavam eu usava, eu era um menino muito humilde e, olha, é possível sonhar. Se você sonha, tudo é possível”, admitiu.

Na verdade, sua vida mudou quando ele começou a carreira como ator em 2000, até se tornar o protagonista de um dos programas mais populares da rede de TV mexicana Telemundo.

2. Alejandra Espinoza

modelo mexicana e apresentadora de TV chegou ao auge do sucesso ao ser premiada como rainha no concurso Nuestra Belleza Latina. Isso lhe abriu muitas portas, mas sua carreira bem-sucedida é fruto do seu trabalho e da sua dedicação, já que ela não vem de uma família abastada.

Alejandra tem dez irmãos e, com seus pais, migraram para San Ysidro, na Califórnia, a fim de ter uma vida melhor. Apesar de ter sofrido várias carências, ela confessou: “Não me lembro de ter ouvido nenhum dos meus irmãos, meu pai, minha mãe ou alguém reclamar de precisar descer escadas ou ter de morar onde morávamos, porque, independentemente do que tínhamos, posso dizer que tive uma infância que nunca mudaria por nada neste mundo”.

Na websérie Alejandra, la de Tijuana, a modelo mostra sua terra natal, as lutas que enfrentou, e, acima de tudo, o orgulho de pertencer a esse lugar.

3. Nicky Jam

cantor de reggaeton nasceu em Boston, nos EUA, mas cresceu em Porto Rico. Ele vem de uma família de baixa renda, então trabalhava em um supermercado para ajudar seus pais, embora isso fosse ilegal, pois era menor de idade.

Sua carreira musical começou quando tinha 11 anos, mas ele só obteve reconhecimento quando trabalhou como vocal de apoio de Daddy Yankee. Estabeleceu-se como solista em 2010, quando retomou o trabalho depois de um período sombrio, e lançou os sucessos “Travesuras” e “El perdón”, com os quais ganhou vários Grammy Latinos.

4. William Levy

Vinte cinco anos depois de migrar para os Estados Unidos, o ator cubano relatou em seu Instagram seus dias em Havana: “Com apenas um quarto de frango por pessoa por mês, um pão por pessoa por dia e rações de alimento limitadas, eu sempre tinha fome. Não tínhamos luxos como pasta de dente, então usamos carvão e bicarbonato de sódio”.

Seu destino mudou quando conseguiu se mudar com a família para os Estados Unidos e começou sua carreira como modelo e ator. No início, participou do reality show Protagonistas de Novela e de diversas novelas e diversos filmes latinos. Anos depois, William atuaria em filmes americanos como Resident Evil 6: O Capítulo FinalViagem das Garotas.

5. Jennifer Lopez

americana de pais porto-riquenhos nasceu e viveu sua infância no Bronx, um bairro humilde de Nova York, nos EUA. Ela começou a treinar canto, dança e atuação desde muito jovem, mas sua mãe não concordava com sua decisão de ser artista. Por isso, Jennifer saiu de casa e tinha de dormir na academia de dança Baruch, enquanto trabalhava em um escritório de advocacia.

Embora na juventude tenha participado de algumas séries e alguns filmes pouco conhecidos, sua sorte mudou quando conseguiu o papel da cantora Selena Quintanilla, em um filme biográfico. Desde então, tornou-se uma das artistas latinas mais influentes na música e no cinema no mundo todo.

6. Eduardo Yáñez

ator mexicano tem uma longa trajetória, pois trabalha na indústria do entretenimento desde 1981. Mas longe das câmeras e do sucesso na telinha, o nativo de Chihuahua não teve uma infância fácil. Ele nunca conheceu o pai e, quando criança cresceu no Palácio Negro de Lecumberri, uma famosa prisão mexicana, já que sua mãe era zeladora do lugar e não podia pagar ninguém para cuidar dele.

Em entrevista afirmou: “É um mundo muito especial, que o torna introspectivo, que o faz valorizar a liberdade, pois você conhece pessoas de diversas características e personalidades e isso te sensibiliza. As imagens daquela época são muito claras para mim, são difíceis de esquecer e não quero esquecê-las”.

Ainda adolescente, ajudou a mãe trabalhando em várias áreas, até que sua vida mudou quando participou da sua primeira novela, O Lar Que Eu Roubei, e a fama não demorou para chegar.

7. Jessica Alba

Embora a atriz americana, de pai mexicano, não tenha passado fome na infância, foram anos difíceis para ela devido à sua saúde. Ela sofria de várias doenças, como atelectasia, teve várias pneumonias, apendicite, um cisto na amígdala e asma. Também foi diagnosticada com transtorno obsessivo-compulsivo e TDAH.

Passar a maior parte da infância em hospitais e se mudar constantemente por causa do trabalho do pai foram motivos suficientes para não ter amigos. Mas isso não a impediu de ser feliz, e ela começou sua carreira na adolescência e se tornou famosa em 2002, com a série Gangues da Noite.

Como resultado da sua saúde debilitada, em 2012, Jessica fundou a marca The Honest Co., uma empresa que fornece produtos orgânicos para o lar, para que crianças e famílias não sejam afetadas por produtos químicos e toxinas e não sofram pelo que ela passou nos seus primeiros anos de vida.

8. Juan Gabriel

O “Divo de Juárez”, um dos cantores mais populares e lembrados da música mexicana, teve uma infância marcada pela tragédia. Ele tinha dez irmãos e, ainda bebê, seu pai acidentalmente provocou um incêndio, que o levou a ser internado em um hospital psiquiátrico.

Posteriormente, ele foi afastado da mãe e encaminhado para um instituto para menores, onde começou a escrever suas primeiras canções. No começo, ganhava a vida cantando em bares, até gravar o álbum, No Tengo Dinero, que vendeu milhões de discos. Esse seria o início de uma longa carreira de sucesso de 40 anos e de uma lenda da música latina.

9. José Luis Rodríguez, “El Puma”

cantor venezuelano perdeu seu pai aos 6 anos de idade, e sua mãe era ativista política, motivo que a levou a ser exilada do país. O cantor, a mãe e seus 11 irmãos se mudavam constantemente, pois não podiam pagar o aluguel, então ele começou a ganhar a vida engraxando sapatos e carregando sacolas das pessoas nos supermercados.

Ele descobriu seus dons musicais cantando na escola e começou uma banda com alguns amigos. Posteriormente, fez parte da orquestra Billo’s Caracas Boys, na qual se destacou e iniciou seu caminho até a fama. Atualmente possui mais de 30 álbuns e mora em Miami, nos EUA.

10. Jenni Rivera

A lembrada cantora mexicana-americana nasceu e viveu sua infância em Long Beach, na Califórnia (EUA). Aos 15 anos, como era mãe solo, começou a ganhar a vida vendendo discos e fitas cassetes em feiras livres, enquanto estudava Administração de Empresas.

Desde pequena, teve influências da música latina por causa de seus pais, além disso em sua casa só falavam em espanhol. Jenni iniciou sua carreira em 1993, mas só foi consagrada em 2000, quando lançou seu álbum Que me entierren con la banda, que marcaria o início do seu sucesso e pelo qual seria considerada a maior figura feminina da música mexicana.

Ela também foi a porta-voz oficial da Coalizão Nacional contra a Violência Doméstica dos Estados Unidos. O seu legado continua vivo, não só na música, mas também na Love Foundation, uma fundação que ajuda mães e crianças em situação de violência familiar e pobreza.

11. Joan Sebastian

O aclamado músico nasceu em uma família de agricultores de Juliantla, no México. Por isso, ainda criança, começou a trabalhar vendendo geleias, engraxando sapatos, semeando a terra e entregando leite.

Na adolescência, entrou no seminário para se tornar padre, mas acabou saindo porque descobriu que o seu negócio era a música. Joan dedicou-se à sua carreira musical enquanto trabalhava como vendedor de carros, até que seu primeiro single, “El camino del amor”, se tornou um sucesso nacional e internacional. Isso o levou a gravar mais de 50 álbuns de estúdio e ganhar 5 prêmios Grammy e 7 Grammy Latinos.

12. Vicente Fernández

O popular cantor de rancheras, gênero musical folclórico do México, nasceu em Guadalajara, mas, por causa do fracasso do pai no trabalho, sua família se mudou para Tijuana, onde Vicente “Chente” Fernández trabalhou como trabalhador braçal, pedreiro, lavador de pratos, lavador de carros e em uma pista de corrida para ajudar a família.

Com o sonho de ser artista, começou a cantar em restaurantes e, embora as gravadoras não quisessem contratá-lo e dissessem que “era melhor vender amendoim”, ele ficou famoso ao gravar “Cantina de mi barrio” e “Tu camino y el mío”. Desde então, ele se tornou um símbolo da música mexicana no mundo todo, com dez prêmios Grammy em seu currículo e uma estrela na calçada da fama de Hollywood.

Você conhece alguma história inspiradora de alguém que se superou?

2-1-
312