Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20+ Curiosidades do estilo de vida francês que podem deixar muitos turistas confusos

6-41
37k

Certamente, todo país tem pelo menos alguns estereótipos atrelados a sua imagem. Enquanto alguns são, de fato, verdadeiros, outros são apenas mera invenção. E com a França não é muito diferente, a não ser pelo fato de o país poder se gabar de ter a maioria dos estereótipos relacionados a características positivas sobre si. Homens cavalheiros, pessoas altamente estilosas e baguetes saborosas são 3 exemplos que frequentemente escutamos sobre esse país Europeu e seus cidadãos. Claro, há alguma dose de verdade em tudo isso, mas, como por trás de qualquer estereótipo, há certos exageros. Assim, para poder entender de fato como um país funciona, é preciso compreender as características principais do estilo de vida de sua população, concorda?

Nós, do Incrível.club, decidimos olhar além dos estereótipos e investigar as principais características da vida cotidiana dos moradores da terra do queijo e do vinho. Confira!

1. Quando se encontram, os franceses dão beijinhos em cada bochecha, no entanto, o número de beijos varia rigorosamente de região para região

Quando duas pessoas se encontram na França é comum se cumprimentarem com beijinhos na bochecha. No entanto, isso pode ser bastante confuso para alguns turistas, pois essa regra social varia muito de acordo com a região. Quanto mais para o sul, maior é a quantidade de beijinhos no cumprimento. Existe até um site especial onde é possível verificar quantos beijinhos são dados em cada região. Geralmente, essa quantidade varia indo de 1 até 4.

2. Muitos franceses têm um segundo nome, e em seus passaportes é descrito sua altura e cor dos olhos

Na França é muito comum ter um segundo nome, além do primeiro nome e sobrenome. E isso fica bem claro quando observamos os documentos dos cidadãos franceses. Caso você conheça um francês, por exemplo, e ele se apresente como Jean, certamente se você olhar nos documentos dele vai perceber que o seu nome todo é Jean Michel Martin. Geralmente, o segundo nome é dado em homenagem aos padrinhos. Outro fato curioso é que no passaporte do cidadão francês está descrito tanto a altura como a cor dos olhos da pessoa. Diferente, né?

3. As mulheres francesas são muito independentes

Os franceses evitam sempre qualquer expressão de sexismo. Por isso, no país já não existem mais divisões entre atividades exclusivamente masculinas ou femininas — os homens podem participar ativamente das atividades da cozinha, limpar a casa e lavar as roupas. Essa característica da França não é tão diferente de nossa realidade moderna no Brasil, onde os casais cada vez mais acordam em dividir as atividades domésticas entre si. No entanto, no país europeu, essa tendência é muito mais forte e já é culturalmente estabelecida. Um francês, por exemplo, pode ficar surpreso por uma mulher saber costurar, como no caso da blogueira russa Lena Luciez, que é casada com um francês e contou que seu marido ficou perplexo quando ela costurou os botões da camisa dele. Ele perguntou: “Você sabe costurar?!” Ao que ela respondeu que sim, pois teve aulas de costura na escola como toda menina quando era pequena. Seu marido ficou chocado com isso e disse que na França isso era inaceitável, pois todos devem ter as mesmas obrigações e saber realizar as mesmas atividades.

Fora isso, na França não é muito bem visto pedir conselhos ao seu parceiro. A principal frase que define os relacionamentos no país é “Faça como você achar melhor”. Em outras palavras, os parceiros não têm o costume de perguntar um ao outro o que prefeririam comer no jantar, ou o que vestir para um evento, qual sapato comprar em uma loja e assim por diante. Cada um deve tomar suas próprias decisões sozinho.

4. Os franceses respondem “não” para qualquer pergunta ou pedido

Na França, fazer um pedido a outra pessoa é algo que depende muito do contexto, diferentemente do Brasil, onde tudo depende apenas da intimidade e da boa vontade do outro. Dessa forma, no país europeu deve-se tentar entender as entrelinhas na comunicação com outra pessoa. E, geralmente, a resposta padrão de um francês para qualquer pergunta, sugestão ou pedido é “non”, ou seja — “não”.

O comediante francês Olivier Giraud explica esse hábito francês em seus espetáculos da seguinte maneira: “A resposta ’não’ nos dá a oportunidade de depois dizer ’sim’. Mas se você responder ’sim’ de prontidão, depois já não poderá dizer ’não’! E também não podemos esquecer que a França é a nação do protesto, e os protestos sempre começam com a palavra ’não’”.

Um sinônimo frequente para a palavra “não” no país pode ser a frase “Isso pode ser um pouco complicado”. No entanto, é importante entender que esse “não” nem sempre é definitivo, frequentemente ele é apenas um instrumento utilizado para iniciar uma discussão sobre o assunto, e assim o francês pode entender melhor o que você deseja ou sugere antes de se comprometer com algo.

5. O horário de almoço dos funcionários na França é de 2 horas

Em muitos escritórios, bancos, agências e instituições governamentais o horário de almoço dos funcionários dura excepcionais duas horas. Apesar de nossa constituição brasileira também determinar essa possibilidade, o mais frequente é que os funcionários tenham apenas uma hora de almoço. A questão é que, na França, o processo de digestão dos alimentos é levado muito a sério — os empregadores se preocupam em garantir que seus funcionários possam almoçar sem pressa, mesmo aqueles que tenham que voltar em casa para comer. Assim, muitas pessoas utilizam o tempo a mais para ir se exercitar ou correr em algum parque próximo.

6. Em qualquer situação de emergência na França é melhor chamar os bombeiros

Independentemente do problema que possa acontecer com você na França, a melhor opção é telefonar para os bombeiros. Geralmente, eles atendem a um chamado mais rápido que os outros serviços de emergência, e ainda são capazes de prestar primeiros socorros e realizar praticamente qualquer operação de resgate. Os franceses têm bastante respeito e orgulho de seus bombeiros. A propósito, o número de emergência dos bombeiros na França é 112.

7. É possível encontrar máquinas automáticas que vendem preservativos nas ruas e nas estações de metrô

Em muitas cidades francesas é possível encontrar máquinas automáticas que vendem preservativos em quase todo lugar: perto de lojas, farmácias, pelas ruas e até no metrô.

8. Na França não há fornecimento público de água quente

Assim como no Brasil, nas grandes cidades francesas a água é aquecida por equipamentos aquecedores privados, diferentemente de alguns outros países europeus, onde a água quente é fornecida pelo governo através do sistema de água comum. Em relação ao aquecimento das casas, muitas apresentam o tipo denominado de “misto”, no qual um sistema de aquecimento central aquece o piso e o hall de entrada, enquanto os quartos, geralmente, têm ainda aquecedores que podem ser ligados e ajustados individualmente. Mas há 2 detalhes nessa questão: primeiramente, se você optar por aquecer bem seu apartamento, pode acabar tendo que pagar uma conta de energia bastante “salgada” no fim do mês, especialmente se os aquecedores individuais dos quartos forem elétricos. Em segundo, é muito frequente que em casas antigas a fiação elétrica já não dê conta de tamanha demanda por eletricidade, e você tenha que optar pelo o que precisa utilizar — manter o aquecimento ou preparar um chá usando a chaleira elétrica, para não causar um curto-circuito.

Por isso, no geral, a temperatura dentro das casas francesas dificilmente passa dos 20ºC no inverno.

9. Os homens franceses realmente se vestem muito bem

O senso de moda dos franceses definitivamente não é um mito. Os homens franceses sabem de fato como construir um look atraente usando apenas as peças de roupas tradicionais do dia a dia. Eles não costumam utilizar peças extremamente na moda e chamativas — o charme deles está na simplicidade. E sim, os franceses amam e sabem como usar um cachecol.

10. As mulheres francesas amam vestir cores escuras e preferem conforto em vez de beleza

O charme e o estilo único das mulheres francesas é um dos estereótipos mais conhecidos do país. E a imagem típica que nos vem a cabeça quando pensamos em uma francesa é a de uma mulher elegante vestindo um sobretudo, com salto alto fino, batom vermelho e um chapéu elegante. No entanto, as francesas se guiam pelo princípio de que as roupas, calçados e acessórios devem ser confortáveis e práticos. Essa é a principal regra do guarda-roupa delas. Assim, o charme da francesa está nas vestimentas casuais e confortáveis. E as cores mais escolhidas por elas são preto, cinza e azul marinho. Fora isso, as francesas tendem a economizar ao comprar roupas, não correndo para comprar as novas coleções assim que são lançadas, mas preferem aguardar as liquidações e promoções. Ser chique de verdade é ter a capacidade de se vestir de tal maneira, que ninguém vai conseguir perceber que cada peça de sua vestimenta foi cuidadosamente selecionada pelas lojas.

A propósito, no andar térreo de muitos prédios na França existem cafés, e muitas francesas não têm problema nenhum em descer de pijamas para tomar uma xícara de café acompanhada de um croissant pela manhã.

11. O comércio não funciona aos domingos

Muitas vezes, nós acabamos não utilizando o final de semana para descansar, mas para limpar a casa ou ir às compras. Mas, para os franceses, o domingo é um dia para a família, no qual eles preferem realizar atividades em família. O fato é que, por isso, quase todas as lojas estão fechadas nos domingos na França. Então, é melhor se precaver e comprar tudo que precisa na sexta-feira ou no sábado quando estiver no país.

12. Os franceses amam pão

A base da dieta dos franceses é uma baguete. Geralmente, eles preparam sanduíches com ela, utilizando diversos tipos de recheio. Outra comida a base de pão bastante popular na França é um sanduíche frito com um ovo de gema mole em cima, chamado de “Croque Madame” (e caso não tenha o ovo, mas outro ingrediente, como queijo e presunto, ele se chama “Croque Monsieur”). Um pouco diferente do esperado foie gras ou das tradicionais pernas de rã, não é? A propósito, a maioria dos franceses nunca chegou a provar pratos com esses ingredientes, que são tradicionais apenas na região sul do país.

13. O croissant francês não tem recheio

O croissant é muitas vezes associado como um dos símbolos da França, apesar desse pãozinho delicioso ter sido criado em Viena, na Áustria. No entanto, na França, eles são fabricados utilizando apenas massa folhada. Fora isso, um croissant tipicamente francês não tem recheio. Ou seja, não há geleia de morango, creme ou chocolate surgindo a cada mordida nesse pãozinho. A propósito, você sabia que o croissant de pontas curvadas é feito à base de margarina, enquanto o modelo clássico, de pontas retas, à base de manteiga?

14. Melhor não deixar para comer o resto da baguete no dia seguinte

A baguete é um símbolo irrefutável da França. Todo dia, só em Paris, são vendidos mais de meio milhão de baguetes. No entanto, apesar de ser macio e crocante no dia da compra, no dia seguinte ele se transforma em um verdadeiro pedaço de “pedra”. Não é por acaso que muitos associam a palavra “baguette” no francês a um pedaço de madeira.

15. Melhor ter cuidado ao provar o prato Andouillette

Andouillette é um prato tradicional da culinária francesa preparado com uma linguiça de miúdos. No entanto, esse prato pode ser um desafio e tanto para turistas desavisados, uma vez que tem um cheiro muito forte e característico. Existe até um ditado sobre ele na França: “Quanto mais forte cheira um andouillette, mas gostoso ele é”. No geral, esse é um prato que depende muito do gosto de cada um.

16. Melhor não pedir pelo “menu” em cafés e restaurantes

Bastante comum para todos, a palavra menu em francês indica um conjunto específico de pratos, como, por exemplo, os que compõem o menu executivo. Assim, para pedir o cardápio do estabelecimento é necessário usar a palavra “carte” para que todos possam entendê-lo corretamente.

A propósito, quando for chamar o garçom, não utilize esse termo, pois ele significa “menino” em francês. Melhor falar “monsieur” ou simplesmente “pardon” para chamar a atenção dele. Também é importante lembrar que em todo lugar da França é quase uma regra social dar gorjeta aos garçons.

17. É permitido a entrada com cachorros em restaurantes, e pão e água são servidos gratuitamente

Os franceses amam cachorros, e por isso é muito comum encontrar cachorros em cafés ou em restaurantes fazendo companhia a seus donos. E se você estiver viajando com seu amigo de 4 patas, pode ter certeza de contar com a simpatia e hospitalidade dos franceses.

Fora isso, por toda a França, pão e água são servidos gratuitamente em cafés e restaurantes — essa prática é assegurada por lei, e foi introduzida pela primeira vez por Napoleão Bonaparte. No entanto, é bom saber que a água servida gratuitamente é da torneira. Caso você não se importe com isso, basta pedir para o garçom que lhe traga água.

18. A maioria dos franceses só escova os dentes após o café da manhã

Para alguns turistas essa prática pode fazer parecer que os franceses não escovam os dentes pela manhã. Mas, na verdade, eles apenas deixam para fazer isso após o café da manhã. Esse costume pode parecer estranho à primeira vista, mas se você parar para analisá-lo é até lógico. Veja, se você escovar os dentes antes do café da manhã, então não vai poder sentir o gosto dos alimentos perfeitamente — tudo vai se misturar com o gosto e com o cheiro do seu creme dental. E para os franceses é muito importante saborear a comida. Fora isso, do ponto de vista higiênico, escovar os dentes após as refeições é o mais correto.

19. Os franceses bebem água da torneira

Na França, o sistema de limpeza da água do saneamento básico é muito eficiente. Claro, tudo depende da região, mas, no geral, o governo está sempre muito atento à qualidade da água. Por isso, sinta-se completamente à vontade para bebâ-la da torneira quando estiver no país também.

20. Até recentemente, as mulheres eram proibidas por lei de usar calças na França

No ano de 1800, as autoridades francesas aprovaram uma lei que proibia as mulheres de usarem vestimentas consideradas na época como masculinas, a não ser que elas tivessem uma permissão especial da polícia. Assim, as calças acabaram ficando proibidas para as francesas. Essa norma foi adotada para dificultar o acesso de mulheres a certas profissões. No entanto, com o passar dos anos, o texto da lei foi sendo corrigido, e acabou permitindo às mulheres que usassem calças caso estivessem andando de bicicleta ou andando.

A lei, contudo, só foi revogada oficialmente em 2012. Claro, ela já não era aplicada há muitos anos, mesmo assim ainda permanecia registrada na legislação francesa.

21. Os banheiros públicos em Paris são gratuitos

Além do fato de os banheiros públicos em Paris serem gratuitos, eles também funcionam 24 horas por dia. Se na frente da cabine uma luz verde estiver acesa, então a toalete está livre. Só há uma observação: caso note uma pessoa saindo, espere até que a porta da cabine se feche e que o banheiro termine seu procedimento de limpeza automática. Quando tudo estiver pronto, a luz verde irá acender e você poderá utilizá-lo.

A propósito, na França é obrigatório por lei que todo café tenha um banheiro. Assim, caso você precise, sempre há a possibilidade de entrar no café mais próximo para utilizar a toalete.

Você já esteve na França? Percebeu alguma outra característica do estilo de vida francês que difere do nosso? Conte para a gente na seção de comentários.

Imagem de capa Lena Luciez / youtube
6-41
37k
Compartilhar este artigo