Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13 Costumes de vida dos japoneses que são um pouco esquisitos para o Ocidente

5-25
34k

Há muitos boatos e histórias sobre as “peculiaridades” da vida dos japoneses. E se você tiver a sorte de visitar a Terra do Sol Nascente, esteja preparado para seguir as regras de conduta locais: não espere ser convidado para ir à casa de algum japonês, espere chegar em casa para jogar seu lixo da rua e, de forma alguma, limpe seu nariz em público. Ah, sim, e não perca seu tempo tentando convencê-los de suas crenças vegetarianas: eles ainda assim vão oferecer para você alguma carne.

Incrível.club comparou alguns pontos de vista sobre a vida no Ocidente e a vida no Japão: parece que esses são 2 universos paralelos que não vão se cruzar tão cedo. Confira!

Os japoneses não pintam o cabelo

Há alguns anos, muitas japonesas seguiam a tendência europeia de tingir os cabelos, em tons marrons, ou até faziam mechas loiras, mas agora a tendência é deixar o cabelo natural e preto. De acordo com as diretrizes de algumas instituições, aliás, alunos de algumas escolas e universidades devem sempre estar com a cor natural do cabelo. Se a cor, no entanto, não for preta, eles precisam mostrar alguma comprovação de que os cabelos não foram tingidos, como, por exemplo, fotos de quando eram crianças.

No que diz respeito aos cabelos coloridos que vemos em muitos japoneses, esse é um nicho mais específico reservado para os fãs de anime e cosplay.

Não é costume convidar amigos para visitar a sua casa

Convidar até mesmo um amigo próximo para visitar seu espaço pessoal é bastante incomum, pois as pessoas desse país são naturalmente mais reservadas. Quando querem se encontram, os japoneses preferem fazer reuniões em locais públicos. Não existe o hábito de simplesmente ir à casa de algum amigo visitá-lo, sem motivo, ou para evitar o tédio. Você precisa ter uma ótima razão para bater na porta de alguém.

Ninguém come andando

A cultura gastronômica no Japão é bastante rígida e respeitada quase que espiritualmente. Os japoneses têm o hábito de apreciar e reverenciar o processo de se alimentar e, portanto, não vão comer enquanto caminham pela rua. Para não dizer que as regras são tão rígidas, é perfeitamente aceitável você beber algum suco ou refrigerante perto de máquinas que vendem sanduíches e bebidas. Comer lanches ou refeições em transporte público também é desencorajado, mas caso esteja fazendo uma viagem de longa distância, como entre cidades, nesse caso não terá problema.

Acredita-se que é grosseria buzinar até mesmo quando estiver parado em um engarrafamento

Mesmo nas situações de trânsito mais caóticas que você possa imaginar, é muito improvável ouvir buzinas nas ruas de Tóquio. Quando presos em engarrafamentos, os cidadãos locais tendem a se comportam de forma decente, paciente e não gostam de perturbar os outros carros com buzinas. Muitos povos do Ocidente, pelo contrário, têm certa necessidade de aliviar o estresse diário e mostrar sua insatisfação com o trânsito apertando a buzina o mais forte que podem nas mesmas situações.

Ser vegetariano no Japão é bastante difícil

A cozinha local não compreende bem que há pessoas que não gostam de carne. Em quase todos os pratos (se não em todos) há algum ingrediente de origem animal. Até mesmo o macarrão simples é normalmente fervido em um caldo de carne e, por isso, você deve ficar atento. Mesmo que o prato pareça ser vegetariano e você só veja legumes nele, é ainda bastante possível que sua preparação não tenha sido tão vegetariana assim.

Você pode ofender um japonês seriamente ao espirrar

Se você começar a limpar seu nariz, ou espirrar, na frente de alguém no Japão, será como se você estivesse o xingando ou dizendo que não o respeita. Isso é devido ao medo evidente de contaminação. Se alguém no local estiver com alguma gripe ou com o nariz escorrendo, ele ou ela certamente irá usar uma máscara protetora. O que é curioso, no entanto, é que ao mesmo tempo que os japoneses têm essa relação precavida com resfriados, eles não veem nenhum problema em sugarem e fazerem barulho ao comer lámen.

Descansar depois do trabalho faz parte do mundo da fantasia

Por conta das condições de trabalho bastante pesadas no Japão, as pessoas raramente têm tempo (e energia) para praticar suas atividades favoritas, hobbies, esportes ou viajar. Se um japonês trabalha nos horários tradicionais, ou seja, mais de 60 horas por semana, seu tempo livre é quase nulo. Normalmente, em muitos países do Ocidente, é comum sair depois do trabalho, relaxar com os amigos à noite ou realizar diversas atividades. Isso definitivamente não é um hábito no Japão.

Os japoneses preferem não ajudar uns aos outros no trabalho

Você não deve realizar o trabalho de outra pessoa na Terra do Sol Nascente. Afinal, cada atividade de trabalho foi designada a uma pessoa específica que é responsável por aquela função. Então, se você decidiu colocar a carta no correio em vez do funcionário ou pegou o lixo do chão no lugar do lixeiro, isso pode ser visto não como uma ajuda, mas sim como uma “declaração” de que você está tentando tomar o lugar legítimo dessa pessoa na sociedade. Por mais exagerado que isso possa parecer.

Não saia à procura de lixeiras

Em Tóquio, quase não há lixeiras nas ruas e as pessoas têm o costume de jogar lixo em pilhas que depois são recolhidas por funcionários especiais. Isso se deve ao fato de que no início dos anos 2000, as lixeiras eram frequentemente usadas para detonação de bombas. Como resultado de tais ataques, muitas pessoas morreram.

Muitos japoneses, portanto, preferem guardar seu lixo até chegarem em casa, e lá jogam fora. Os fumantes fumam apenas em locais específicos e, por isso, não há problemas com bitucas de cigarro jogadas pelo chão.

No Japão, as pessoas reparam em qualquer detalhe

Na sociedade japonesa, um olhar “torto” ou um breve balanço de mão não passarão despercebidos. Qualquer mudança no tom de voz será seguida pela pergunta: “Aconteceu alguma coisa?” As pessoas aqui conseguem ler as entrelinhas, por vezes sem nenhuma palavra, e entender toda a situação, pedidos ou desejos daqueles à sua volta.

Uma mulher estrangeira pode provar seu amor a um homem japonês por muito tempo, mas ele vai entender que é realmente amado somente quando ela fizer, por exemplo, um chá de acordo com uma receita especial de família, ou quando fatiar as frutas lindamente somente para ele. O segredo está nos detalhes, que para muitos de nós passam despercebidos. E o fato de que a mulher largou o próprio país, seus amigos e familiares, não servirá necessariamente como uma prova de amor.

Mulheres recebem menor salário do que os homens (a priori)

As ideias do patriarcado ainda são muito fortes no país. Oficialmente, elas não são difundidas, mas todos têm o senso comum de achar que o lugar da mulher é cuidando da casa e da família. Se uma mulher decidir, no entanto, focar em sua carreira profissional, ela precisa estar preparada para (muito provavelmente) receber menos do que um homem que ocupa o mesmo cargo. É por isso que muitas japonesas abrem suas próprias empresas para estabelecerem as condições de trabalho adequadas e convenientes para si mesmas.

Há também o outro lado da moeda: depois do casamento, geralmente, o poder sobre a família e a casa é assumido pela esposa. Ela controla tudo, até mesmo a quantidade de dinheiro que o marido pode gastar diariamente. Aqui existe a prática (incomum para muitos) do homem de família transferir seu salário para sua mulher, que irá controlar os gastos.

Existe a tradição de sair com seu chefe para o bar

Sair com o chefe para o bar já virou uma tradição nesse país. Acredita-se que isso fortalece as relações no âmbito profissional. Os funcionários se sentem quase que forçados a seguir a norma: muitos têm medo de serem demitidos caso escolham recusar o convite.

É claro que se alguém não quiser ir, ninguém irá forçá-lo. No entanto, se for realmente preciso recusar o convite, é necessário fazê-lo seguindo as regras de etiqueta japonesa para não ofender o chefe, que normalmente convida todos os funcionários a se divertirem por sua conta.

Funcionários não costumam ser pagos por horas extras

Se existir um costume no escritório de trabalhar diariamente a mais, um determinado funcionário irá trabalhar algumas horas a mais sem nenhuma reclamação, porém, essas horas normalmente não são pagas. O salário de muitos trabalhadores é proporcional ao tempo que essa pessoa está na empresa, e não depende tanto de seus méritos individuais. Por isso, você pode realizar uma tarefa por dia ou prolongar a mesma tarefa por alguns dias, apenas mostrando que está se esforçando diariamente. A grande maioria escolhe a segunda opção.

Você conseguiria viver em um país assim? Comente!

Imagem de capa Kyodo / East News
5-25
34k