Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13 Coisas nas quais as pessoas de posses geralmente não gastam dinheiro, mas as menos abastadas estão dispostas a entrar em dívidas por elas

4124
23k

Há diversas coisas que podem indicar sobre a situação financeira de uma pessoa. Podem ser desde casacos de pele, joias grandes e raras, até os relógios mais caros. Algumas pessoas estão dispostas a economizar por anos, e até pegar empréstimos, para colocar as mãos em alguns desses “caprichos”. No entanto, pessoas realmente ricas estão cada vez menos recorrendo a tais coisas como forma de confirmar o seu status social.

Nós, do Incrível.club, somos a favor de uma economia racional e, por isso, encontramos alguns símbolos de ostentação que não estão mais na moda. Infelizmente, muitos ainda não perceberam isso. Acompanhe!

1. Joias de ouro

Mulheres ricas e elegantes costumam colocar apenas o mínimo de joias de ouro antes de saírem de casa. O importante é priorizar a qualidade das pedras. Muitas também optam por bijuterias de tamanhos maiores.

Para aqueles que não têm uma situação financeira estável o suficiente, comprar ouro ainda é como um investimento. Adquirir ouro na forma de joias é uma forma de se prevenir financeiramente para algum dia de extrema necessidade. Dessa forma, vemos muitas mulheres que não têm alta condição financeira usando joias do tipo após investirem anos na compra das mesmas. O único “porém”, no entanto, é que tais mulheres costumam seguir o princípio de “quanto mais, melhor!”

2. Roupas e sapatos de marcas caras

Muitas vezes até mesmo pessoas muito ricas são indiferentes às roupas de grife e, no dia a dia, elas andam com jeans simples e suéteres de lojas comuns de departamento, que são as peças mais básicas do guarda-roupa de qualquer pessoa. Em uma entrevista, o próprio Bill Gates confirmou que estava usando um relógio de pulso de apenas 10 dólares, apesar de poder comprar milhões de pares de relógios das marcas mais luxuosas. Em vez de ir às compras, muitos ricos preferem gastar dinheiro com outros prazeres da vida, como entretenimentos diversos e viagens.

3. Cirurgia plástica

No passado, a cirurgia plástica estava na moda em todo o mundo — todos queriam ter o corpo e o rosto perfeitos, eliminar as imperfeições. Homens ricos podiam oferecer às suas parceiras alguma cirurgia ou procedimento estético, e essas, por sua vez, aceitavam o “agrado”. Isso era bastante recorrente. Hoje em dia, no entanto, cada vez mais celebridades estão indo contra às cirurgias plásticas, e enaltecem o amor pelo próprio corpo, seja ele qual for, assim como as rugas e imperfeições.

Entretanto, muitas meninas ainda não estão prontas para serem vistas “ao natural” e ainda economizam em muitos prazeres e necessidades do cotidiano para conseguirem pagar por um preenchimento labial, silicone, lipoaspiração, entre outros procedimentos que prometem trazer a juventude de volta. Isso tudo para se aproximar do tão buscado “ideal de beleza”, que, ao que parece, está se tornado gradualmente uma tendência ultrapassada.

4. Casacos de pele natural

Designers famosos e seus clientes endinheirados estão, cada vez mais, excluindo os casacos de pele natural de seus guarda-roupas, pois hoje isso é visto como uma prática antiética. Houve casos que representantes de instituições de proteção aos animais jogaram tinta vermelha em mulheres que estavam usando casacos de pele natural. Na Califórnia, aliás, há uma lei estadual que proíbe o uso e venda de peles.

Para algumas mulheres, no entanto, casacos de pele ainda são um item que emana luxo e status. Na realidade, tais peças podem facilmente ser substituídas por casacos esportivos para frio intenso, sobretudos de inverno ou até um excelente casaco de pele artificial.

5. Voar de classe executiva

A grande maioria das pessoas está disposta a viajar modestamente, mesmo que tenha condição financeira para pagar a mais. Por exemplo, o fundador da IKEA, Ingvar Kamprad, acredita que voar em classe executiva é um gasto desnecessário e, por isso, todos os funcionários da IKEA, independentemente da posição que ocupam na empresa, voam em classe econômica e se hospedam em hotéis de baixo custo.

Muitas pessoas, no entanto, com renda mediana, estão dispostas a pagar um adicional para terem o luxo da classe executiva em suas viagens, sem contar que os preços dos voos estão aumentando a cada ano e os valores, especificamente da classe executiva, são os que apresentam maior crescimento. Na verdade, graças a sua existência, as companhias aéreas conseguem manter preços acessíveis para a classe econômica. Quando pensamos nisso, um voo de executiva não parece mais tão atraente, não é mesmo?!

6. Eletrodomésticos

Outro item pouco procurado pelos endinheirados são os eletrodomésticos. Se a versão anterior de algum aparelho estiver funcionando bem, não há a necessidade de comprar um novo. Essa regra é quebrada por milhares de consumidores de baixa e média renda mundo afora: prestações são criadas literalmente em qualquer eletrodoméstico ou aparelho eletrônico.

Isso também se aplica aos aparelhos que são usados apenas uma vez, como as máquinas de fazer Waffle, sorvete, panquecas e fondue, por exemplo. Na maioria das vezes, esses aparelhos são usados apenas uma ou duas vezes e depois ficam guardados no fundo do armário para lembrar seus donos do dinheiro que foi gasto.

7. Muitas decorações de interior

Pessoas bem-sucedidas financeiramente têm a tendência de aderir ao minimalismo no que diz respeito ao design de interior de suas casas. Há uma maior preferência pela simplicidade para elas evitarem a distração com aparelhos domésticos e não perderem tempo com obras ou na escolha de móveis. Isso, por sua vez, proporciona mais tempo para passar com suas famílias, parceiros, amigos e, claro, para dedicar ao trabalho.

Muitas vezes, pessoas de classe média optam por encher suas casas com decorações e móveis visando seguir as tendências da moda. Elas buscam melhorar o interior de suas casas frequentemente, não necessariamente avaliando os itens que são realmente necessários e deixando de gastar dinheiro com coisas de maior importância para o dia a dia.

8. Casa grande

Pessoas com alta estabilidade financeira, muitas vezes, optam por comprar imóveis de baixo custo, mas promissores, para que possam ter algum lucro com a compra no futuro. O bilionário, Warren Buffett, por exemplo, ainda mora em uma casa modesta que foi comprada em 1958. A casa aconchegante de Warren fica no estado do Nebraska e custou apenas 30 mil dólares (125 mil reais) e hoje seu valor está estimado em 650 mil dólares (2,7 milhões de reais).

O bilionário mexicano, Carlos Slim, cuja fortuna é estimada em 50 bilhões de dólares, também vive em uma casa relativamente modesta, comprada há muito tempo, e ele evita gastar dinheiro com equipamentos eletrônicos caros. Amancio Ortega, o fundador da loja de departamentos Zara, também não deixou o dinheiro subir à cabeça: ele e sua mulher moram em uma casa simples na Espanha. O professor da Universidade de Stanford, David Cheriton, que possui 1,3 bilhão em ações do Google, disse certa vez em uma entrevista: “Estas pessoas que constroem casas com 13 banheiros etc — há certamente algo de errado com elas”.

Muitos representantes da classe média, por sua vez, são guiados pela ideia de que para se ter uma vida plena e criar uma família é preciso, em algum momento, construir ou comprar uma casa onde seus filhos poderão crescer. Muitas vezes, no entanto, tais obras ou financiamentos tendem a durar a vida inteira, até as crianças já estarem adultas. O dinheiro para muitas dessas famílias é ganhado com muito esforço, o que reduz o tempo livre e as energias com o passar dos anos; e os gastos com os financiamentos ou as obras representam normalmente a maior parte da renda.

9. Veículos de luxo

Pessoas de classe alta não compram carros novos sem que haja real necessidade. Até o fundador do Facebook, Mark Zuckerber, dirige um Volkswagen de câmbio manual e disse que a riqueza nunca foi uma tentação assim tão irresistível para ele.

Apesar disso, diversas pessoas mundo afora usam os carros como forma de autoafirmação e ostentação. A falta de dinheiro para a compra ou manutenção de tais veículos não é vista como um problema, visto que tais pessoas estão dispostas a pegar empréstimos ou pagar em diversas prestações, somente para conseguir aquele carro que custa mais do que eles podem pagar.

10. Educação privada

Os milionários sabem que o ensino público muitas vezes não é muito diferente do privado (e em alguns países, até melhor). O sucesso, na realidade, é obtido por meio de muita disciplina, determinação e persistência. Hoje em dia, diversas empresas internacionais estão contratando jovens que tenham potencial e habilidades necessárias. Ou seja, experiência profissional e competências palpáveis estão se tornando muito mais importantes do que um diploma de ensino superior.

Algumas pessoas acham, no entanto, que se eles pagarem por uma educação superior e receberem um diploma, esse será o seu bilhete para uma vida com muito dinheiro. O resultado disso é que, em muitos países, jovens recorrem ao financiamento estudantil para que possam estudar em uma universidade. O problema nisso é que, na maior parte das vezes, esses estudantes passam de 5 a 10 anos trabalhando após o término dos estudos para pagar todo o empréstimo, e acabam por perder valiosos anos da vida passando por dificuldades financeiras.

11. Brinquedos demais para as crianças

As pessoas bem-sucedidas chegaram à conclusão de que, ao comprar brinquedos para seus filhos (em quantidades ilimitadas), elas podem fazer mais mal do que bem para seus pequenos. Uma pesquisa avaliou: 36 crianças foram divididas em 2 grupos, um dos quais brincaria em uma sala por 30 minutos com 4 brinquedos, e o outro, com 16 brinquedos. Os resultados observados concluíram que as crianças do primeiro grupo — com 4 brinquedos — se mostraram muito mais criativas: elas tinham de inventar diversas brincadeiras e formas de se entreter com uma quantidade menor de objetos. Se os pais passarem mais tempo com seus filhos e derem a eles maior atenção, as crianças vão se desenvolver mais rápido do que se passarem a maior parte do tempo com muitos brinquedos.

Enquanto isso, a maioria dos pais admite que seus filhos estão lotados de brinquedos: os ursinhos, barbies e bonecos precisam de um quarto separado somente para eles. A criança não terá tempo de sonhar: ela tem de tudo, e os seus desejos são alcançados rápido demais. A criatividade e imaginação são evidenciados quando os recursos estão mais limitados. Os pais, porém, na tentativa de demonstrar seu amor, compram tudo aquilo que eles mesmos não tiveram em suas infâncias.

12. Cursos e treinamentos

Cursos de desenvolvimento pessoal são negócios, e os “coaches” não estão interessados necessariamente no desenvolvimento efetivo do cliente, por isso é muito difícil transformar a sua vida com a ajuda de tais cursos. Pessoas bem-sucedidas sabem que para crescer profissionalmente é necessário trabalho árduo e contínuo, com muito esforço, para conseguir alcançar seus objetivos.

Dentre aqueles que estão apenas planejando terem sucesso profissional, tais empresas que oferecem cursos de crescimento pessoal, como o “coaching”, tornam-se bastante populares. O custo normalmente é bastante elevado, mas a demanda só tem crescido nos últimos anos. Pessoas que não têm estabilidade financeira buscam por uma “pílula mágica”, que poderá mudar as suas vidas da noite para o dia.

13. Estética

Hoje, manter as unhas em sua cor natural é símbolo de privilégio e riqueza, Mulheres bem-sucedidas preferem manter as unhas naturais, ou em tons pastéis sutis, que deem aparência de maior elegância.

Muitas meninas, no entanto, querem que suas manicures sejam notadas pelas pessoas à volta e, por isso, muitas vezes, escolhem cores mais vibrantes de esmalte, longo comprimento e desenhos originais. Normalmente, pessoas que andam com as unhas assim fazem parte da classe média.

Quais outras coisas você acha que são indicadoras de status social? E o quão isso é realmente importante para a sua vida? Comente!

4124
23k
Compartilhar este artigo