Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Não passar roupas (e outras dicas) é a nova tendência para preservar a natureza e economizar muito

6-45
281

O avanço da tecnologia acabou gerando a progressiva saturação do ecossistema, poluindo a atmosfera, o solo e a água disponível. Sabemos que os recursos da natureza não são eternos e que precisamos fazer o possível para buscar alternativas para preservar o Planeta e economizar dinheiro com pequenas atitudes. E se pudéssemos evitar passar, lavar e comprar roupas novas como forma de reduzir gastos desnecessários?

Nós, do Incrível.club, amamos te ajudar a guardar dinheiro ou evitar gastos desnecessários, por isso, explicaremos como evitar algumas etapas da rotina da casa pode ajudar. Vamos explicar como funciona, acompanhe!

1. O grande apelo da indústria da moda

Nem todas as pessoas têm ciência de que a rotatividade com que consumimos a moda pode ser prejudicial para o bolso e, ainda, causar sério desequilíbrio ambiental. De acordo com um site especializado, o Brasil é o país que mais consome roupas e acessórios de todo tipo na América do Sul. Outra pesquisa explica que, em média, cada família brasileira gasta pouco mais de R$ 80 só com peças de vestuário.

2. Alguns dados importantes

Sabemos que muitas indústrias são emissoras de gases de efeito estufa, algumas já são bem conhecidas do público em geral como agricultura, fundição de metais, produção de cimento, etc. Mas o que pouca gente tem noção é de que a indústria da moda está nessa lista também. Ela é a segunda mais poluidora de água potável e é responsável por 10% das emissões de carbono no mundo.

O mundo gasta quase 70 milhões de barris de petróleo para confeccionar as roupas de poliéster que são usadas pela população todos os anos. Essas fibras levam cerca de 200 anos para se decompor na natureza e 80 bilhões de peças de roupas sintéticas são vendidas todos os anos. Essa moda rápida, também conhecida como “Fast Fashion”, nada mais é do que uma roupa que fica ultrapassada logo e precisa ser reposta.

3. Usar roupas sem passar é a nova “moda”

Esta campanha tem o intuito de fazer as pessoas se indagarem se há mesmo a necessidade de passar roupa. A iniciativa já está se tornando viral na Internet justamente pela causa nobre e pela necessidade de economizar. Ela surgiu a partir de várias organizações que trabalham em prol da importância de pequenas mudanças no nosso comportamento.

4. Passar ou não passar? Eis a questão...

ideia levantou uma polêmica: de um lado os que defendem o meio ambiente e não se incomodam de vestir roupas com rugas naturais, e de outro, pessoas que rejeitam veementemente a ideia de “afastar” o ferro de suas vidas. O argumento é de que a roupa passada transmite limpeza, cuidado e cuidado consigo mesmo. Já a roupa sem passar pode sugerir que a pessoa é, de alguma forma, desleixada ou descuidada.

5. O Planeta agradece

Um dos defensores do controle das mudanças climáticas, Mark Gersava, escreveu em suas redes sociais: “A partir de hoje eu me comprometo a não usar mais ’FERRO’ em minhas roupas. Cada pessoa emite 190 [quilos] de CO2 equivalente em gases de efeito estufa a cada ano ao passar roupas. Se os 7 bilhões de pessoas pararem de passar roupas, podemos diminuir o CO2 em 13 milhões de toneladas métricas anualmente”.

6. O seu bolso também vai agradecer

Um estudo do Inmetro de 2019 avaliou que, em média, o consumo de energia de uma residência aqui no País gira em torno de 161 kWh por mês. Nessa conta, o ferro a vapor abocanha cerca de 4% e o ferro a seco menos de 2% desses kilowatts. Além do gasto energético, o calor do ferro pode desbotar as peças e isso faz com que, a longo e médio prazo, essa roupa tenha de ser substituída.

A cofundadora da marca de roupas sustentáveis Birdsong London, Sophie Slater, conta como faz para desamassar suas roupas. Sua técnica é pendurá-las no box do banheiro para aproveitar o vapor do banho. Sophie indica também o uso de roupas feitas com fibras naturais como lã ou linho, que não precisam ser passadas e evitar sintéticos a todo custo.

7. Entenda porque a lavagem também pode ser prejudicial

Pesquisas mostram que se gasta 2,7 mil litros de água para produzir uma camiseta comum de algodão e que o desgaste da roupa faz com que logo tenhamos de substituí-la. Uma opção viável na gana de evitar o consumismo é comprar roupas de segunda mão; existem hoje lojas e até sites especializados que vendem peças usadas perfeitas para uso.

Uma frase que ilustra bem o que estamos tentando explicar é a da estilista Stella McCartney: “Basicamente, na vida, há uma regra geral: se você não precisa limpar uma coisa, não a limpe”. A herdeira de Paul McCartney explicou a um jornal que aprendeu essa dica de ouro com alfaiates quando trabalhou em Londres, e completa: “Em vez disso [lavar], a regra é deixar a sujeira secar e escová-la”.

8. Lavar sem necessidade pode estragar

McCartney contou também que “não troca de sutiã todos os dias”, e a diretora de marketing da marca de lingerie Journelle, Allison Beale, explicou: “Os sutiãs não precisam ser lavados após cada uso. A lavagem constante pode estragar os materiais que fornecem suporte e pode danificar a estrutura do sutiã”. Allison sugere que lavar a cada seis ou sete usos é o ideal, e aconselha o revezamento de peças para dar tempo para que o elástico volte à forma inicial.

9. Lavagem a seco ou molhada? Qual é a mais indicada?

Uma das grandes vilãs é a lavagem a seco por causa do uso do percloroetileno, que é excelente para retirar manchas, mas foi associado à problemas de saúde e será proibido em breve na Califórnia e França. Apesar de economizar água, a opção de lavar a seco custa em média 20% mais do que a lavagem tradicional, nas lavanderias.

Laura Diáz Sánchez, da Plastic Soup Foundation, declarou à BBC: “Toda vez que lavamos nossas roupas, uma média de 9 milhões de microfibras de plástico são liberadas”. E acrescentou: “Quanto mais lavamos, mais microfibras são liberadas”. Lavar desnecessariamente também desgasta e deforma as peças e faz com que tenhamos de substituí-las com mais frequência.

10. Então, como lavar?

Laura Diáz Sánchez dá algumas dicas de como fazer uma lavagem mais ecológica: usar água fria e detergente líquido são algumas das alternativas. A suavidade desse tipo de sabão ajuda a evitar o desgaste das roupas, na hora que elas batem umas nas outras dentro da máquina, e menos fibras de plástico serão liberadas no meio ambiente.

11. O que nós podemos fazer?

O impacto ambiental causado pela confecção, pelo uso e pela lavagem de roupas feitas de material sintético é grande, e isso já explicamos acima. No entanto, algumas campanhas buscam indicar o uso de roupas feitas de algodão, fibra de bambu e lã. Esse tipo de roupa ajuda a diminuir os impactos sobre os recursos do Planeta e, de quebra, você tem peças que vão durar mais tempo.

12. Evite o consumismo

Existe ainda um outro movimento que mostra ao consumidor que, apesar de ser importante estarmos conscientes na hora de escolher o material das roupas no momento da compra, a melhor roupa é aquela que a gente não compra e que não descarta. Já que todas as roupas possuem, em maior ou menor quantidade, algum tipo de impacto ambiental.

13. Compre roupas usadas

consumismo em excesso é preocupante, e devido a urgência da preservação faz-se necessário pensar se realmente precisamos de uma roupa nova de tempos em tempos, tendo o armário abarrotado de peças em bom estado. Uma opção interessante é comprar, ou trocar, peças em brechós físicos ou lojas de roupas usadas on-line, que possuem inclusive itens de marcas famosas e importadas.

14. Escolha peças básicas e de qualidade

Se vai comprar alguma peça que seja realmente necessária, escolha roupas que combinam entre si para que você possa alternar várias vezes. Outra ideia é evitar o apelo da moda e adquirir itens básicos e clássicos, como peças sociais e de cores neutras. Além de optar por tecidos como o linho, que é macio, lindo, durável e que pode ser usado sem passar.

15. Como secar as roupas para não precisar passar?

Já sabemos que as altas temperaturas desbotam e desgastam as roupas, mas podemos usar algumas alternativas para não precisar passá-las:

  1. Utilize sabão e amaciante de qualidade na lavagem;
  2. Sacuda ou estique com as mãos a roupa antes de estender, isso faz com que ela elimine rugas quando seca;
  3. Deixe-as secar em cabides;
  4. Borrife uma mistura de álcool, amaciante e água, em partes iguais, para desamassar a roupa já no corpo e passe as mãos para esticar o tecido.

Você, por exemplo, ficaria feliz em desistir de passar roupa para economizar energia? Quais são suas dicas para reduzir a passagem desnecessária das roupas? Deixe sua opinião sobre o tema nos comentários.

6-45
281
Compartilhar este artigo