Incrível
Incrível

9 Hábitos aparentemente insignificantes que devem ser evitados durante a decolagem e o pouso

A decolagem e o pouso são as fases mais perigosas das viagens aéreas, porque durante essas etapas o avião está muito próximo do solo e em alta velocidade. Em tais momentos a segurança a bordo não depende apenas do equipamento e do profissionalismo da tripulação. O comportamento dos passageiros também desempenha um papel importante em seu conforto durante a subida e a descida da aeronave.

Nós, do Incrível.club, gostaríamos de lembrar que o avião continua sendo o meio de transporte mais seguro. No entanto, há uma série de coisas que devem ser evitadas durante a decolagem e a aterrissagem, para que o voo seja agradável para todos.

1. Adormecer

Muitos passageiros não se importam de passar o voo inteiro dormindo. Além de ajudar a passar o tempo, também suaviza a aerofobia. Claro, todos podem tirar uma soneca, mas é melhor evitá-la durante a subida e a descida do avião. Nessas fases, a pressão a bordo da aeronave muda drasticamente, razão pela qual os ouvidos dos passageiros tendem a tampar. Adormecida, a pessoa não é capaz de bocejar ou engolir saliva para equilibrar as quedas de pressão. Posteriormente, o passageiro pode sentir tontura, dor e zumbido nos ouvidos, perda temporária de audição e até sangramento auricular.

2. Usar fones de ouvido

O motivo pelo qual devemos tirar os fones de ouvido durante a decolagem e o pouso foi explicado pelo piloto Sebastian Lender: “imagine que o seu avião colide com um bando de pássaros durante o pouso e você está com seus fones de ouvido, escutando o último hit de Justin Bieber. Enquanto os outros passageiros seguem as instruções de segurança, você segue despreocupadamente o ritmo da música. É provável que você seja a única pessoa desprotegida e que ficará gravemente feriada”.

A conclusão é uma só: durante a decolagem e a aterrissagem, é imprescindível tirar os fones de ouvido para não perder as instruções da tripulação e responder rapidamente a uma eventual situação de emergência.

3. Tirar os calçados

Assim que alguns passageiros entram na cabine do avião, imediatamente tiram os calçados e deixam as pernas descansando mais confortavelmente. Além de esse comportamento ser considerado falta de etiqueta social, é também contrário às normas de segurança. Em caso de emergência, os calçados podem bloquear a passagem e interferir na evacuação de outras pessoas. E o próprio passageiro perderá um tempo precioso tentando calçá-los ou correrá o risco de se machucar ao andar pela cabine descalço.

Aliás, os comissários não recomendam andar pela cabine descalço, mesmo nas fases seguras de voo, quando o avião já ganhou altitude. As aeronaves não são limpas com muita frequência e o número de pessoas que passa por elas é enorme. Andar descalço é um risco de contrair infecções na forma de fungos, vírus e germes.

4. Tomar bebidas gaseificadas

O estômago humano contém, em média, de um a dois litros de ar. As flutuações de pressão durante a subida e a descida de uma aeronave podem levar à expansão dos gases no corpo em até 25%. Isso pode causar inchaço abdominal e cólicas. Como as bebidas gaseificadas também causam excesso de ar no estômago, não é recomendável consumi-las durante essas fases do voo.

5. Desligar a ventilação

É recomendado não desligar o ar condicionado acima do assento, mesmo que a ventilação esteja muito forte. Esse sistema desempenha uma função crucial: ele remove as partículas de poeira e os germes do ar e reduz a probabilidade de um passageiro contrair infecções respiratórias.

6. Usar lentes de contato

O ar em um avião geralmente é bastante seco. Níveis baixos de umidade podem causar intolerância às lentes de contato e olhos secos. Para que os passageiros e a tripulação evitem esse desconforto ocular, é melhor remover as lentes antes do voo e não usá-las até o fim da viagem.

7. Inclinar o assento para trás

Muitos passageiros ficam furiosos quando solicitados que coloquem o encosto na posição vertical. Na verdade, esse pedido da tripulação tem uma razão. Trata-se de uma regra imutável que ajuda a garantir a segurança a bordo. Como a maioria das emergências ocorre justamente durante a subida e a descida, é importante que, durante esses momentos, nada impeça a movimentação dos passageiros. Incluindo o encosto reclinado da cadeira à frente.

8. Fechar as janelas

Abrir as janelas durante a decolagem e a aterrissagem também é uma medida de segurança necessária. Dessa forma, as equipes de solo podem perceber uma eventual situação de emergência a bordo. Além disso, as janelas abertas ajudam os passageiros a se acostumarem à luz diurna ou noturna mais rapidamente, o que significa que em caso de uma evacuação, agirão muito mais depressa, ganhando preciosos segundos.

9. Deixar os dispositivos fora do modo avião

Qualquer dispositivo eletrônico com função de transferência de dados (Wi-Fi, GSM, Bluetooth, etc.) cria um campo eletromagnético que pode afetar a operação da eletrônica de bordo da aeronave. E mesmo que a probabilidade de um SMS interferir no controle do avião seja extremamente baixa, a tripulação nunca colocará em perigo a vida de centenas de pessoas. Essa regra pode parecer desnecessária, mas existe com o único propósito de garantir a segurança dos passageiros.

Quando foi a última vez que viajou de avião? Quais das regras descritas são uma novidade para você?

Compartilhar este artigo