18 Detalhes que podem deixar o interior de nossa casa um tanto quanto ultrapassado

Quem não quer ter uma casa aconchegante e bem arrumada? Sim, essa é a aspiração de muita gente. Só que nem todo mundo possui os conhecimentos e as habilidades necessárias para equipar o próprio lar com bom gosto e praticidade. Mas com alguns truques simples, é possível melhorar bastante o aspecto da sua residência.

Nós, do Incrível.club, é claro, gostamos do trabalho de designers profissionais, mas entendemos que, dependendo do caso (e do tipo de projeto), mesmo quem não é do ramo é capaz de dar uma boa arrumada no interior da própria casa, adotando soluções práticas, elegantes e criativas. Por isso, trouxemos as dicas deste artigo. Confira só!

1. Conjuntos de móveis no mesmo estilo

Muita gente está acostumada com a ideia de que os móveis de um determinado cômodo têm de ser todos de um mesmo conjunto. Exemplo: um sofá e duas poltronas da mesma cor ou um rack de TV, uma cômoda e a estante do mesmo estilo. Só que essa maneira de “pensar” os ambientes hoje em dia soa monótona e previsível. Portanto, se você deseja revitalizar o interior de um quarto, tenha em mente que é perfeitamente aceitável combinar um sofá em um tom “calmo” com uma poltrona em cores mais “energizantes”, como o vermelho ou um verde mais forte.

2. Armários de cozinha em madeira (ou com aspecto de madeira)

Os armários em madeira ou em materiais parecidos, como o MDF, já foram bem populares nos anos 80 e 90, mas há muito que estão fora de moda. Hoje em dia, estão em alta os tons monocromáticos, sobretudo os de branco e cinza. Portanto, se você pretende dar um ar mais moderno aos seus ambientes (e especialmente à cozinha ou à copa), vale pensar na opção de substituir o acabamento dos seus móveis ou mesmo pintá-los — caso goste de seus móveis ou não esteja querendo gastar muito. Há, ainda, a solução mais radical de trocar tudo.

3. Lustres

Os lustres reinaram durante décadas como elementos principais de iluminação e, ao mesmo tempo, de decoração dos ambientes, tendo, algumas vezes, como coadjuvantes, luminárias perto de sofás e em pontos estratégicos. Só que os conceitos mais modernos de decoração pedem algo diferente. Em primeiro lugar, em vez de um único lustre, temos mais de um ponto de iluminação em um ambiente — sobretudo nas salas. Além disso, não é mais obrigatório que as fontes de luz sejam de um mesmo estilo. O lustre torna-se, assim, apenas mais um elemento decorativo e nada mais.

4. Acabamentos de madeira monocromáticos ou de um único padrão

Os acabamentos nos padrões carvalho, mogno ou cerejeira costumam estar entre os preferidos de alguns decoradores e arquitetos. Tacos, portas, móveis... a ideia comum é escolher um desses padrões e aplicá-lo em tudo, seja com madeira de verdade, seja com algum tipo de material que imite a madeira. Só que a adoção de um padrão único acaba cansando e, com o tempo, tornando o ambiente monótono.

Hoje em dia, designers de interiores aconselham combinar diferentes padrões de madeira para tornar o interior mais elegante e “vivo”. Pode ser um piso de carvalho e móveis em nogueira ou cedro, por exemplo. E lembre-se: procure sempre se assegurar de que os móveis e os acabamentos sejam de madeira certificada. Seja amigo do Meio Ambiente.

5. Bancadas laminadas

Bancadas laminadas costumam ser uma opção acessível e conveniente, especialmente se você não estiver pronto para despesas grandes. No entanto, sejamos realistas: a Era desses acabamentos já ficou para trás. Hoje em dia, materiais naturais, como pedras, estão muito mais em alta. Sim, sabemos que esse tipo de material não costuma ser barato. Mas há opções em conta no mercado, sobretudo, algumas pedras artificiais e até mesmo madeira, para áreas que não molham com frequência. Elas são relativamente baratas e dão um aspecto moderno ao espaço.

6. Linóleo

Pisos em linóleo ainda são bastante populares devido ao baixo custo e fácil instalação e manutenção. No entanto, esse tipo de material está se tornando uma coisa do passado, sobretudo em residências, tendo, ainda, bastante aceitação em imóveis comerciais. Para apartamentos, pisos laminados (até mesmo os mais baratos) funcionam muito melhor e dão um aspecto mais aconchegante e moderno. Isso sem contar que há um bom tempo os preços do metro quadrado desse tipo de piso se tornaram mais acessíveis.

7. Faixas excessivamente destacadas nas paredes de azulejos

Antigamente, costumava ser considerado chique aplicar uma faixa um pouco mais colorida nas paredes, sobretudo de azulejos e até mesmo nos rodapés e cantos do teto. Em alguns casos, esse recurso era adotado como uma forma de dividir a parede em dois tons, tendo a faixa justamente como uma espécie de “divisória” entre a parte mais escura e a mais clara. Só que essas faixas se tornaram coisa do passado. Hoje em dia, para dar vida às paredes, basta adotar a regra simples de pintar uma delas de uma cor diferente — ou aplicar um papel de parede liso.

8. Portas baixas

As portas padrão têm, geralmente, dois metros de altura. E isso funciona bem para a grande maioria das pessoas. Só que, hoje em dia, estão ganhando espaço as portas maiores, com até 2,30 metros. Pode parecer pouca coisa, mas adotar essa estratégia aumentará visualmente o pé-direito da sala. Se você acha bobagem, tenha em mente que essa é uma alteração para melhor e que, por mais que as tendências mudem, você ganhará, para a vida toda, uma mudança para melhor. Outra forma de aumentar visualmente o pé direito é optando por painéis especiais que podem ser fixados acima da porta.

9. Rejunte com muito espaçamento entre os azulejos

Uma forma de conferir quando um apartamento foi reformado é checar os azulejos dos banheiros. Se o espaço do rejunte entre eles for muito largo, é muito provável que o imóvel não receba uma boa reforma há um bom tempo. Sim, sabemos que hoje em dia as tendências de decoração e arquitetura mudam muito rapidamente. Justamente por isso, se você for fazer uma reforma, na hora de pensar nesse aspecto, tenha em mente que a melhor opção de revestimento são as pedras naturais (ou parecidas com naturais), que praticamente não saem de moda. Além disso, é importante considerar um rejunte bem fino entre as pedras.

10. Revestimento texturizado nas paredes

Ondas, padrões e flores nas paredes, feitos com gesso texturizado, são, em geral, um trabalho admirável de gesseiros e outros profissionais e costumam custar caro. Só que, por mais belos que fiquem, esses padrões de acabamento estão sempre sujeitos aos “humores” da moda. Se nos anos 2000 as paredes texturizadas pareciam um luxo, hoje parecem desatualizadas e antigas. Mais uma vez, quando o assunto é a decoração de paredes, é melhor buscar a simplicidade: alvenaria, painéis de madeira e paredes lisas pintadas de maneira uniforme. Nada muito além do básico.

11. Excesso de quadros pequenos

Decorar as paredes com fotos de “fases” da sua vida ou da família ou ainda com quadros pequenos se tornou coisa do passado. A tendência, hoje, é a de adotar gravuras grandes. O melhor, portanto, é decorar o espaço com uma imagem maior do que com vários quadrinhos que ninguém é capaz de “ler”.

Outra tendência é evitar reproduções “fake” de artistas consagrados — um quadro de Dalí ou de Picasso, por exemplo. Melhor, nesse caso, optar por uma obra original de um artista menos conhecido. Pode ser, inclusive, um amigo ou mesmo o desenho de uma criança com uma bela moldura. O importante é que o trabalho reflita a personalidade de quem mora na casa e, claro, que tenha bom gosto.

12. Alguns tipos de plantas

Pode parecer estranho, mas é verdade. Mesmo as plantas podem ser “vítimas” das tendências do design e da arquitetura. Se ainda está em dúvida em relação a isso, pense, por exemplo, em uma samambaia. É quase imediata a associação com uma “casa de vó” ou uma escola antiga. Portanto, esqueça, por exemplo, as heras como plantas de interior. Melhor optar por plantá-las do lado de fora, em um muro, por exemplo. Plantas com folhas grandes e arredondadas (costela-de-adão, por exemplo) são muito mais adequadas para um apartamento moderno e descolado.

13. Tule bordado ou de renda

É quase intuitivo pensar nos tules como um padrão de decoração fora de moda. Sim, eles ainda podiam ser vistos em algumas janelas há cerca de cinco, dez anos. Hoje em dia, porém, foram substituídos por padrões mais lisos. Além disso, os designers preferem materiais naturais, como o linho, para cortinas, por exemplo. Outro padrão em alta é o bambu. Tules monocromáticos, no entanto, ainda têm seu espaço. Eles vão bem na maioria dos interiores.

14. Paredes totalmente revestidas em madeira

A menos que você viva em uma floresta, esqueça as casas totalmente revestidas com madeira. Além de soar excessivamente rústico, esse estilo se torna monótono e “sombrio”, na medida em que todos os detalhes têm o mesmo acabamento. Se você gosta de madeira, prefira usá-la em alguns pontos específicos da casa e em detalhes. Ela pode, aí sim, dar ao seu lar, um aspecto aconchegante e moderno.

15. Decoração com conchas

Quase o mesmo caso do exemplo anterior. A menos que você viva em uma pousada “pé na areia”, esqueça esse estilo. Houve um tempo em que muita gente optava por decorações com conchas, estrelas do mar e outros elementos “litorâneos” como uma forma de lembrar os bons momentos das férias. Prateleiras, mesas de centro, paredes e até tigelas de vidro, tudo era adornado esses elementos. Dica de decoradores e designers: deixe todo esse “esplendor” para seu verdadeiro habitat, a praia.

16. Prateleiras de canto para banheiros feitas de plástico

Talvez já não seja uma novidade para muitos, mas ainda que sejam baratas e por vezes até funcionais, as prateleiras de canto em plástico desvalorizam consideravelmente a sofisticação do banheiro, sobretudo se ele for revestido com ladrilhos cerâmicos. Ademais, elas dão, visualmente, a impressão de deixar o ambiente menor. Uma opção para substituí-las é deixar os produtos na beirada do box.

17. Interruptores brancos e amarelados

Geralmente eles passam despercebidos, mas os interruptores têm um papel significativo na decoração da casa. Foi-se o tempo das peças brancas e amareladas, que podem deixar o ambiente tradicional mas nada inovador ou moderno. Em contrapartida, está disponível no mercado interruptores coloridos e dos mais diferentes estilos para dialogar com o restante da sua decoração e trazer inovação e autenticidade para o ambiente em questão.

18. Panelas e frigideiras antigas com aparência “queimada”

Quem nunca “queimou” o fundo da panela que atire a primeira pedra! No entanto, com a constância desse ato e sem limparmos as marcas pretas com certa frequência, é possível que as panelas fiquem com aparência “queimada” e assim, pareçam velhas também.

Desse modo, quando outra estiver disponível para uso, o ideal é não acumular esses objetos que estão perdendo revestimento, pois assim é possível manter a cozinha com a aparência mais “organizada”. Outra dica é não agrupar potes, toalhas e jogos americanos que você não precisa, pela mesma razão.

Você já identificou em sua casa ou apartamento alguma dessas tendências ultrapassadas? Qual? Conte para nós!

Observação: Este artigo foi atualizado em Julho de 2021 para corrigir o material de origem e/ou imprecisões factuais.
Compartilhar este artigo