Incrível
Incrível

12 Brinquedos que parecem educativos, mas na realidade não são muito bons para as crianças

Como pais, sabemos que brincar é uma atividade essencial para o desenvolvimento e para a saúde de uma criança. Por isso, na hora de comprar brinquedos para nossos pequenos, procuramos que eles não sejam apenas divertidos, mas que também ofereçam benefícios para o desenvolvimento físico, social, mental e emocional durante essa etapa tão importante da vida.

Pensando nisso, o Incrível.club listou 12 brinquedos que não são as melhores opções para o bem-estar de uma criança.

1. Brinquedos com telas

Hoje em dia muitos pais recorrem à tecnologia para entreter seus filhos, mas isso nem sempre é a melhor ideia. Os profissionais recomendam que o tempo total em frente a esses aparelhos seja limitado a uma ou duas horas por dia, e sempre para crianças maiores de 2 anos. Esses aparelhos podem fazer muito mal para a vista e para as relações sociais em idades pequenas. Tente trocar as telas por livros ou desenhos. Dessa forma, você ajuda a desenvolver as habilidades de linguagem do seu pequeno e motiva a sua criatividade.

2. Brinquedos grandes e com motor

Embora os brinquedos com motor, como carrinhos e motos, possam ser muito divertidos, na realidade eles não oferecem grandes benefícios para a criança, nem no que se refere aos movimentos e nem à coordenação da mão e do olho. As crianças precisam de pelos menos 60 minutos de atividade física por dia, por isso é importante optar pelas atividades que permitam mais movimentos para ativar o corpo.

3. Brinquedos que saem de um ovo (surpresa)

Embora esse tipo de brinquedo seja muito popular, ele costuma ter vida curta e quase nunca oferece grandes aprendizados. Além disso, não oferece experiências táteis ou estímulo sensorial, aspectos muito importantes para o desenvolvimento da criança em idade pequena. Ou seja, além de não oferecer benefícios para a mente das crianças, em geral acaba sendo esquecido em muito pouco tempo.

4. Carrinho com controle remoto

Os carrinhos com controle remoto não costumam ser uma boa opção para crianças pequenas porque são brinquedos que não incentivam o movimento físico e o desenvolvimento da imaginação durante a brincadeira. Há muitas outras opções de jogos que convidam a criança a resolver problemas criativamente e podem ser usados no lugar.

5. Brinquedos com Internet

Com a tecnologia de hoje, é comum que cada vez mais produtos tenham ligação com a internet. No entanto, ainda há muito por melhorar nesse sentido, já que muitos brinquedos continuam apresentando falhas em relação à segurança da informação dos usuários. Por isso, pode ser perigoso a criança usar brinquedos conectados à rede. Por via das dúvidas, é melhor evitá-los.

6. Armas de brinquedo

Em geral, armas de brinquedo se parecem a armas reais. Ou seja, são feitas para machucar os outros. Embora não sejam de verdade e não sejam extremamente perigosas, elas podem incentivar comportamentos agressivos por parte das crianças, tanto em relação a outras crianças como em relação aos adultos. O ideal é que os brinquedos combinem com os valores que ensinamos aos nossos filhos, ou seja, brinquedos que não tenham nenhuma relação com a violência.

7. Brinquedos com materiais tóxicos

Uma massinha colorida e brilhante geralmente gera sensações interessantes quando fica entre os dedos das mãos. No entanto, esse tipo de brinquedo tem mais contras do que prós. Além de sujar e de acumular germes, algumas massinhas são feitas com materiais que podem prejudicar a saúde das pessoas, causando irritação nos olhos, na pele e na garganta.

8. Brinquedos que vão na tomada

Muito cuidado na hora de adquirir brinquedos eletrônicos. Embora existam muitas formas de arrumar e deixar as tomadas e os fios elétricos mais seguros para as crianças, é melhor evitar brinquedos conectados à rede elétrica, para evitar maiores problemas. Algumas crianças muito pequenas gostam de morder cabos. Além disso, elas podem ficar curiosas por saber até onde o cabo vai.

9. Brinquedos barulhentos

Se o barulho de um brinquedo te incomoda é provável que incomode ainda mais o seu filho. Alguns chegam a ser perigosos para a audição da criança. Se o som do brinquedo for muito alto, muito agudo ou muito repetitivo, não compre. Mesmo que o brinquedo pareça divertido, ele pode ser muito prejudicial para os ouvidos. Escute sempre os brinquedos antes de comprá-los e lembre-se: o som deve ser agradável.

10. Brinquedos com partes pequenas

Ao escolher brinquedos para crianças é necessário verificar se as peças não são pequenas demais. Elas devem ser suficientemente grandes para não caberem na boca. É também importante revisar constantemente todos os brinquedos, para garantir que nenhuma peça esteja solta e que os materiais estejam em bom estado e, portanto, seguros.

11. Brinquedos que não combinam com a idade

Enquanto as crianças crescem, as brincadeiras vão mudando. Dependendo da etapa da infância em que a criança estiver, ela pode precisar de um tipo de estímulo. Por exemplo, os bebês ainda estão desenvolvendo a visão e, portanto, precisam de brinquedos com formas, cores e texturas. Dos 3 aos 5 anos, eles precisam fortalecer as habilidades motoras. Dos 6 aos 8 anos, os brinquedos deveriam imitar o entorno, já que é nessa fase que a criança começa a mostrar seus próprios interesses. Observe a necessidade do seu filho, confira sempre a embalagem do brinquedo, peça ajuda ao pediatra e fique de olho no processo de crescimento do seu filho.

12. Brinquedos que causam muita bagunça

Brinquedos com areia ou com muitos outros materiais que demandem supervisão acabam dando muito trabalho. Existem alguns brinquedos que demandam mais para guardar do que para brincar. Embora seja interessante motivar a criança a ajudar a limpar e a arrumar, é melhor evitar os brinquedos que causam muita desordem.

Que outros aspectos você acha importante na hora de escolher um brinquedo infantil? Se tiver outra recomendação, conte nos comentários.

Incrível/Dicas/12 Brinquedos que parecem educativos, mas na realidade não são muito bons para as crianças
Compartilhar este artigo