Incrível
Incrível

10+ Peculiaridades da vida em Bangladesh que podem surpreender aqueles que não as conhecem

Bangladesh é um pequeno país asiático com uma densidade populacional muito alta — 1.265 pessoas por quilômetro quadrado. A título de comparação, a densidade no Brasil é de 25 pessoas por quilômetro quadrado. O fluxo de turistas no país não é muito alto, por isso não há muita informação de como é a vida local.

A equipe do Incrível.club ficou interessada em saber mais detalhes e curiosidades do cotidiano dos bangladeshianos. Se quiser saber mais, acompanhe!

1. Por muito tempo, as mulheres locais não usavam roupas íntimas

Há algumas décadas, grande parte das mulheres não usava nada por baixo das roupas. Hoje a situação é diferente: muitas bangladeshianas adotaram o estilo de vida ocidental e passaram a usar roupas íntimas regularmente, mas, na maioria das vezes, as tiram quando estão em casa. Algumas mulheres locais disseram que muitos pais não costumam comprar tais peças de vestuário para as filhas, pois o assunto é visto como um tabu.

2. Como resultado, também não usavam absorventes comuns

De acordo com o depoimento de algumas mulheres, por conta da ausência de roupas íntimas, muitas meninas usavam absorventes especiais com alças de amarrar durante a menstruação. Embora possa parecer impróprio para muitos de nós, essa ainda é uma realidade em certas regiões da cultura local.

3. Até os homens se vestem de forma mais conservadora (e dificilmente você verá alguém somente de sunga de banho)

Bangladesh é um país bastante conservador, em que a maioria da população é muçulmana. Além disso, não há alto fluxo de turistas, por isso não é comum para os habitantes locais ver pessoas com roupas curtas pelas ruas. Também não é uma prática aceitável usar roupas de banho nas praias: os locais costumam mergulhar na água de roupa mesmo.

Entretanto, há lugares onde se pode usar roupas de banho sem problemas. Um exemplo: piscinas dentro de hotéis. Outra opção: visitar praias isoladas, onde não haja banhistas. Assim, você poderá tomar um banho de sol sem se preocupar.

Os homens também não costumam usar shorts. Não porque não possam mostrar as pernas nuas, mas sim devido à mentalidade: shorts são considerados por muitos roupas infantis; adultos, portanto, devem usar calças.

4. Os locais são muito receptivos com estrangeiros

Como o turismo não é muito desenvolvido, os locais não têm muitas chances de encontrar cidadãos europeus ou americanos, por isso são tão calorosos e amigáveis. Eles têm curiosidade de conhecer outras culturas e interesse em saber o que os turistas acham de Bangladesh. Em caso de necessidade, não será difícil conseguir ajuda na rua: as pessoas podem não só dar informações sobre direções, mas acabar levando você ao ponto desejado. Infelizmente nem todos falam inglês, mas sabemos que a linguagem gestual é praticamente universal, não é?

5. Você poderá receber muitos pedidos de selfies

Como estrangeiros não são hóspedes frequentes, geralmente ganham muita atenção. Não é incomum ver locais pedindo para tirar fotos com turistas. Grande parte da população fica bastante interessada e curiosa em tirar selfies com pessoas de etnias diferentes. Mas atenção: bangladeshianos mais velhos ou de idade geralmente não sorriem para fotos, e isso não significa que estão chateados. O que acontece é que, culturalmente, sorrisos podem ser vistos como um sinal de maior jovialidade ou até de infantilidade. É preciso, também, se acostumar com os olhares constantes. Quase todos irão olhar para você e, talvez, encarar um pouco. Mas, geralmente, isso não passa de curiosidade.

6. Se está acostumado com conforto, esse país pode não ser para você

Por um lado, devido à carência de turistas, não é comum encontrar vendedores de rua ou lojas de souvenirs, aumentando os preços de seus produtos ou serviços só por você ser estrangeiro, com o objetivo de “passar a perna”.

Por outro lado, isso também significa menos conforto. Por exemplo, o transporte público pode ser um pouco caótico e, por isso, pode não ser muito cômodo percorrer grandes distâncias, ainda mais sem falar o idioma local.

Outro empecilho: as estradas, em sua maioria, não são pavimentadas e as condições dos transportes são, na melhor das hipóteses, toleráveis. Para viajar, por exemplo, de Daca (capital) a Dinajpur (uma das principais cidades do país), levaria cerca de 9h de ônibus e 7h30 de carro. Lembrando que a distância entre os dois lugares é de apenas 330 km.

Se não estiver preparado para ir em pé no corredor do trem, se amontoar em filas enormes, entrar em um ônibus lotado ou lidar com a barreira linguística, pense duas vezes antes de visitar Bangladesh.

7. O trânsito, especialmente na capital, é geralmente bastante lento

Nas ruas de Daca, o turista desavisado poderá ter um choque cultural. Os carros e outros meios de transporte são muito numerosos e se movimentam de forma um pouco desordenada. Por isso, é importante prestar bastante atenção ao seu redor antes de cruzar alguma rua para evitar acidentes. Engarrafamentos, portanto, são frequentes. Não é raro ficar parado no mesmo lugar por algumas horas. Pode ser desagradável, mas é uma realidade. Por conta disso, por exemplo, muitas crianças têm de sair de casa antes das 5h da manhã para chegar à escola às 8h30 para o início das aulas.

8. Desastres naturais fazem parte do cotidiano

Bangladesh não é um dos países mais seguros do mundo em termos de desastres naturais. Ocorrem fenômenos da natureza com certa frequência, como inundações, secas, maremotos, tempestades, tornados, chuva de granizo e deslizamentos de terra, entre outros. Infelizmente, a abundância de tais fatalidades tem um forte impacto tanto na economia nacional como no padrão de vida da população.

9. Em Bangladesh não se pode beber água da torneira (e encontrar água filtrada não é tão simples)

A água da torneira não é própria (de forma alguma) para o consumo. E os bebedouros, habituais para muitos turistas em alguns países da Europa, não são muito difundidos no país. Por esse motivo, a melhor saída é comprar garrafas de água mineral no supermercado, especialmente quando se planeja visitar regiões mais afastadas da capital. Os turistas mais experientes acabam levando equipamentos especiais de purificação de água. Em casos extremos, você também pode optar por ferver a água antes de consumi-la.

10. Mas viver em Bangladesh é muito barato

Pelo lado positivo, Bangladesh é um dos países asiáticos com menor custo de vida. No entanto, há também o lado negativo: você precisará estar com dinheiro em espécie na maior parte do tempo, pois em diversos estabelecimentos não é possível pagar com cartão de crédito.

No que diz respeito aos preços da capital, aqui vão alguns exemplos:

  • Táxi (1 km) — R$ 2,60 ($ 0,47);

  • Contas de luz e água de um apartamento de 85 m² — R$ 280 ($ 48,81);

  • Aluguel de um apartamento de um quarto no centro da cidade — R$ 800 ($ 141).

Produtos de mercado também são bastante acessíveis. Por exemplo, uma caixa com uma dúzia de ovos sairia na faixa de R$ 7,00 ($ 1,2); 1 l de leite: R$ 4,50 ($ 0,80); 1 kg de batatas: R$ 3,30 ($ 0,50) e assim por diante.

11. Em lojas tradicionais locais, há uma enorme quantidade de decorações autênticas, souvenirs e roupas

O comércio de Bangladesh é rico em produtos artesanais. Vendem-se trabalhos em madeira, pinturas, tapetes especiais (chamados de shital pati e naturalmente frios ao toque), decorações com pedras preciosas e conchas e muito mais. Uma das produções locais mais famosas é a pérola natural. Para os padrões internacionais, os preços de Bangladesh são bastante baixos.

Você gosta de aventuras? Teria coragem de visitar esse país? Ou já esteve lá no na vizinha Índia? Comente!

Imagem de capa amazon
Incrível/Dicas/10+ Peculiaridades da vida em Bangladesh que podem surpreender aqueles que não as conhecem
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos