10+ Objetos cuja compra é o mesmo que jogar dinheiro fora

O conflito entre pais e filhos sempre existiu, permanece ainda hoje e talvez persista para sempre. Os representantes da geração mais velha mal entendem os jovens modernos e muitas vezes os consideram imprudentes: eles não param para pensar no próprio futuro, não compram carros nem apartamentos. Hoje em dia os jovens escolhem um estilo de vida diferente e, se olharmos bem, dá para encontrar nele uma espécie de sabedoria.

Nós, do Incrível.club, decidimos investigar o que os jovens de hoje não compram mais e entender o porquê. Nossa pesquisa resultou em uma lista que com segurança pode ser considerada um teste de idade.

Câmera

O mercado mundial de câmeras está passando por uma fase bastante complicada. Ainda existe demanda por equipamentos profissionais e semiprofissionais, mas não por câmeras comuns. O motivo é a questão da qualidade das câmeras embutidas nos smartphones modernos: ela atingiu um nível tão alto que as câmeras pessoais populares do passado já não podem mais concorrer com elas.

Televisão

Os jovens progressivamente desistem da televisão. Eles não querem desperdiçar seu tempo assistindo a programas de TV. O formato e o método de obtenção da informação mudou drasticamente: ela é exigida aqui e agora. A televisão, ao contrário da Internet, não é capaz de lidar com esse desafio.

Além disso, os jovens preferem não desperdiçar dinheiro com a televisão. Uma TV funcionando pode aumentar as contas significativamente. Outro detalhe, o aparelho em si é bastante caro. Cada vez mais, um notebook está assumindo a função de transmissão e exibição das informações visuais.

Navegador GPS

Os smartphones sucessivamente substituíram não apenas os mapas de papel como também os navegadores GPS. Por que ter vários dispositivos quando se pode ter tudo em um?

Carteira

Cada vez mais optamos por pagamentos em cartão ou por aproximação com smartphone. Tudo indica que essa tendência permanecerá: os especialistas presumem uma nova onda de redução das notas em circulação. É por isso que antes de comprar uma nova carteira é melhor pensar bem se realmente precisamos dela.

Aquário

A permanência de um aquário em casa exige muitos esforços, tempo e dinheiro. Também para apreciar um pitoresco panorama aquático é necessário aprender bastante coisa sobre os tipos de solo, equipamentos e procedimentos de manutenção. Outra coisa, é crucial limpá-lo com frequência, observar o regime térmico da água e alimentar os peixes com uma ração de boa qualidade. O ritmo de vida moderna torna a missão de manter um aquário quase impossível.

Ferro de passar roupa

Uma pesquisa realizada no Reino Unido revelou que aproximadamente metade dos jovens entre 25 e 39 anos não sabem usar o ferro de passar roupa. Os marketólogos enfrentam um grande desafio para descobrir como vender para os jovens os equipamentos sem os quais os pais deles nem imaginam a vida. Como uma alternativa aos ferros de passar, estão sendo oferecidos geradores de vapor, que são fáceis de usar e ocupam pouco espaço.

Carro pessoal

Há décadas o carro tornou-se uma coisa importante, necessária e de status. Mas a nova geração tem suas próprias prioridades, sendo menos obstinados quando o assunto é gastar dinheiro com um veículo pessoal. Os jovens não têm tanto prazer em dirigir, mas apenas querem ir rapidamente do ponto A ao ponto B. Por isso ficaram mais populares o transporte público, os aplicativos de táxi, os serviços de carsharing, scooters e bicicletas.

Aparelho de treinamento

A época em que quase todos nós sonhávamos em ter uma bicicleta ergométrica ou uma esteira na própria casa parece ter ficado para trás. Muitas vezes, os equipamentos de treinamento doméstico são usados para qualquer coisa, menos para exercícios. Além disso, o custo alto e as dimensões do aparelho são mais duas desvantagens. A matrícula em uma academia é muito mais acessível e será um investimento muito mais justo para adquirir o corpo dos sonhos.

Roupas “cerimoniais”

Os jovens compram menos roupas “cerimoniais” que podem ser usadas apenas uma ou poucas vezes. Ser pretensioso está saindo de moda: quanto mais simples, melhor. Um dos princípios do consumo consciente é um guarda-roupa básico, cujas coisas combinam entre si e possibilitam várias combinações.

Revistas impressas

A indústria de publicação também está passando por uma fase complicada: a venda de revistas diminuem em média 9% anualmente. Nos tempos atuais, qualquer informação está disponível e mais acessível online. As revistas também têm um problema adicional: o que fazer com elas depois que são lidas? As editoras estão dando o seu melhor: atraem a atenção com capas brilhantes, publicam materiais exclusivos sobre as celebridades. Mas a estatística diz que a cada ano fica mais difícil produzir o interesse pelas revistas impressas.

Campainha

As campainhas também ficaram no passado. As visitas não são mais tão inesperadas: os hóspedes avisam sobre a visita através de uma ligação ou mensagem. Os comerciantes deixaram de vir à nossa casa e agora estão usando outros canais de venda. Tudo isso faz com que as campainhas sejam desnecessárias e não as compremos.

Imóveis comprados

O próprio conceito de possuir um apartamento ou uma casa está passo a passo perdendo sua popularidade. Os preços dos imóveis estão muito altos e continuam aumentando. Outro motivo é que o estilo de vida mudou: os representantes da nova geração têm mais mobilidade do que seus pais. Eles se mudam com frequência, viajam bastante, preferindo vários lugares a se prender a um só.

Livros impressos

Antigamente os livros impressos eram uma espécie de bem valioso: para obtê-los as pessoas faziam filas e alguns livros só podiam ser encontrados na biblioteca. Agora o conteúdo de todos os livros de uma biblioteca inteira pode caber no cartão de memória do seu smartphone. Em vez de perder tempo nas filas, é suficiente acessar um site e obter uma cópia eletrônica. Todos os livros eletrônicos do mundo estão sempre à mão, não ocupam espaço físico e não acumulam poeira. Tudo isso os torna muito mais práticos do que os livros impressos.

Talvez você também já tenha parado de comprar algumas coisas que antes eram muito comuns? Adicione-as na nossa lista de comentários!

Compartilhar este artigo