Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Hábitos de mamães de primeira viagem que podem acabar incomodando os outros

Quando as mulheres se tornam mães, o mundo delas muda drasticamente e tudo vira de cabeça para baixo. Portanto, não é de se surpreender que algumas delas cometam alguns erros enquanto estão exercendo essa nova função que mudou toda a realidade ao seu redor, e que, às vezes, sem perceber, seu comportamento inocente pode irritar as pessoas próximas ou simplesmente deixar alguns perplexos.

Nós, do Incrível.club, acompanhamos alguns fóruns e posts em redes sociais sobre algumas atitudes de mães que acabam incomodando as pessoas ao seu redor. Antes de tudo, acreditamos que devemos dar suporte e tentar ser compreensivos com as mamães que estão começando a jornada agora, e que ainda têm muito a aprender.

1. Cheirar a fralda usada

As mamães sempre estão atentas a saúde dos seus bebês e qualquer coisa fora do normal, já é considerada como uma situação alarmante. Portanto, algumas examinam cuidadosamente o conteúdo da frauda, cheirando e olhando de todos os ângulos possíveis, para não perderem qualquer “manifestação” anormal da saúde da criança. No entando, às vezes, esse comportamento em um local público pode incomodar pessoas sensíveis ao odor.

2. Trocar a fralda em locais inapropriados

Esse é recorde em reclamações de desconhecidos. Claro que nenhuma mãe cautelosa permitirá que seu filho fique por muito tempo com uma fralda suja e desagradável — ela precisa ser trocada. É preciso um pouco de sutileza nessas situações. Se não houver um local especial para trocar o bebê, com certeza, você conseguirá encontrar um cantinho escondido e longe de outras pessoas. Trocar as fraldas na frente de todo mundo em um café onde as pessoas podem estar comendo ou na mesinha dobrável do avião, convenhamos, é uma decisão francamente muito ruim.

3. Chupar a chupeta que caiu no chão antes de dar ao bebê

Muitas vezes, na rua, nos transportes públicos ou no parquinho acontece essa situação: o bebê cospe a chupeta e a jovem mãe se levanta, pega, lambe, e dá de volta para a criança. Por outro lado, é possível entender essas mães: o bebê derruba a chupeta milhões de vezes, não dá pra dar uma nova toda vez que isso acontece. Além disso, essas mães solidárias acreditam na tese de alguns cientistas que dizem que fazer isso quando a chupeta cai, reduz os riscos de alergias e das crianças adoecerem.

Por outro lado, mesmo esse ritual parecendo inofensivo, temos que pensar bem. Em primeiro lugar, não é seguro para a própria mãe: ela envia milhões de bactérias para a boca. Em segundo, é improvável que uma pessoa possa ter 100% de certeza que está completamente saudável e que não transmitirá qualquer tipo de infecção para a criança.

A melhor solução é levar uma garrafa com água fervida para lavar a chupeta sempre que cair. E enquanto você estiver ocupada fazendo isso, tente distrair a criança com algum brinquedo.

4. Limpar o bebê com a própria saliva

Se a criança se sujar ao brincar ou comer, algumas mães resolvem o problema de uma maneira super fácil: lambem o dedo e, cuidadosamente, começam a “limpar” o filho. Essa “técnica” parece repulsiva, além disso, não é higiênica, mas faz parte de um conhecimento repassado de mãe para filha: quase todo mundo tem uma lembrança de uma situação em que suas mães fizeram isso, e replicam nos filhos. Foi degradável para nós, então por que não fazer com nosso bebê também? É quase que uma vingança, mas para isso existem os lenços umedecidos para bebê.

5. Falar em primeira pessoa do plural quando o assunto se refere exclusivamente sobre a criança

Mãe e filho estão ligados por laços indestrutíveis, no entanto, fisicamente, são duas pessoas diferentes. Portanto, muitas pessoas são surpreendidas por esse “nós”: é improvável que elas queiram saber se seu bebê comeu hoje e quantas vezes. De fato, na hora, muitas mamães confundem sobre quem as pessoas estão falando e acabam falando dos filhos.

Além disso, quando um amigo de longa data pergunta: “como você está?” — provavelmente, antes de tudo, ele que saber como você se sente e o que há de novo com você. E ele pode até estar interessado em como está seu filho também. Então, seja paciente, não jogue imediatamente um balde de informações exclusivamente sobre o bebê, deixe o assunto fluir e esqueça um pouco do “nós”.

6. Impor aos amigos o dever se serem pais

Amigos e conhecidos educados frequentemente vão visitar a mamãe de primeira viagem. Mas nem todos os pais sabem como receber os amigos nessa situação. Algumas pessoas têm medo de pegar a criança no colo — porque podem causar algum inconveniente ou deixa-la cair. Nesses casos, é melhor não pedir aos visitantes que segurem o bebê.

Se você precisar de ajuda com a criança, chame alguém experiente. É melhor sempre primeiro garantir que a pessoa está confortável em ajudar e não tem medo de pegar o bebê nos braços, caso contrário — não insista.

7. Pedir que todos os vizinhos fiquem quietos durante o dia

Manter o silêncio à noite dentro dos horários estipulados não é apenas lei, mas também uma regra de boa convivência. No entanto, durante o dia, geralmente, a vizinhança leva um estilo de vida ativo como: alguém precisa fazer reparos, aspirar a casa, pregar uma prateleira, ou simplesmente alguém está apenas relaxando escutando suas músicas favoritas. É improvável, que nesses momentos, os vizinhos fiquem felizes com alguém tocando a campainha, pedindo que interrompam suas atividades porque o filho dele está dormindo.

Obviamente, seja cordial e peça: apenas abaixe um pouco o volume da música por uma hora ou adie o trabalho com a broca da furadeira por um tempinho. Provavelmente, uma pessoa educada atenderá o seu pedido. Mas e se o trabalho precisa ser feito com urgência ou existem várias mamães no mesmo prédio, cujos filhos dormem em horários diferentes durante o dia? Bem, parece não ter uma resposta fácil para essa pergunta, apenas tente lidar com educação e compreensão.

8. Cobrir o rosto da criança em fotos nas redes sociais

Se você é uma pessoa supersticiosa, ou por motivos de segurança (que é bastante justificável!) — e não quer expor seu filho na Internet, você simplesmente não deve postar uma foto dele. Se mesmo assim, você quer dizer ao mundo que é uma mãe feliz, é melhor tirar uma foto do berço, dos sapatinhos ou dos brinquedos. Cobrir o rosto da criança com emojis ou desfocar parece estranho e até mesmo assustador.

9. Lotar a linha do tempo com fotos dos pés e das mãos do bebê

Fotos de crianças fofas são maravilhosas, mas quando é a décima foto do seu filho que aparece na linha do tempo de um conhecido no mesmo dia, algumas pessoas podem ficar irritadas e se perguntarem: “Será que ela não tem o que fazer?”

Todos bebês são lindos, mas sempre tem aquela mãe coruja que acha seu filho “o mais lindo do mundo” e posta milhões de fotos. Às vezes, é melhor ser mais discreta quanto a sua vida pessoal e não expor tanto o seu filho.

10. Não seja a pessoa que escreve nas redes sociais: “Mãe do Arthur”

A maternidade é um dom concedido pela natureza e uma missão de vida, mas não é a única coisa na vida de uma mulher. Portanto, quando alguém se considera apenas “mãe do Arthur”, surge um questionamento: quem era essa mulher antes do nascimento do bebê? O que você ama fazer, quais são seus gostos e o que você fez na vida antes da maternidade?

Essa lista foi feita baseada em opiniões de usuários da Internet, ela pode ser estendida (ou não — depende da visão de mundo de cada pessoa). Com quais pontos você concorda? Quais outras situações você adicionaria a esse post? Conte para a gente na seção de comentários.

Ilustradora Mariya Zavolokina exclusivo para Incrível.club