Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

As crianças são muito curiosas e com suas perguntas podem deixar os adultos desconcertados

As perguntas de uma criança podem confundir qualquer adulto. Às vezes, questionam sobre assuntos que você nem imagina se deve dar um Google ou fingir um desmaio.

No Incrível.club coletamos para você uma lista de perguntas infantis e quais seriam a melhor maneira de respondê-las.

1. Os adultos são melhores do que as crianças?

Muitas vezes, as crianças são comparadas aos adultos, então qualquer criança pode começar a fazer essa pergunta. Devemos explicar que os mais velhos não são melhores ou piores, são apenas diferentes. Mas todos os adultos já foram crianças e ainda de alguma forma continuam a ter alma de criança.

É preciso explicar a uma criança que há adultos de todos os tipos: bons e maus, sorridentes e mal humorados. Uma criança nunca deve confiar em um adulto apenas porque ele é mais velho.

2. Por que os ponteiros do relógio vão da esquerda para a direita, e não ao contrário?

Os adultos tomam muitas coisas como fatos. Mas um menino pode ficar seriamente interessado em saber por que algo funciona assim e não de outra forma. Mostre à criança um modelo de relógio de sol e lhe diga que, antigamente, o tempo era medido graças a isso e que a sombra formada pelo movimento do sol se movia da esquerda para a direita.

E, ainda melhor, se o dia estiver limpo, mostre à criança um relógio de sol em ação. Para fazer isso, basta um simples bastão e um círculo desenhado no chão ou um prato de plástico e um lápis.

3. Por que nem todas as pessoas falam o mesmo idioma?

Para explicar facilmente a existência de diferentes línguas para uma criança, não é necessário falar sobre a Torre de Babel, mas a teoria de uma única protolíngua, que hoje é defendida por muitos cientistas, pode acabar ajudando você.

Diga-lhe que, em tempos distantes, haviam poucas pessoas e elas moravam juntas e falavam a mesma língua e que pensavam em como nomear as coisas que nunca tinham visto antes. Mas logo começou a surgir cada vez mais gente. Formaram-se grupos, que se dispersaram por diferentes lugares. Esses grupos, ao conhecer coisas novas, as denominavam usando diferentes palavras.

4. Os animais também falam línguas diferentes?

Explique à criança que os animais não têm um idioma como entendemos. Um gato africano facilmente entenderá o mesmo gato da América Latina. Mas a "fala" dos papagaios, araras e maritacas está muito mais próxima da dos humanos. Os cientistas mostraram que muitos pássaros da mesma espécie falam com sotaques diferentes.

5. O que é o tempo?

Não entre na teoria do tempo, basta uma explicação simples. Diga à criança que o tempo é o que as pessoas inventaram para medir sua própria vida. Traga-lhe exemplos da vida cotidiana de como, sem esse conceito, ninguém saberia quantos anos tem, quanto tempo é preciso para cozinhar algumas batatas ou como agendar uma reunião. A explicação pode se tornar um jogo divertido: "e se não houvesse tempo?".

6. Por que eu sou eu?

Quando uma criança começa a perceber que é uma pessoa, necessariamente se perguntará por que é quem é, e não outra pessoa. Você pode falar sobre a sua aparência, o seu caráter, os seus hábitos e os seus gostos.

Explique à criança que cada ser é único. Que a aparência e alguns traços de caráter são herdados da família. Que a educação é dada na casa, no jardim de infância e na escola. Que ela pode adquirir os hábitos dos amigos. Tudo o que ela lê e vê também lhe deixará vestígios. E assim se forma uma personalidade. Embora existam pessoas semelhantes, nunca serão iguais.

7. Por que me tiveram?

Esta pergunta pode surgir por curiosidade ou ressentimento. No primeiro caso, diga à criança que seus pais se amaram, então decidiram formar uma família e dar à luz um bebê para amar e cuidar. Se a criança tiver mais de 4 anos, pode falar mais abertamente sobre história e procriação.

Mas se a pergunta for feita no contexto de: "Para que me deram à luz, se não agora não querem comprar um brinquedo para mim?", então é sinal de que a criança tenta chamar a atenção e aprende a jogar com os sentimentos dos pais. Nesse caso, simplesmente não deixe que ela faça isso.

Importante: nunca, nem mesmo de brincadeira, diga à criança que "nasceu" por acidente. A criança sempre tem de sentir que veio ao mundo porque estavam esperando por ela, precisavam dela e que já era amada.

8. Por que os adultos mentem, se não é certo?

É difícil explicar a uma criança o que é uma mentira piedosa. Então, diga-lhe honestamente que os adultos também podem cometer erros e fazer coisas erradas. E, quando eles mentem, não agem bem. Se seu filho descobrir que você mentiu para ele, não se esqueça de pedir desculpas. Seu filho não deve ter a impressão de que você é infalível e é ele que é sempre o culpado.

9. Por que Pedro / Maria não gosta de mim?

Quando a criança pela primeira vez é confrontada com o fato de que um de seus colegas a rejeita e a chama de estúpida ou feia, simplesmente não entende por que o outro não gosta dela, já que cresceu em um ambiente familiar, onde todo mundo a amava e a elogiava.

Diga à criança que às vezes gostamos de algumas pessoas mais do que de outras e que é tão natural quanto ela preferir sorvete de chocolate, enquanto a sua mãe gosta do sorvete de baunilha. Você deve dizer a ela que a antipatia de outra pessoa não lhe faz mal. E pode dar um exemplo: se todos gostassem apenas de pessoas de loiros, de que maneira os morenos receberiam amor?

10. Como tomar a decisão correta?

Quando as crianças começam a perceber os conceitos "certo / errado", elas se preocupam com suas escolhas: como escolher corretamente, se não sabe antecipadamente o que acontecerá? Tente explicar ao filho que, ao escolher, deve ouvir seu coração e sua intuição. É fácil lembrar que a escolha certa é a que o faz feliz, com o único aviso de que não deve fazer outra pessoa infeliz.

11. Por que a Lua às vezes é visível durante o dia?

Todas as crianças sabem que a Lua brilha à noite e ficam muito surpresas ao vê-la pela primeira vez durante o dia. Este é um bom momento para lhes explicar o movimento dos planetas. Não é necessário entrar em detalhes, você pode simplificar a teoria, mas diga a verdade. E pode fazer isso na forma de uma brincadeira.

Coloque o pai no centro e o chame de Sol. A mãe, representando a Terra, deve caminhar ao redor do pai. A criança, como a Lua, ao redor da mãe. Quando o pai e a criança estiverem ao mesmo tempo na frente da mãe, pare o jogo e mostre à criança que agora o Sol e a Lua podem brilhar ao mesmo tempo e é por isso que ele vê o satélite durante o dia.

12. Do que é feito o arco-íris?

É improvável que consiga explicar à criança o que é a refração da luz, mas você pode responder que o arco-íris é feito de água e luz. Melhor ainda, mostre isso. O arco-íris ideal pode ser produzido com uma mangueira de irrigação em um dia ensolarado, mas o mesmo pode ser feito de outra maneira.

Escolha uma janela ensolarada, na frente dela coloque um copo de água sobre a mesa e uma folha de papel no chão. Molhe o papel usando um pulverizador em direção à janela com água quente. Em seguida, deslize o copo e a folha de papel até aparecer um arco-íris na folha.

13. O conteúdo do vaso sanitário do avião é jogado diretamente na terra lá de cima?

Muitos meninos que, pela primeira vez, entram no banheiro do avião, perguntam imediatamente se todo o conteúdo do vaso sanitário é jogado diretamente no chão. E muitos adultos também têm certeza de que o banheiro do avião funciona do mesmo modo que nos trens antigos.

Explique à criança que a aeronave tem tanques especiais para o lixo, que são limpos depois que o avião aterrissa.

14. O que aconteceria com um homem em Marte, se ele não estivesse com roupa espacial?

Hoje em dia, todos falam sobre Marte, então não se surpreenda se seu filho lhe perguntar o que aconteceria com um homem no planeta vermelho, se não usasse uma roupa espacial.

Uma cena de "O Vingador do Futuro" vem à mente imediatamente e não está tão longe da realidade. O sangue do homem em Marte acaba sendo realmente cozido, por causa de sua atmosfera extremamente rarefeita.