Incrível
Incrível

14 Relatos inusitados sobre pais que foram chamados na escola e tiveram uma verdadeira surpresa com o que ouviram dos professores

Quando os pais são chamados no colégio, certamente é um sinal de que algo está errado com a criança, seja seu desempenho escolar ou comportamento. Na maioria das vezes, acontece um diálogo construtivo com os professores nessas ocasiões, mas, de vez em quando,
os papais e as mamães dos alunos acabam ficando espantados com o que ouvem dos educadores.

Nós, do Incrível.club, não pudemos deixar passar as histórias inusitadas compartilhadas por internautas sobre o que já tiveram de ouvir de professores ao serem chamados no colégio de seus filhos. Acompanhe!

  • Me chamaram na escola porque a turma estava se preparando para ir em uma excursão e o meu filho tinha esquecido de me entregar o documento de permissão para eu assinar. Então, ele decidiu falsificar a minha assinatura. Isso aconteceu no 1º ano do Ensino Fundamental, logo sua caligrafia era péssima. E ainda ele assinou meu nome como “Mãe”. © mulletamore / Reddit
  • Fui chamada no colégio. Ao chegar lá, a professora de Biologia do meu filho já foi me dando o caderno de atividades laboratoriais dele. Em uma determinada aula, tinha as anotações do experimento que estava sendo feito, descrições dos acontecimentos e do trabalho desenvolvido e, no final, a conclusão: “Perdi 40 minutos da minha vida por uma besteira”. Lembrei de mim mesmo na idade dele e não o castiguei. © Bash.im
  • Meu filho sempre se interessou por programação. Aos 14 anos começou a receber um pouco de dinheiro, e aos 16 já fazia uma boa grana. Antes de começar o último ano do colégio, ele disse que queria se mudar e alugar um apartamento. Ele tinha dinheiro para isso, era um garoto independente, então permitimos. No meio do ano, fui chamada na escola e me pediram para trocar meu filho de colégio. Disseram que por causa dele os outros jovens agora também queriam morar sozinhos e que eu estava minando a autoridade dos outros pais. © Podslushano / VK
  • O meu filho estuda no 1º ano do Ensino Fundamental. Um dia, no meio do trabalho, recebi uma ligação — era uma professora me chamando para ir à escola. No fim do dia, fui à sala do meu pequeno. A mulher me encontrou e disse que o tinha levado para a coordenação. Ela contou que tinha parado meu filho no corredor porque estava correndo e teve o seguinte diálogo com ele:
    — De que turma você é, garoto?
    — Do 1º “В”.
    — Certo, vou avisar a sua professora para que ela chame seus pais na escola.
    — Não vai acontecer, porque a minha mãe já está há três dias no hospital e meu pai está numa viagem de trabalho.
    — E com quem você mora?
    — Com a minha irmã de 10 anos.
    — E o que vocês comem?
    — A minha irmã cozinha macarrão.
    Depois de saber disso, claro, a coordenadora foi falar com o diretor. Eles, então, decidiram levar o coitadinho para a cantina para que ele pudesse comer direito. No caminho, encontraram a professora dele. Ainda bem que ela já sabia que meu filho é um bom contador de histórias. 70% do que ele fala pode ser ignorado e os outros 30% devem ser verificados. Ela acalmou a todos: “A mãe dele está viva e bem, o pai também não foi a lugar nenhum”, disse. De todo jeito, me alertaram na escola que da próxima vez funcionários do Conselho Tutelar poderiam ir visitar a minha casa. Saí de lá com os cabelos em pé. E meu filho ainda disse, como se nada tivesse acontecido: “Mamãe, eu disse isso para que não chamassem você na escola”. © Ibrksy / Pikabu
  • Meu filho entrou em uma escola nova. Gostou de lá e estava tudo indo bem. De repente, recebi um SMS: estavam me chamando para um encontro com a professora. Não consegui telefonar para o meu filho e nem entender o que estava acontecendo. Saí correndo, cheguei toda descabelada. O meu pequeno é criativo, mas quietinho, o que poderia ter acontecido? Acontece que o diretor tinha visto meu filho chegando na escola vestindo uma calça jeans preta, e não a calça do uniforme, e esse seria o seu último aviso por ele ser novato. Da próxima vez, não permitiriam que ele assistisse aula. Valeu a pena correr por causa disso?
  • Chamaram a minha prima no colégio. Parecia sério, além da professora, estavam lá a enfermeira e a psicóloga da instituição. Elas mostraram um desenho a minha prima que tinha sua filha entre ela — representada bem pequenininha — e um pai gigante. Disseram: “Bem, estamos preocupados com o desequilíbrio emocional da sua família, o que poderia levar a sérios problemas”. Minha prima começou a rir, dizendo: “Tenho outra teoria. Eu meço 1,65 m, e o meu marido tem mais de 2 metros de altura...” © Frank Gelly / Quora
  • Uma vez, quando estava no 6º ano do Ensino Fundamental, chamaram a minha mãe no colégio para falar do meu comportamento, que, segundo lhe falaram, estava pior do que nunca. Mamãe foi, e eu tive até febre de tanto medo que fiquei. Ela conversou com minha professora de Biologia, que lhe contou que eu era mal-educado, incontrolável, falava palavrão nas aulas, não aprendia nada do assunto e tirava nota baixa. Minha mãe, em choque, disse: “Ele frequenta a escola de música, estudou teatro por seis anos, já lê livros de adultos”. A educadora não acreditou e respondeu: “O que é isso que você está me contando?” E foi então que mamãe percebeu que algo estava errado. Ela ligou para casa e falou para eu ir à escola. Quando eu cheguei, a professora falou: “Não, este não é o aluno de que estava falando”. Esse tempo todo ela estava reclamando sobre um garoto que se sentava na minha frente na sala, isso sem falar que ele era parecido comigo e nossos sobrenomes eram semelhantes. © valar93 / Pikabu
  • Chamaram o meu pai na escola e lhe mostraram indignados o caderno do meu irmão, onde tinha escrito: “Este caderno luta pelo direito de ter o nome de Alexei B. como seu dono”. © Bash.im
  • Uma vez, chamaram a minha mãe na escola porque eu tinha resolvido uma tarefa no quadro de uma maneira diferente. Segundo a professora, a minha resposta correta tinha sido mera coincidência. Mamãe nunca participava das reuniões de pais no colégio, e conseguiu dar um jeito de driblar o encontro com a professora. © Asiya Chatzidamianos / Facebook
  • O fonoaudiólogo nos chamou no colégio. Minha filha mais velha estava no 2º ano do Ensino Fundamental e era fascinada por astronomia e ficção espacial, muito além do normal para sua idade. Quando lhe pediram para dizer algumas palavras com a letra “r’, a pequena respondeu: “magnetar”, “Andrômeda” e “cosmódromo”. Fiquei meia hora escutando uma palestra sobre como minha filha estava aprendendo os conhecimentos errados. © igumin / Pikabu
  • Uma vez, chamaram a minha mãe na escola e disseram que eu roubava a comida dos meus colegas de classe. Eu era a menor criança da turma, magrinha, pequena, incapaz de roubar um pedaço de pão até de um pombo na rua. E por isso a minha mãe não conseguia acreditar naquilo. No fim, toda essa história foi porque um dia uma amiga dividiu comigo suas panquecas com geleia na cantina. Ela era uma garota bastante encorpada e queria perder peso. A professora disse a minha mãe que quem paga pela comida é quem deve comê-la. E caso não queira mais, deve jogar fora.
  • O meu tio deixava o seu filho assistir South Park — uma animação para público adulto — com ele. Um dia, no 1º ano do Fundamental, a professora escutou a criança sussurrando um palavrão em um momento de frustração. Quando ela foi falar com ele, acabou sendo xingada com mais palavrões. Chamaram meu tio na escola, e quando o diretor lhe contou o que tinha acontecido, ele não conseguiu segurar o riso enquanto se desculpava. Então, chamaram a minha avó no colégio. O diretor era, na verdade, um antigo professor do meu tio, por isso ele já tinha muita experiência chamando vovó para falar sobre o mal comportamento de titio. © lagwagonlead / Reddit
  • A professora me ligou e disse que os meninos estavam olhando uma foto da minha filha de roupa íntima na escola. Eles estavam no 6º ano do Ensino Fundamental. Acontece que a minha filha tinha mandado uma foto para uma amiga vestindo um short jeans e uma camiseta, e estava com a roupa levantada para mostrar a barriga e os gominhos que tinha conseguido malhando. Bem, alguém conseguiu essa foto. E ela não tinha nada demais. Mas ainda assim a professora me deu um sermão horrível. © Marina Anatolyevna Topolnitskaya / Facebook
  • A minha amiga é artista e é bastante conhecida na nossa pequena cidade. O filho dela começou a frequentar a escola neste ano. E ele também é fascinado pela arte. Uma vez, teve um concurso e o garoto resolveu participar, pintando uma linda paisagem em aquarela. Quando ele levou sua obra para a escola para ser avaliada mais tarde, disseram que ele deveria ter feito sozinho, sem a ajuda da mãe. Então, chamaram minha amiga na escola. Ela observou o quadro e disse: “Bem, na sua opinião, é assim que uma artista com 20 anos de experiência pinta?” ©Podslushano / VK

Você ou seus pais já foram chamados na escola por algum motivo? Costumava aprontar muito nos anos de colégio? Conte para a gente na seção de comentários.

Incrível/Crianças/14 Relatos inusitados sobre pais que foram chamados na escola e tiveram uma verdadeira surpresa com o que ouviram dos professores
Compartilhar este artigo