Incrível
Incrível

Os cientistas descobriram de que são feitos os macarrões instantâneos e se eles realmente são prejudiciais à saúde

O macarrão instantâneo foi inventado na China medieval durante o reinado da dinastia Qing. O chef Yi Bingshou tentou fritar macarrão com óleo para que pudesse cozinhá-los rapidamente antes da chegada dos convidados. Depois de vários séculos, essa receita ganhou popularidade no Japão e, hoje em dia, esses macarrões se tornaram um dos alimentos “rápidos” mais comentados no mundo. Mas até os cientistas médicos se preocupam com o quanto são prejudiciais.

De 1948 a 1971, o japonês Momofuku Andō trabalhou para fazer macarrão barato, saboroso e conveniente para os consumidores. Depois de 20 anos, ele conseguiu.

No Incrível.club decidimos descobrir em detalhes a composição do macarrão instantâneo e dos temperos oferecidos por seus fabricantes. E vamos dizer como o produto pode ser prejudicial à saúde.

Composição do macarrão instantâneo

A composição do macarrão é absolutamente normal. Toda a química está concentrada no tempero.

Fabricação de macarrão instantâneo

tecnologia-chave, o “pulo do gato”, é fritar o macarrão em óleo. Graças ao tratamento térmico anterior, o macarrão se cozinha por poucos minutos em água fervente.

A maioria dos fabricantes escolhe óleo de palma para fritar, é o óleo vegetal mais barato. A preocupação mais comum é precisamente sobre ele: as gorduras trans aparecem durante o tratamento térmico, isto é, ele torna-se literalmente venenoso para o corpo.

Há uma quantidade incrível de opiniões opostas: algumas têm medo deste óleo, enquanto outras afirmam que é inócuo. Hoje, as opiniões dos cientistas divergem bastante sobre o produto.

Tempero para macarrão: composição, benefício e dano

Além dos produtos químicos, o caldo contém sempre muitas especiarias, pimenta e sal. Portanto, é estritamente proibido para pessoas com doenças gástricas.

Nós pesquisamos quais os aditivos químicos encontrados nos produtos de quase todos os fabricantes de macarrão instantâneo. Vamos explicar como eles afetam o corpo.

Glutamato monossódico E621 — realçador de sabor

O glutamato monossódico não tem seu próprio sabor, mas melhora o do produto ao qual é adicionado. A língua humana tem receptores especiais responsáveis pelo chamado “Umami”, o sabor de substâncias com alto teor de proteína. Quando a língua sente, o corpo percebe o sabor da comida mais intensamente, porque “ouve” um sinal que diz que esse alimento tem muitas proteínas. Então, o glutamato de sódio dá uma sensação de umami.

O glutamato monossódico não é uma substância antinatural, é até encontrado em alguns produtos em sua forma natural, molho de soja e queijo roquefort, por exemplo. Se usado em quantidades razoáveis, é inofensivo para o corpo humano.

Goma guar E412 — espessante

É um extrato de vagens de acácia indiana — grãos de guar. A goma guar aumenta a viscosidade do produto, forma um gel estruturado. Ela muitas vezes é utilizada para a composição de iogurtes, molhos e sorvetes.

Acredita-se que, em pequenas quantidades, reduz o apetite e é absorvida pelos intestinos em pequenas quantidades, ou seja, não pode ser muito prejudicial.

No século XX, os nutricionistas experimentaram medicamentos de emagrecimento com goma guar mas, depois de várias mortes por overdose, pararam de fazê-lo. Agora, os produtores a tratam com muito cuidado.

E150d — corante

O corante E150d é o tipo mais perigoso dos corantes E150. Ele por si só, em termos gerais, é açúcar queimado. Em pequenas quantidades, é inofensivo, mas é preciso tratá-lo com cautela. Existe a opinião de que este é um carcinogênico fraco, que causa o desenvolvimento de células cancerígenas no corpo. O ponto de vista é controverso, mas popular.

Reguladores da acidez

Em grandes quantidades, o ácido causa irritação da mucosa gástrica, portanto as pessoas com úlceras ou gastrite devem consumir com cautela. Mas existem ácidos em quase toda parte, então este não é um ingrediente crítico.

Aditivos para macarrão: legumes e carne secos

Os pequenos pedaços no segundo saquinho são apenas vegetais muito secos. E o que é apresentado como carne é soja, carne de soja. Um estudo mostrou que a carne verdadeira quase nunca é adicionada ao produto.

Conclusões

Nenhum aditivo foi encontrado na composição do macarrão instantâneo que representa uma séria ameaça à saúde, mas nada de útil foi encontrado.

Eles apresentam alto teor de gorduras e carboidratos e muito amido. Com alto teor calórico, o produto permanece absolutamente “vazio”, não carregado de nutrientes e inútil; uma opção muito irracional, mas não a mais prejudicial.

Bônus: pratos que são preparados tão facilmente quanto macarrão instantâneo, mas trazem muito mais benefícios

Cereais tratados termicamente

A opção mais comum é o cuscuz. Os cereais processados termicamente sem aditivos de sabor são vendidos em supermercados com a inscrição “pronto em 5 minutos”. Você pode adicionar água e vegetais, temperos, carne de soja ou pode prepará-la com leite quente e acrescentar frutas e açúcar. É preparado exatamente como macarrão, mas o produto é natural e mais “limpo”. Um substituto digno para macarrão instantâneo em uma viagem, por exemplo.

Flocos

Um alimento menos útil, mas igualmente rápido para cozinhar. Além de flocos de aveia e milho, há aqueles de milheto, trigo sarraceno, etc.

Funchosa

O funchoza clássico é feito com base em leguminosas e um produto próximo a ele é o macarrão de arroz, conhecido como bifum ou harussame. Também tem muito amido, mas muito menos gordura. É cozido em poucos minutos em água fervente.

E se você optar pelo macarrão instantâneo assim mesmo...

Ignore os saquinhos de tempero se tiver algumas especiarias à mão. E, em vez de legumes secos, seria melhor adicionar alguns frescos. Bom apetite!

Incrível/Receitas/Os cientistas descobriram de que são feitos os macarrões instantâneos e se eles realmente são prejudiciais à saúde
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos