Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

8 Dicas para que seu pet se prepare para a chegada de um bebê

2111
326

Uma imagem bonita para os amantes dos animais é, sem dúvida, ver seu bebê e seu animal de estimação juntos. Os cachorros e os bebês protagonizam imagens que despertam ternura e parecem companheiros ideais. Mas o que acontece quando não é assim? Como se explica a um cachorro que, de repente, já não será o rei da casa e que seu protagonismo passará a ser dividido com o recém-chegado?

O Incrível.club traz estas dicas para que a relação entre o bebê e o animal não seja um problema a mais para os pais.

1. Mudanças na rotina

Os cachorros são animais de rotina: têm seus horários de passeio, de comer, etc., mas tudo isso será alterado com a chegada de um novo membro à família. O ideal não é mudar a rotina do lar de um momento para outro, já que para o cachorro será mais difícil assimilá-la. Avalie o que mudará com a chegada do bebê e tente ir introduzindo novas rotinas gradualmente.

2. Brincadeiras que não dependem de você

Sem dúvida, brincar é uma parte fundamental da relação entre humano e pet. Mas o tempo para isso diminuirá consideravelmente e, a menos que decida amamentar e jogar uma bola simultaneamente, será complicado. Existem os mais variados brinquedos interativos que permitem ao cão se entreter sozinho, sem a sua participação. Essa é uma grande opção para que o animal aprenda outras formas de se divertir.

3. Mantenha o nível de atividade física do cachorro

Os cachorros precisam gastar energia e, se esse hábito for reduzido de um dia para o outro, eles buscarão outra maneira de gastá-la. E essa é a última coisa que você quer, já que estará bastante ocupada com a chegada do bebê. São várias as opções: você pode pensar em contratar alguém para passear com seu amigo (assim, ele não perderá sua atividade e sua relação com outros animais), se revezar com seu parceiro na tarefa de levá-lo para passear ou até irem os quatro com o carrinho quando o bebê já estiver um pouquinho maior.

4. Elimine seus maus hábitos

Ele deixará de ser o rei da casa. E isso não será fácil. No entanto, os cachorros são muito inteligentes e você pode conseguir uma mudança de conduta. O período antes da chegada do bebê é o ideal para modificar as atitudes das quais não gosta. Por exemplo, se o pet sobe na cama e você não quer que o faça por causa do bebê, pode mudar o costume. Isso exige tempo e paciência, mas provavelmente em alguns meses, o hábito acabará.

5. Certifique-se de que saiba coisas básicas

Sentar-se, responder quando chamado, não tirar a coleira quando sair e não pular nas pessoas são apenas algumas das questões básicas de obediência que o seu cachorro deve compreender. Se já sabe, perfeito! Você trabalhou muito bem o seu adestramento. Se ainda faltam alguns detalhes, sempre é possível recorrer a um adestrador para ajudá-lo. Você também pode acessar este post do Incrível com algumas boas dicas para entender o seu cão.

6. Acostume-o às coisas do bebê

Tente fazê-lo se acostumar às coisas novas do recém-nascido, como o carrinho e o berço. Deixe que cheire e investigue tranquilamente. Você também pode colocar uma gravação do choro de um bebê para que ele se familiarize com esse som. Uma vez que o novo integrante da família chegar, pode lhe dar a roupa do hospital para se acostumar ao cheiro do bebê e lhe dar prêmios para que associe a algo bom.

7. Cada um com seus brinquedos

Não misture o que é do seu filho com o que é do seu cão. Os mordedores e os brinquedos que se movem e emitem sons são os mais atraentes para seu amigo de quatro patas, mais ainda se for um cão brincalhão. Mas, se pegar os brinquedos do bebê, explique-lhe que não pode e substitua por um dos seus brinquedos.

8. O respeito mútuo

A convivência entre um cachorro e um bebê é linda. No entanto, um erro que costuma ocorrer bastante é acreditar que o cão é um brinquedo da criança. Estando lá desde o início, é mais fácil explicar ao nosso filho que o animal também tem sua personalidade e sentimentos e que devemos respeitá-los. Não permita que a criança o incomode de forma invasiva ou dolorosa, já que até o cachorro mais tranquilo pode reagir.

Você tem filhos ou animais de estimação? Como foi esse encontro? Teve algum inconveniente?

2111
326
Compartilhar este artigo