7 Características típicas das casas chinesas que as diferenciam das ocidentais

A China é um país com costumes e tradições admiráveis. Para muitos ocidentais, esse gigante asiático ainda é um verdadeiro mistério. Mas como é o dia a dia na casa de uma família chinesa? Bem, há uma série de peculiaridades. Por exemplo, os chineses não costumam dividir um quarto. Além disso, dificilmente você encontrará uma família que faça alguma refeição na cozinha. E as panelas elétricas de arroz são uma verdadeira mania.

Nós, do Incrível.club, conversamos com uma mulher que se mudou para a China e estamos prontos para compartilhar com você quais são as principais peculiaridades desse país em relação ao dia a dia doméstico. Acompanhe!

Dificilmente você encontrará banheiras nos banheiros da China

Quem ama um banho relaxante de banheira pode ter uma surpresa desagradável na China: esse item costuma ser encontrado apenas em hotéis de luxo. O mais normal, nos apartamentos e nas casas no país, é o banheiro ter apenas um chuveiro comum, desses que estamos acostumados a usar no Brasil.

E refeições na cozinha também são uma coisa rara no país

Ao contrário das cozinhas no Ocidente, onde as pessoas costumam tomar café da manhã, se sentar para um lanche e até receber convidados para um café, na China esse cômodo é usado apenas para a sua função básica: cozinhar. E é por isso que, por lá, a cozinha é, antes de tudo, considerada um espaço de trabalho e não costuma ser grande. Portanto, geralmente não dispõe de um espaço para a mesa (que, na maioria das vezes, encontra-se na sala de jantar).

O revestimento do chão costuma ser de cerâmica

As casas chinesas (assim como ocorre em boa parte das residências aqui no Brasil) costumam ter pisos de cerâmica. No entanto, nos países frios da Europa ou da América do Norte, por exemplo, o piso de cerâmica não é a opção mais popular, justamente por causa do clima — afinal, quem gosta de pisar em um chão gelado? Em relação a essa última questão, vale notar que muitas casas modernas na China possuem sistema de aquecimento de piso.

Os móveis e eletrodomésticos são, frequentemente, cobertos por capas e “paninhos decorativos”

O antigo hábito de cobrir os móveis e eletrodomésticos com capas, toalhas e paninhos decorativos, muito associado, no Ocidente, à casa das avós, ainda é bastante comum na China. Lá, é possível encontrar todos esses “adereços decorativos” para máquinas de lavar roupa, televisão, mesa de centro e praticamente qualquer coisa na maioria das casas. Muitas lojas on-line oferecem esses acessórios.

As cozinhas não costumam ter forno. Mas quase todas possuem uma panela elétrica de arroz

Se, por um lado, é muito difícil encontrar fornos nas cozinhas das casas chinesas, por outro há um eletrodoméstico que existe em praticamente toda residência: a panela elétrica de arroz. Esse dispositivo não é totalmente desconhecido no Brasil, mas ainda é, em geral, pouco utilizado aqui no Ocidente. E os chineses amam tanto esse aparelho que frequentemente o levam quando viajam para fora do país por longos períodos, como, por exemplo, para estudar ou trabalhar no exterior.

A concepção de distribuição do espaço é diferente

Na China, as pessoas preferem quartos menores, porém individuais, a ambientes maiores, mas compartilhados entre irmãos. Normalmente, os chineses costumam reformar ambientes grandes para formar cômodos individuais menores para cada membro da família.

É melhor não se apegar muito ao seu imóvel

É pouco provável que um pai, na China, consiga deixar um imóvel para o filho. Mais difícil ainda é um avô legar uma casa ou apartamento para o neto. Afinal, de acordo com a legislação, todos os empreendimentos imobiliários pertencem ao Estado e os cidadãos só podem usufruir de uma habitação pelo prazo de 70 anos. No entanto, ainda não se sabe ao certo o que acontece depois desse período. Afinal, a lei foi estabelecida há menos de 70 anos.

O fato é que é pouco provável que a norma seja aplicada na prática. Afinal, o ritmo da construção civil nessa potência asiática é frenético e os e os empreendimentos novos substituem os antigos a um passo bastante acelerado. No país, é uma prática comum demolir prédios e casas de 20, 30 anos para construir imóveis mais modernos em seus lugares — que, por sua vez, também terão um “prazo de validade” mais curto.

Que característica das moradias chinesas mais chamou sua atenção? Você se acostumaria a viver sem forno e sem mesa na cozinha? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo