Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Artista recria personagens de “O Rei Leão” com animais da fauna brasileira

2-1-
816

Desde criança, Vilmar Rossi Júnior é apaixonado por todas as formas de contar histórias: de cinema a publicidade. Mas uma arte, em especial, o acompanhou desde pequeno: o desenho. Recentemente, o ilustrador e designer gráfico de Santa Maria (RS) chamou a atenção ao criar uma releitura dos personagens da animação “O Rei Leão”, usando animais da fauna brasileira. A série de ilustrações, que começou como uma brincadeira, está sendo reconhecida hoje como um símbolo na luta pela Amazônia.

Nós, do Incrível.club, conversamos com o artista para saber detalhes sobre o projeto “E se o Rei Leão acontecesse na Amazônia?”, que mistura o imaginário infantil com o que temos de mais rico no Brasil.

Como a ideia surgiu?

Assim como muitos fãs do primeiro “O Rei Leão”, de 1994, Vilmar estava animado com o lançamento do filme em live-action, ocorrido em julho deste ano.

“Conversando com minha esposa e vendo as notícias que começavam a aparecer sobre a Amazônia, levantamos esta dúvida: como seria a história com nossos animais? Me empolguei com a ideia e fiz a primeira só de brincadeira”, contou.

Foi assim que surgiu essa releitura da cena épica de Hakuna Matata, onde “Simba” virou uma onça-pintada, “Pumba” se transformou em um cateto e “Timão” em um papa-mel. A partir dessa ilustração, o projeto “E se o Rei Leão acontecesse na Amazônia?” ganhou força.

Luta pela Amazônia

Poucos dias depois da publicação do primeiro desenho, que foi logo um sucesso nas redes sociais, a tragédia das queimadas na Amazônia dominou o noticiário brasileiro e mundial. Com o aumento do desmatamento e a diminuição nas fiscalizações ambientais, o mês de agosto registrou o recorde de focos de incêndio na Amazônia desde 2010. E, em relação ao mesmo mês, o número de queimadas na região passou de 10.421, em 2018, para 30.901, em 2019.

Vilmar percebeu que suas ilustrações poderiam desempenhar o importante papel de fazer uma crítica a esse cenário assustador. Além de adicionar elementos que denunciavam a destruição da Amazônia nos seus desenhos, o ilustrador ainda divulgava dados sobre os incêndios nas legendas das postagens.

“Com tudo que aconteceu, vi que as ilustrações poderiam ter uma função didática e crítica. Usar uma história tão conhecida e aplicar em um novo contexto, possibilita criar uma nova visão sobre aquele universo: trazendo o Rei Leão para a Amazônia, o foco não era mais em Simba, mas na Amazônia em si”, explicou Vilmar.

O artista conta que, como a história do Rei Leão já é bastante conhecida, ele teve mais liberdade para poder focar em interagir com o cenário e os personagens. Antes mesmo da tragédia, Vilmar já buscava trazer a ameça das queimadas e do desmatamento para a sua arte. Repare só no fundo da ilustração, na qual Mufasa mostra o reino para Simba. É de arrepiar, não é?

A repercussão

Com uma mensagem tão forte por trás das ilustrações, a série viralizou e Vilmar recebeu um apoio que nunca havia imaginado de pessoas que se sentiram representadas, tanto pela crítica às ações criminosas na Amazônia, quanto pela versão bem brasileira de uma história tão amada.

“Recebi mensagens e comentários positivos de biólogos, professores, ativistas, pais e mães; gente que pediu pra usar as ilustrações em aula, ou que se sentiu representada”, disse. “Essa foi a jornada mais bacana dessa série de postagens: a felicidade das pessoas ao ver o material”, completou.

Luta pelos animais

Para ajudar na conservação da fauna brasileira, Vilmar fez uma parceria recente com o projeto Bioma, que destina parte da venda de camisetas para organizações que lutam por espécies em extinção. Nessa iniciativa, o artista fez uma estampa exclusiva inspirada na série “E se o Rei Leão acontecesse na Amazônia?”, com o objetivo de ajudar entidades que tratam animais feridos pelas queimadas.

Mas Vilmar garante que gostaria de contribuir ainda mais na luta pela conservação do Meio Ambiente. “Ainda quero transformar esse material em algo publicado, informativo, para fechar esse ciclo educativo que me propus; quem sabe um livro pra distribuir em escolas”, revelou.

Curtiu o projeto? Então confira todas as ilustrações da série “E se o Rei Leão acontecesse na Amazônia?” no Instagram do ilustrador. Ah, e não se esqueça de deixar um comentário dizendo o que você achou do projeto.

2-1-
816