Incrível
Incrível

9 Sinais para identificar um bom ator — sem precisar ser um crítico de cinema

Você não precisa ser um crítico de cinema famoso para poder avaliar a atuação de um ator. É possível usar apenas o instinto. Entretanto, os profissionais têm alguns critérios importantes para distinguir uma boa atuação. Portanto, se você olhar com atenção, também pode brincar de ser crítico de cinema profissional.

Nós, do Incrível.club, listamos 9 sinais para distinguir uma boa atuação de uma ruim. Confira!

O ator não tem medo de interpretar pessoas reais

Alguns dos papéis mais marcantes para os atores são aqueles que lhes permitem interpretar pessoas reais. Mas é também bastante arriscado, porque o espectador tem como comparar a atuação diretamente e dizer se o ator se saiu bem no papel. Se você esquecer que está vendo uma estrela de cinema enquanto assiste, então obviamente ela está fazendo um bom trabalho.

Às vezes, a oportunidade de interpretar uma pessoa real permite que o ator revele melhor seu potencial criativo. Por exemplo, se anteriormente os críticos de cinema costumavam ser céticos em relação à atuação de Kristen Stewart e diziam que era “doloroso de assisti-la”, depois de interpretar a Princesa Diana, Kristen recebeu uma indicação ao Oscar. Em Spencer, a atriz não só reproduz de forma crível os maneirismos de Lady Di, mas também infunde à personagem sua própria hipérbole melodramática.

Domina o mimetismo e as expressões faciais com maestria

O mimetismo é uma ferramenta complexa que permite mostrar emoções sutis e momentâneas de pausa entre as falas. Ajuda a entender melhor o que é dito, bem como sentir o discurso em um nível emocional mais profundo. Um exemplo disso, é um olhar expressivo e significativo. Usar essa técnica permite explicar o estado do herói sem palavras.

É por isso que Leonardo DiCaprio ganhou o seu tão esperado Oscar por sua atuação em O Regresso, mesmo ele tendo uma extensa lista de papéis marcantes antes desse. O ator tinha sido indiciado por sua atuação em O Lobo de Wall Street em uma edição anterior da premiação, mas foi no longa O Regresso que ele conseguiu transmitir os sentimentos de dor e a alma atormentada do personagem com um olhar. Foi capaz de mostrar uma ampla gama de emoções como nunca antes.

Sabe como fazer o espectador não ver os seus personagens anteriores

Um verdadeiro profissional sabe como fazer com que o espectador deixe de ver até mesmo os traços do ator em seu personagem. O artista deve nos convencer da realidade do seu herói. Além disso, a cada novo trabalho, não pode ser refém de um personagem anterior. Quando assistimos a filmes com Meryl Streep, por exemplo, vemos diferentes mulheres com suas próprias histórias, experiências, problemas e esperanças. Não é à toa que Streep tem 3 Oscars e 21 indicações.

Ao mesmo tempo, existem muitos atores bons que ficam presos nos mesmos tipos de personagem repetidamente. Por exemplo, Sarah Jessica Parker interpretou brilhantemente Carrie Bradshaw no seriado Sex and the City, porém, desde então, ficou presa à imagem dessa heroína. Inclusive, seu trabalho mais recente é reencarnar a personagem no revival da série.

Tem boas reações, sabe ouvir e presta atenção ao ambiente

Bons atores fazem o público esquecer que é apenas um filme e que estão interpretando um personagem em particular. E uma das formas de fazer isso é ter uma reação vívida ao que está acontecendo naquele mundo imaginário. É importante fazer o espectador acreditar que a pessoa na tela realmente faz parte daquele lugar. Segundo profissionais: “O truque de um bom ator é mergulhar completamente em seu personagem. Ele pode fazer a câmera e 50 caras entediados comendo donuts desaparecerem”.

Ter uma interação próxima com seus parceiros de cena ajuda a mergulhar completamente nas circunstâncias oferecidas pelo cenário. Atores talentosos estão prontos para serem flexíveis e se adaptarem ao fato de que algo pode não sair como no roteiro e ser necessário improvisar. Para isso, é importante não focar apenas na própria atuação.

Estuda cuidadosamente a psicologia do herói e faz o público acreditar que estamos diante de uma pessoa real, não de um personagem

Para que cada personagem seja o mais crível possível, o ator deve pesquisar sobre seu papel. Para isso, primeiro, lê-se rapidamente o roteiro, tentando entender e questionar tudo o que se sabe sobre o herói. Segundo, o ator também tenta imaginar o passado e o futuro de quem vai interpretar. Por fim, aprender sobre a profissão do personagem ajuda a entrar em sua atmosfera. Por exemplo, se você vai interpretar um professor universitário, é necessário saber o que é preciso para se tornar um docente de um determinado campo do conhecimento, conversar com alguns representantes da profissão, descobrir o salário e como é o estilo de vida dessas pessoas.

Por exemplo, quando Meryl Streep interpretou a editora durona e fria de uma revista, que era temida por todos à sua volta, ela não saiu do personagem nem mesmo nos bastidores e se manteve distante dos seus colegas. E Heath Ledger, se preparando para interpretar o Coringa, voluntariamente se isolou completamente do resto do mundo e passou 6 semanas sozinho em um quarto de hotel. Todo esse tempo, Heath manteve o “Diário do Coringa”, em que descreveu o que estava acontecendo em sua cabeça.

Brinca com a voz e tem controle vocal

O controle vocal abrange quase todos os detalhes de uma cena: ajuda o ator a controlar o próprio tom e o do interlocutor, impactando até mesmo os outros aspectos da cena inteira. A voz pode ajudar a mostrar o herói de uma perspectiva diferente, logo o artista pode usar mudanças abruptas para ditar o ritmo em que o personagem muda. Foi o que Colin Firth fez quando interpretou George VI em O Discurso do Rei. O controle vocal ajuda a mostrar emoções mais vívidas através da fala.

Ou, inversamente, o ator prefere manter um único tom de fala ao longo da história. Por exemplo, Heath Ledger usou essa técnica quando interpretou o Coringa — e isso tornou seu personagem ainda mais sinistro.

O corpo é o instrumento perfeito para incorporar a imagem do personagem

Um bom ator deve ter o perfeito controle do corpo, pois através da sua movimentação ele pode ajudar a revelar a essência do personagem sem usar palavras. O movimento ajuda a contar a história de um herói e a comunicar seus sentimentos, não apenas em um único momento, mas durante todo o tempo em que está em tela. Um exemplo clássico é Charlie Chaplin. Seus movimentos desajeitados e cômicos dão uma ideia completa do personagem de uma só vez. E em geral, para todos os comediantes, o movimento é a melhor maneira de criar situações engraçadas. Pense em Jim Carrey, Rowan Atkinson, Melissa McCarthy. Um elemento integrante da comédia é a movimentação dentro de cena.

Não ter medo de parecer vulnerável

Grandes atores estão prontos para mostrar ao público aquelas partes mais íntimas que a maioria das pessoas esconde. Estão sempre emocionalmente expostos e não têm medo de parecerem mesquinhos, ridículos, malvados, ciumentos ou assustados nas telonas. Sim, muitos desses sentimentos estão dentro de nós, mas temos vergonha de mostrá-los, então, bons atores não têm receio de sacrificar sua dignidade por causa de um papel.

Conseguir se tornar irreconhecível

A capacidade de conseguir ficar irreconhecível é uma outra habilidade que os grandes atores possuem. Sim, figurinistas e maquiadores costumam ajudá-los com isso, mas os verdadeiros profissionais não estão acostumados a depender de efeitos especiais ou computação gráfica. A capacidade de se transformar requer muito preparo. Para interpretar Stephen Hawking, o ator Eddie Redmayne teve de se preparar muito para encarnar o cientista que vivia com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). Para isso, ele passou muitas horas treinando com um coreógrafo de Hollywood e com um especialista em neurologia.

Para você, qual é a característica mais importante na profissão de ator? No que presta atenção quando acompanha o trabalho dos artistas? Conte para a gente na seção de comentários.

Incrível/Arte/9 Sinais para identificar um bom ator — sem precisar ser um crítico de cinema
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos